Skip to content

Obras no Cais Mauá devem ser retomadas no primeiro trimestre de 2015

25/11/2014

Consórcio responsável pela revitalização não detalha em que fase estão as obras nos armazéns

Samuel Vettori / Rádio Guaíba

Expectativa é que obras do cais iniciem em março de 2015  Crédito: Moglia Comunicação / Divulgação / CP

Expectativa é que obras do cais iniciem em março de 2015
Crédito: Moglia Comunicação / Divulgação / CP

A expectativa da Prefeitura é de que até março de 2015 seja possível fazer a retomada das obras de revitalização do Cais Mauá. O Executivo ainda examina o Estudo de Impacto Ambiental e o respectivo Relatório de Impacto Ambiental. Uma audiência pública está prevista para ocorrer em janeiro a fim de discutir detalhes do projeto. Dois meses depois, devem recomeçar as melhorias na estrutura física.

As obras de revitalização começaram oficialmente em novembro do ano passado. A ideia era concluir pelo menos uma parte dos armazéns para a Copa do Mundo de 2014, o que não ocorreu. Uma estrutura temporária foi montada para o Mundial.

O consórcio responsável pela revitalização não detalha em que fase estão as obras nos armazéns. De acordo com a assessoria de imprensa do Porto Cais Mauá o trabalho prossegue. Não são disponibilizadas informações precisas sobre o andamento do trabalho.

O contrato de arrendamento entre o governo do Estado e a empresa é de 25 anos. Serão construídos à beira do Guaíba, edifício-estacionamento, shopping center e torres comerciais. O consórcio é formado pelas empresas espanholas GSS, com 51% do Capital, NSG, com 39%, e Bertin, com 10%.

Confira o que o consórcio publicou no site Viva Cais Mauá:

“Uma obra dessa complexidade envolve uma série de licenças e autorizações de uma série de órgãos federais, estaduais e municipais, sendo que requerem muitos estudos profundos e complexos, além de apresentação de projetos detalhados e comprovação do atendimento de uma série de obrigações legais e regulamentares vistas apenas em empreendimentos dessa natureza. Portanto, o Projeto Cais Mauá está andando consistentemente em termos de obtenção de todas as licenças e autorizações. Em todos os lugares do mundo, esse tipo de empreendimento teve o mesmo tipo de demora e de descrença da população e, em quase todos os casos, os resultados foram excepcionais e aclamados pela sociedade.”

Correio do Povo

Fotos das obras de expansão do Iguatemi – Porto Alegre

25/11/2014

Fotos tiradas hoje, 25/11/2014, por um leitor do Blog.

Bônus, o skyline do Jardim Europa.

iguatemi1

iguatemi2

iguatemi3

Previsão de inauguração da expansão: outubro 2015.

Duas empresas se habilitam a executar a revitalização da orla do Guaíba

25/11/2014

Comissão vai avaliar projetos da Toniolo, Busnelo S/A e Consórcio Pelotense Porto Novo

Samantha Klein/Rádio Guaíba

Projeto contempla 1,3 quilômetros entre a Usina do Gasômetro e a Rótula das Cuias | Foto: Divulgação / PMPA / CP

Projeto contempla 1,3 quilômetros entre a Usina do Gasômetro e a Rótula das Cuias | Foto: Divulgação / PMPA / CP

A empresa Toniolo, Busnelo S/A e o consórcio formado pela Construtora Pelotense e a Porto Novo se habilitaram, nesta terça, a executar primeira fase de revitalização da orla do Guaíba, em Porto Alegre. A Comissão Especial de Licitações vai avaliar a documentação dos interessados até o fim da semana. As propostas orçamentárias foram lacradas e serão abertas após o prazo de recurso. O resultado deve ser conhecido em 20 de dezembro.

O edital teve de ser republicado na metade de outubro em função da falta de um documento, o que prejudicou a apresentação de propostas pelas empresas e inviabilizou a escolha. O projeto de revitalização foi elaborado pelo urbanista Jaime Lerner.

Com custo estimado em R$ 57,4 milhões, o projeto contempla 1,3 quilômetros entre a Usina do Gasômetro e a Rótula das Cuias, na avenida Edvaldo Pereira Paiva. A intenção é revitalizar toda a orla, até o extremo da zona Sul. No projeto estão previstos quatro bares, que no verão funcionarão como quiosques e serão fechados no inverno. Na Usina do Gasômetro ainda haverá um novo terminal turístico.

O que prevê o projeto paisagístico

• Ciclovias e caminhos iluminados com fibra ótica, permitindo um espetáculo noturno.
• Iluminação com lâmpadas de led, possibilitando o uso durante 24 horas.
• Quatro bares com belvederes, que no verão tomarão o aspecto de quiosques e, no inverno, podem ser fechados com vidro.
• Junto à Usina, um novo terminal turístico vai permitir o atraque de embarcações, com sala de embarque climatizada e deque de dois mil metros quadrados, com bancos voltados para o Guaíba.
• No trecho após a Usina, serão construídas quadras poliesportivas e, no talude, arquibancadas voltadas para o Guaíba.

Correio do Povo

Região Metropolitana de Porto Alegre cai no ranking de Índice de Desenvolvimento Humano

25/11/2014
tags: ,

Área que engloba 34 cidades passou para nona colocação

Foto: Gilberto Simon

Foto: Gilberto Simon

O Instittuto de Pequisa Econômica Aplicada (Ipea) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) lançaram nesta terça-feira o Atlas do Desenvolvimento Humano nas Regiões Metropolitanas Brasileiras. A pesquisa determina a qualidade de vida em municípios, unindo indicadores como longevidade, renda e educação. Conforme o Ipea, houve uma diferença no ritmo de evolução do Índice de Desenvolvimento Humano (IDHM), causando um troca nas primeiras posições do ranking. Em comparação entre 2000 e 2010, a Região Metropolitana (RM) de Porto Alegre deixou de figurar entre as cinco com maior IDHM, ficando na nona colocação.

A RM de Porto Alegre, que conta com 34 cidades, possuía em 2000 um IDH igual a 0,685. De acordo com o Ipea, quanto mais perto de 1 estiver o índice, melhor é a qualidade de vida da região pesquisada. Já em 2010, a RM de Porto Alegre atingiu 0,762, ingressando na faixa de Alto Desenvolvimento Humano.

O IDHM Educação, em 2000, era 0,524 passando para 0,649 em 2010. O IDHM Longevidade era de 0,809 em 2000 e dez anos depois passou a ser de 0,855. Já o IDHM Renda era de 0,758 e passou a ser 0,797. Conforme os números divulgados, entre 2000 e 2010, a dimensão que mais evoluiu, em termos absolutos, foi a dimensão Educação, que registrou um aumento de 0,125.

De acordo com o gráfico desenvolvido pelo Ipea, a parcela de contribuição da Educação para o Desenvolvimento Humano na RM de Porto Alegre aumentou 5%. Em 2000, o índice era de 25% e em 2010 chegou a 30%. A Renda, que tinha 36%, passou a contribuir com 33% em 2010. A Longevidade contribuía com 39% e diminuiu para 37%.

Unidades de Desenvolvimento Humano

Conforme o Atlas do Desenvolvimento Humano, no ano de 2000 as Unidades de Desenvolvimento Humano (UDH) com valores mais altos na RM de Porto Alegre estão na região central, enquanto os mais baixos estão nas proximidades dos município-sede. As UDHs com as menores faixas estão nas cidades de Alvorada, Guaíba e Novo Hamburgo.

Já em 2010, as UDHs com os valores mais altos na RM de Porto Alegre migraram para a parte norte. Os números mais baixos estão na região central da RM gaúcha, concentrados nos municípios de Canoas, Novo Hamburgo e Porto Alegre.

Na RM de Porto Alegre, as UDHs com maior IDHM são Bela Vista; Belém Novo: Mário Carvalho; Boa Vista; Chácara das Pedras; Independência; Ipanema; Jardim Isabel; Menino Deus; Moinhos de Vento; Mont’Serrat; Rio Branco; Três Figueiras e Vila Ipiranga: Iguatemi / Germânia, todas como 0,958.

As UDHs com menor IDHM são Arquipélago: Ilha Grande dos Marinheiros; Arquipélago: Ilhas Pavão e dos Marinheiros; Belém Novo: Vila Esperança; Floresta: Loteamento Santa Terezinha e Vila Central; Mário Quintana: Chico Mendes; Mário Quintana: Recanto do Sabiá; Mário Quintana: Vila Jardim Protásio Alves; Praia de Belas: Vila Chocolatão e Vila Aldeia; Restinga: Quinta Unidade; Restinga: Vale do Salso; Restinga Vila Castelo; Rubem Berta: Vila Amazônia e Santa Tereza: Vila Ecológica, todas com 0,593.

Correio do Povo

Justiça manda bloquear R$ 30 milhões para quitar rescisões de demitidos da Iesa

25/11/2014

Decisão atende a pedido do Ministério Público do Trabalho após o anúncio das demissões

Samuel Vettori / Rádio Guaíba

Magistrada ordenou ainda o sequestro judicial especialmente de compressores que estão no pátio | Foto: Samuel Maciel

Magistrada ordenou ainda o sequestro judicial especialmente de compressores que estão no pátio | Foto: Samuel Maciel

A juíza do Trabalho Lila Paula Flores França, da comarca de São Jerônimo, determinou nesta segunda-feira o bloqueio de até R$ 30 milhões em contas bancárias da Iesa Óleo & Gás, do Consórcio Tupi/BV e da Petrobras. A quantia equivale ao necessário para o pagamento das verbas rescisórias de aproximadamente mil empregados da Iesa. O grupo teve a demissão anunciada pela empresa após rompimento de contrato com a estatal.

Leia mais sobre o caso da Iesa

A decisão atende a pedido do Ministério Público do Trabalho. No mesmo despacho a magistrada ordena o rastreio de veículos em nome das empresas e o sequestro judicial especialmente dos compressores da Petrobras existentes no pátio da Iesa, em Charqueadas. Não é necessário que haja notificação.

No sábado, a mesma magistrada havia determinado a suspensão da despedida em massa, sob pena de multa de R$ 100 milhões em caso de descumprimento. Oficiais de Justiça tentaram, até a manhã desta segunda-feira, notificar a Iesa, na sede da empresa em Charqueadas, mas não conseguiram contatar diretores. A Vara do Trabalho de São Jerônimo tentou também sem sucesso a notificação da Petrobras e da Tupi no Rio de Janeiro. Há ainda um mandado para a notificação da Iesa em uma sede da empresa em Canoas.

Correio do Povo

Governo entrega à AL projetos sobre autonomia do Corpo de Bombeiros

25/11/2014

Propostas cuidam da organização da corporação, ingresso e separação da Brigada Militar

Jézica Bruno

O governo do Estado entregou nesta segunda-feira à Assembleia Legislativa os três Projetos de Lei que tratam da autonomia do Corpo de Bombeiros. As propostas, que cuidam da organização dos bombeiros, ingresso e separação da Brigada Militar (BM), foram divididas em Lei de Organização Básica, Lei de Fixação de Efetivo e Lei de Transição. Os projetos vão tramitar em regime de urgência e devem ser votados até o final deste ano. A autonomia do Corpo de Bombeiros foi aprovada em junho deste ano e a transição total deve ocorrer até dezembro de 2016. As propostas foram pensadas junto ao Grupo de Trabalho, criado pelo governo Tarso Genro, que estipulou o prazo de 90 dias, até esta sexta-feira, para a entrega.

A Lei de Organização Básica, chamada de LOB, será a responsável pela gestão e, entre outros pontos, irá instituir futuramente cinco comandos regionais ao Corpo de Bombeiros do Estado. Já a de Fixação de Efetivo trará um incremento de 20% ao ano, até 2018, no efetivo de agentes que atuam pela Corporação. A Lei de Transição, por sua vez, irá estipular o prazo de 90 dias para que os agentes que estão na BM e que possuem curso de bombeiro, optem por fazer parte do Corpo de Bombeiros, caso tenham interesse. O mesmo prazo se aplica na escolha de Bombeiros que desejam atuar na BM. A Transição também atuará na separação do patrimônio dos bombeiros e da BM.

Para a secretária de Coordenação de Assessoramento Superior do Governador, Mari Perusso, as propostas vão se refletir diretamente na qualidade do serviço prestado pela Corporação. “O Corpo de Bombeiros é uma entidade forte e que vai melhorar o atendimento à sociedade. Tudo foi bem analisado e discutido até a construção dos projetos”, esclareceu.

De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros do Rio Grande do Sul, coronel Eviltom Pereira Diaz, o ponto mais importante que irá beneficiar a Corporação é a autonomia administrativa. “Nós não vamos precisar mais da autorização da BM para os processos administrativos”, afirmou. A partir de janeiro de 2015 a Corporação deve contar com orçamento próprio. No entanto, ainda não há um valor definido. “Já temos alguns valores básicos, mas ainda nenhum orçamento fechado”, observou.

A desvinculação da BM passou a ser discutida de forma mais intensa após a tragédia da boate Kiss, em Santa Maria, no ano passado. O efetivo do Corpo de Bombeiros soma mais de 2,6 mil agentes, enquanto o ideal seria em torno de 4,4 mil. A Lei de Fixação de Efetivo será utilizada para aumentar o número de bombeiros, que passará para 6,8 mil agentes. Segundo Diaz, foi feito um estudo em cada município, que analisou necessidade e capacidade de efetivo, para chegar a esse número de agentes que irão atuar no Estado.

Correio do Povo

Revitalização da orla: empresas serão conhecidas nesta terça

24/11/2014
Sessão de abertura dos envelopes está marcada para as 14h30  Foto: Divulgação/PMPA

Sessão de abertura dos envelopes está marcada para as 14h30  Foto: Divulgação/PMPA

A Comissão Especial de Licitação para Projetos Estruturantes recebe nesta terça-feira, 25, as propostas das empresas ou consórcio de empresas que desejam participar da concorrência pública para executar as obras da primeira fase do Projeto de Revitalização da Orla do Guaíba. A sessão de abertura dos envelopes com os documentos de habilitação e recebimento dos envelopes com as propostas dos concorrentes está marcada para as 14h30 e acontecerá na sede da Secretaria Municipal de Gestão (SMGES), localizada na rua Siqueira Campos, 1.163, 8º andar.

A licitação contempla os primeiros 1.320 metros de revitalização da orla, entre a Usina do Gasômetro e a Rótula das Cuias, na avenida Edvaldo Pereira Paiva. Depois de conhecida a empresa vencedora, a previsão é de que a obra esteja concluída em 18 meses. O projeto possui 630 pranchas detalhadas das obras e mais de cinco mil itens no orçamento, que terá um custo estimado de R$ 57,4 milhões.

Uma nova relação com a cidade – O Parque Urbano da Orla do Guaíba vai recuperar a relação da cidade com o Guaíba por meio de projeto paisagístico que prevê ciclovias e caminhos iluminados com fibra ótica, permitindo um espetáculo noturno. Toda a orla será iluminada com lâmpadas led, possibilitando o uso durante 24 horas. Serão colocados quatro bares com belvederes, que no verão tomam o aspecto de quiosques e, no inverno, podem ser fechados com vidros. Junto à Usina, um novo terminal turístico permitirá o atraque de embarcações, com sala de embarque climatizada e deque de dois mil metros quadrados, tudo considerando a tradicional festa de Réveillon da cidade. O deque terá bancos voltados para o lago. No trecho após a Usina, serão construídas quadras poliesportivas e, no talude, arquibancadas voltadas para o lago. 
Prefeitura

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 5.843 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: