Skip to content

Paradas de ônibus terão identificação de linhas aos usuários

29/10/2014
Cristóvão Colombo receberá os primeiros modelos.  Divulgação/PMPA

Cristóvão Colombo receberá os primeiros modelos. Divulgação/PMPA

Nesta quinta-feira, 30, será iniciada a implantação de um novo projeto de identificação das linhas de ônibus nas paradas da Capital. A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), que elaborou o projeto, vai instalar placas informando quais os ônibus que atendem aos pontos de embarque e desembarque da Capital. Os primeiros modelos de placas informativas serão instaladas às 11h, na avenida Cristovão Colombo, próximo a Benjamin Constant, com a presença do diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari e técnicos da empresa.

Foram criados três modelos de placas: dois para as paradas comuns (40cm x 60cm e 60cm x 80cm), informando o nome e o número das linhas, com as cores respectivas dos consórcios; e um para as do tipo Parada Segura (90cm x 110cm), que terão as mesmas informações das comuns, mais o itinerário e o primeiro e último horário de funcionamento da linha. “Em Porto Alegre, temos mais de 5,6 mil pontos de parada. Começaremos a implantação desse projeto em algumas avenidas, como Cristovão Colombo, Plínio Brasil Milano, 24 de Outubro, Érico Veríssimo, entre outras. Depois vamos seguir para o interior dos bairros. Nosso objetivo é facilitar a informação aos usuários”, afirmou Cappellari.

O diretor-presidente ressalta que o projeto está inserido em um contexto onde a informação aos usuários será prioridade. “Estamos trabalhando na licitação dos ônibus e elaboração e implantação dos BRTs, a identificação das linhas que passam nas paradas, junto desses elementos, vai contribuir muito para qualificar o sistema de transporte coletivo”, finalizou.

Informação de Transporte – Além dessa iniciativa, quem utiliza transporte público em Porto Alegre pode contar com o fone 156, Fala Poa, e 118, da EPTC, para se informar sobre itinerários e tabela horária dos ônibus, 24 horas, todos os dias. Ano passado, os dois fones receberam 5,6 milhões de ligações, sendo a principal demanda consultas de transporte.

Para outras informações, também existem os sites da EPTC, PoaTransporte e Google Maps, opção Transporte,  ambos podem ser acessados também por celular e tablets com acesso a internet. Neles podem ser consultados os itinerários e tabelas horárias dos ônibus e lotações, assim como os pontos de táxi da Capital.

Prefeitura de Porto Alegre

Todeschini não avança projeto de nova indústria de R$ 280 milhões por falta de energia elétrica em Cachoeira do Sul

28/10/2014

A fabricante gaúcha de móveis planejados, a Todeschini, só depende de garantia de fornecimento de energia para ter, até 2017, uma unidade própria de beneficiamento de madeira no município de Cachoeira do Sul. O investimento previsto é de R$ 280 milhões. Cachoeira é onde a empresa possui a maior parte de suas florestas.

O início da implantação do novo complexo industrial depende  do abastecimento de energia elétrica, já que a área escolhida, localizada às margens da BR-290, não possuiria rede.

Segundo o presidente da Todeschini, João Farina Neto, o grupo já trabalha no projeto há pouco mais de um ano. A implantação, porém, segue esbarrando no seu principal gargalo, que é a obtenção dos 10 MW necessários para a operação da unidade.

Via Políbio Braga

Velocidade de tráfego reduz para 40Km/h…. em Nova York

28/10/2014
Visão zero: medida se baseia na premissa de que nenhuma morte no trânsito é aceitável. Foto: Reprodução

Visão zero: medida se baseia na premissa de que nenhuma morte no trânsito é aceitável. Foto: Reprodução

A partir de 7 de novembro, ruas de Nova York (EUA) terão sua velocidade máxima permitida reduzida para 40 km/h (25 mph). O objetivo é aumentar a segurança de pedestres e ciclistas e diminuir o número de mortes causadas por alta velocidade e imprudência. Rodovias e vias arborizadas, conhecidas como parkways, ainda terão limites mais altos, enquanto nas zonas escolares e outros pontos a velocidade será ainda mais baixa.

Essa é mais uma medida da prefeitura nova-iorquina na agenda de segurança no trânsito. Apenas com o uso de câmeras contra motoristas que furam o sinal vermelho, houve redução de 31% em atropelamentos nos cruzamentos com maior ocorrência.

Campanha alerta para a importância da redução da velocidade. Foto: Reprodução
Limites de velocidade mais baixos retardam carros e protegem as pessoas. Em um atropelamento por um automóvel a viajando a 65 km/h (40 mph), uma pessoa tem 70% de chance de morrer. Aos 50 km/h (30 mph), a pessoa tem 80% de chance de sobreviver. Limites de velocidade não são feitos para render multas.

Campanha
Está em vigor nas redes sociais a campanha para alertar a população sobre a importância da redução da velocidade. “Esta é uma das mudanças mais radicais que podemos fazer para proteger as famílias e bairros, mas tudo se resume às escolhas individuais e às decisões que cada um de nós faz. Estaremos nas ruas e nas ondas do rádio para garantir que os nova-iorquinos entendam como essa mudança é vital”, disse o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, em comunicado.

A campanha contará com uma fotografia de um nova-iorquino, juntamente com uma legenda sobre o porquê ele gostaria que condutores diminuíssem a velocidade em Nova York. As imagens incluem famílias afetadas por incidentes de trânsito, novos motoristas, cidadãos engajados​​, advogados e funcionários públicos. A primeira família da campanha “25 pessoas de 25 mph” são parentes de Sammy Cohen Eckstein, um garoto de 12 anos morto por uma van no ano passado, em Prospect Park West.

A cada ano, 250 pessoas em Nova York são mortas em “acidentes” veiculares, e outras quatro mil ficam gravemente feridas. Os pedestres representam 56% de todas as mortes no trânsito de Nova York. Crianças e idosos são especialmente vulneráveis. Pessoas com mais de 65 anos constituem 12% da população da cidade, mas representam 33% das mortes de pedestres.

Ser atingido por um veículo é a principal causa de morte relacionada a lesões para crianças menores de 14 anos. A principal causa para essas mortes (70%) é a condução perigosa de veículos.

Visão Zero

Esse tipo de mudança é feito com base no paradigma de transporte do Visão Zero, programa implementado na Suécia em 1997 e que redesenhou o sistema de transportes priorizando a segurança. A ideia que norteia todos os princípios é que “nenhuma morte é aceitável”.

O resultado é que incidentes de trânsito envolvendo pedestres no país caíram 50% nos últimos cinco anos. Os pilares são mudanças na infraestrutura viária, tecnologia de prevenção de acidentes nos veículos, educação e fiscalização. Entre os elementos de segurança implantados ou a serem realizados estão:

Novo desenho de sinalização nas vias – esclarecer a quem se destinam os espaços nas ruas através de melhores marcas;

Adicionar faixas de pedestres – esclarecer onde os pedestres atravessam por meio de sinalização;

Melhorar a visibilidade nos cruzamentos – remover barreiras visuais tais como áreas de estacionamento;

Ampliar faixa de estacionamento – manter carros e caminhões de entrega fora das faixas de rodagem parados em fila dupla;

Adicionar ciclovias e ciclofaixas – mostrar claramente a preferência do ciclista;

Criar espaços de conversão à esquerda – aumenta a segurança e evita que o trânsito pare;

Criar sinalização específica de conversão à esquerda – separar do tráfego no sentido contrário e pedestres;

Eliminar conversões inseguras – intersecções com melhores condições para a visibilidade e tráfego;

Sinalização para pedestres – dar a quem está a pé mais tempo de travessia;

Saída antecipada de ônibus – permitir que os coletivos saiam do semáforo antes dos carros;

Instalação de redutores de velocidade – em ruas residenciais, colocar lombadas para lembrar os motoristas de trafegar em baixa velocidade;

Semáforos coordenados – o alinhamento vai permitir a criação de “ondas verdes”, mantendo os motoristas viajando juntos em uma velocidade consistente;

Redução do excesso de velocidade noturna com tempo de sinal – tirar a oportunidade de desenvolver grande velocidade fora do horário do rush;

Aumentar o nível de iluminação pública – melhorar a visibilidade à noite em áreas com alto índice de colisões;

Ilhas de segurança de pedestres – encurtar distância de cruzamentos e afunilar pistas para motoristas;

Estender meio-fio para trazer pedestres para a linha de visão dos motoristas – diminuir distâncias de travessia;

Limites de velocidade mais baixos – enviar mensagem de que os motoristas estão entrando em zonas escolares ou outras áreas com tráfego intenso de pedestres;

Melhorias de acessibilidade – sinais de pedestres com acessibilidade e rebaixamentos de guias.

Vá de Bike

Lançado sistema de aprovação eletrônica de projetos de edificações

24/10/2014

Meta é conceder autorizações em Porto Alegre em até 40 dias

Cláudio Isaías

Documentos são digitalizados e enviados às secretarias Documentos são digitalizados e enviados às secretarias.  Foto: Joel Vargas/PMPA

Documentos são digitalizados e enviados às secretarias Foto: Joel Vargas/PMPA

O novo sistema de aprovação eletrônica de projetos de edificações foi lançado nesta sexta-feira pela prefeitura de Porto Alegre. A secretária de Licenciamento e Regularização Fundiária, Ana Pellini, disse que a principal mudança é que este sistema permitirá a análise simultânea dos projetos por todas as secretarias. “A modernização e o aperfeiçoamento das rotinas reduzirão os prazos. A meta é conceder em 30 ou 40 dias as autorizações para edificações. Antes, o processo poderia chegar a dois anos de avaliação”, destacou.

Segundo Ana Pellini, o novo sistema de aprovação eletrônica de projetos de edificações vai agilizar e modernizar os processos de licenciamento urbano ambiental de Porto Alegre. A iniciativa, segundo a secretária é possível a partir da reestruturação organizacional das secretarias, que agora passam a analisar simultaneamente todos os processos em meio eletrônico.

Atualmente, o projeto ingressa no Escritório de Licenciamento e Regularização Fundiária (EdificaPOA) e percorre diversas instâncias até chegar à Secretaria Municipal de Urbanismo (Smurb), que concede o parecer final. A partir de agora, o processo será digitalizado e enviado ao mesmo tempo para diversos setores que participam das etapas de aprovação, como a Smurb e as secretarias da Cultura e Meio Ambiente e os departamentos de Água e Esgotos (Dmae) e de Esgotos Pluviais (DEP) e a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC).

O sistema é viabilizado na parceria entre a prefeitura de Porto Alegre e o Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade (PGQP). A implementação do novo processo é uma das principais etapas de modernização do sistema de licenciamento de edificações em Porto Alegre, que começou em 2013 com a criação da Smurb e do EdificaPOA, e passou pela instituição do decreto 18.623/14, de abril deste ano, que simplificou a legislação referente à aprovação de projetos na Capital. Desde a criação do EdificaPOA, em outubro de 2013, foram prestados mais de 60 mil atendimentos e no mesmo período ingressaram cerca de 3,6 mil novos processos para aprovação de licenciamento urbano ambiental.

Correio do Povo

Fundação Iberê Camargo de Siza e 1111 Lincoln Road de Herzog & de Meuron vencem o primeiro Prêmio MCHAP

23/10/2014
Os vencedores do primeiro Prêmio MCHAP, reconhecendo os melhores projetos das Américas: Fundação Iberê Camargo de Álvaro Siza e 1111 Lincoln Road de Herzog & de Meuron. Fotografias © Fernando Guerra | FG + SG - últimas reportagens e © Hufton + Crow

Os vencedores do primeiro Prêmio MCHAP, reconhecendo os melhores projetos das Américas: Fundação Iberê Camargo de Álvaro Siza e 1111 Lincoln Road de Herzog & de Meuron. Fotografias © Fernando Guerra | FG + SG – últimas reportagens e © Hufton + Crow

 

Fundação Iberê Camargo de Álvaro Siza, localizada em Porto Alegre, e o 1111 Lincoln Road de Herzog & de Meuron, situado em Miami, acabam de ser eleitas as obras vencedoras do primeiro Mies Crown Hall Americas Prize (MCHAP).

O MCHAP foi criado pelo Illinois Institute of Technology (IIT) em Chicago para reconhecer as melhores obras construídas nas Américas. Como apontou Kenneth Frampton quando os finalistas foram anunciados em Santiago, Chile, os Prêmios MCHAP representam a primeira vez que uma prêmio de arquitetura foi abordado não de maneira transatlântica e horizontal, mas verticalmente por todas as Américas.

Embora inicialmente o júri buscasse selecionar apenas uma obra do período entre 2000 e 2013, os jurados sentiram que ambos os projetos representavam “uma forma incomum e expressiva de expor a estrutura”, e dividiram o período de 13 anos em duas etapas. A Fundação Iberê Camargo foi selecionada como vencedora do período entre 2000 e 2008, ao passo que o estacionamento de uso misto de Herzog & de Meuron foi o vencedor do período entre 2009 e 2013. Os dois projetos vencedores foram selecionados entre um total de sete finalistas pelo júri composto por Jorge Francisco Liernur, Sarah Whiting, Wiel Arets, Dominique Perrault, e Kenneth Frampton.

“Esculpido em uma montanha, e a uma curta distância do mar, esse edifício maciço e de poucas aberturas apresenta um ethos ambíguo, complexo e rigoroso. A implantação do projeto foi criada com respeito pela natureza através da inserção de um bastião para as artes; isso criou um local “encontrado” e então transformado em um grande destino… A estratégia da Fundação Iberê Camargo de criar um vazio interno e externo através de um dispositivo técnico resultou num cenário único onde os visitantes são confrontados com a arte de Camargo. Suas rampas cobertas – desconectadas da exposição – contam com pequenas janelas que enquadram vistas tanto do mar como do skyline de Porto Alegre.”

Mais informações dos vencedores e dos demais finalistas, direto aqui no ARCH DAILY

Monumentos antigos de Porto Alegre serão limpos no final de semana

23/10/2014

Lavagem conservadora permitirá que sejam identificados possíveis problemas das peças

Lavagem conservadora permitirá que sejam identificados possíveis problemas das peças | Foto: Tarsila Pereira

Lavagem conservadora permitirá que sejam identificados possíveis problemas das peças | Foto: Tarsila Pereira

Os monumentos que representam o Guaíba e seus afluentes, transferidos da Praça São Sebastião, ao lado do Colégio Marista Rosário, para a Hidráulica Moinhos de Vento, do Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae), no último dia 8, receberão uma limpeza de conservação neste final de semana.

De acordo com a arquiteta e restauradora responsável pela ação, Verônica Di Benedetti, a lavagem conservadora permitirá que sejam identificados possíveis problemas das peças. “Serão removidas as sujidades superficiais e as patinas biológicas. Dessa forma, poderá ser realizada uma análise mais aprofundada do que deverá ser restaurado”, afirmou.

A Secretaria Municipal da Cultura (SMC) contratou os serviços de transferência, recuperação do chafariz para o qual os monumentos foram realocados, limpeza e tratamento das peças e a pintura do chafariz, segundo o coordenador de Memória Cultural da SMC, Luiz Custódio. “Todas estas etapas serão concluídas até o final de novembro, tendo em vista as comemorações do aniversário do Dmae, que ocorre em dezembro.

O processo de restauração dos monumentos não tem data para ocorrer. Depois da verificação das necessidades de restauro, após a limpeza, a SMC irá analisar o que será feito. “A restauração é uma segunda etapa, que depende do resultado da análise dos monumentos após a limpeza”, ressaltou Custódio.

Antes de fazer parte dos jardins da hidráulica, o conjunto estava há 78 anos na Praça São Sebastião. As esculturas são datadas de 1866 e, inicialmente, ficavam localizadas na Praça da Matriz – onde se encontra a estátua de Júlio de Castilhos. O conjunto também fez parte do primeiro chafariz público da Capital.

Idealizadas pelo arquiteto italiano José Obino, cada uma das quatro peças – sendo duas figuras femininas, que simbolizam os rios Caí e Sinos, e duas masculinas, representando os rios Jacuí e Gravataí. A estátua de uma criança, que representava o Guaíba, e completava o conjunto, foi perdida depois que as peças foram vendidas para demolição, em 1924. Após protestos da população, na época, as obras foram recuperadas.

Correio do Povo

Travessia Porto Alegre – Guaíba completa 3 anos

23/10/2014

Catamarã transportou mais de dois milhões de passageiros

Foto: Gerson Ibias

Foto: Gerson Ibias

Na próxima terça-feira, 28/10, a travessia Porto Alegre-Guaíba completa três anos e consolida a viabilidade do transporte hidroviário na região Metropolitana. O serviço que hoje é tido como referencia nacional nesta modalidade, aguarda condições legais para novas rotas.

Em três anos a travessia foram transportados dois milhões e cem mil passageiros em 30 mil viagens, com mais de 11 mil horas de navegação. Resultado que atende às expectativas da CatSul, empresa operadora da travessia, conforme seu diretor de operações, engenheiro Carlos Bernaud:

- Os números mostram que o resultado é positivo e que se tornam mais expressivos se considerarmos que essa travessia estava inativa há 50 anos.

Aos dois catamarãs que iniciaram a operação da travessia, mais um foi agregado este ano, permitindo ampliar a oferta de lugares e a criação de viagens extras nos horários de maior movimento. Condições que contribuíram para o êxito do serviço, conforme Bernaud:

- Qualidade, segurança e pontualidade, são o foco de todo o nosso serviço. Por isso a inclusão de mais um catamarã na rota permite transportar mais passageiros e ter equipamentos com manutenção permanente. A soma é conforto que gera confiança  e mais passageiros.

Para facilitar a utilização dos catamarãs, foi criada a possibilidade de integração com ônibus em Guaíba,  começando pelo bairro Florida, depois Colinas e agora também no bairro Santa Rita. O percurso de ônibus entre bairro-catamarã e vice-versa é oferecido gratuitamente em todos os horários, permitindo o embarque imediato tanto para a capital quanto, no retorno, para os bairros.

A criação de novas rotas é uma possibilidade cada vez mais próxima. O pier do Barra Shopping está pronto e tão logo tenha condições legais iniciará a operação. Também está em estudos uma rota que vai ligar o estádio Beira-Rio ao Centro de Treinamentos de Internacional, que será construído em Guaíba. Já o transporte para as ilhas depende da realização de licitação.

Informações de Joabel Pereira

Assessoria de Imprensa CATSUL

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 5.777 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: