Skip to content

EPTC realiza ações educativas envolvendo ciclistas

21/07/2014
Atividades acontecerão hoje, 21, na esquina da Ipiranga com a Borges  Foto: Thalles Campos/Divulgação PMPA

Atividades acontecerão hoje, 21, na esquina da Ipiranga com a Borges  Foto: Thalles Campos/Divulgação PMPA

Abordagens com ciclistas e distribuição de material educativo, com orientações para uma circulação mais segura, fazem parte da programação de ações desta semana da Coordenação de Educação para o Trânsito da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). As atividades acontecerão das 15h às 16h de hoje, 21, na Ipiranga com Borges de Medeiros, e nesta terça-feira, 22, na av. Presidente João Goulart, imediações da Usina do Gasômetro, Centro Histórico.

Os folderes orientam o uso adequado das bicicletas nas vias; mostram os equipamentos obrigatórios a serem utilizados nas bicicletas; a importância do uso de capacete, óculos, roupas, luvas e tênis, para uma maior segurança e comodidade dos condutores, entre outras dicas. Os folhetos sinalizam, também, as ciclovias existentes na Capital, com mais de 20km para uso dos ciclistas.

Mesmo com redução da acidentalidade envolvendo ciclistas em Porto Alegre, neste primeiro semestre foram registradas três vítimas fatais, em 121 acidentes. “Procuramos orientar os ciclistas para uma circulação mais segura e adequada nas vias. É importante utilizar bicicletas com equipamentos de proteção, considerados de uso obrigatório como os retrorrefletores nos pedais e nas rodas, necessidade do espelho refletor no lado esquerdo, além de vestimentas adequadas”, afirma Juranês Castro, Coordenador de Educação para o Trânsito da EPTC.

Prefeitura de POA

Porto Alegre é a 5ª cidade no país que mais criou empregos no 1º semestre

21/07/2014

size_590_porto
De janeiro a junho de 2014, uma em cada três novas vagas no país foram abertas nos municípios a seguir

As 20 primeiras:

  1. São Paulo – SP
  2. Brasília – DF
  3. Curitiba – PR
  4. Goiânia – GO
  5. Porto Alegre – RS
  6. Rio de Janeiro – RJ
  7. Altamira – PA
  8. Santa Cruz do Sul – RS
  9. Franca – SP
  10. Joinville – SC
  11. Belo Horizonte – MG
  12. Lauro de Freitas – BA
  13. Blumenau – SC
  14. Duque de Caxias – RJ
  15. Campos dos Goytacazes – RJ
  16. Teresina – PI
  17. João Pessoa – PB
  18. Aracaju – SE
  19. Bebedouro – SP
  20. Rio Grande – RS

Veja matéria completa, no site da Revista Exame, clicando aqui.

Nova garagem do aeroporto Salgado Filho completa 6 anos no papel

21/07/2014

Aeroporto: Infraero atualiza números de demanda e investimento necessário para definir se obra que prevê 2,9 mil vagas é viável

aero1

aero2

 

Jornal Metro – Porto Alegre – 21/07/2014

Coordenador da FestiPoa propõe modelo de biblioteca pública contemporânea

19/07/2014

Fernando Ramos sugere experimento nas proximidades da orla do Guaíba e do parque Marinha

Biblioteca é inspirada nos Cafés Literários de árques no chile e em bibliotecas-parque de Bogotá e Rio de Janeiro  Crédito: Octo Coletivo e Arquitetura Empática / Reprodução / CP

Biblioteca é inspirada nos Cafés Literários de árques no chile e em bibliotecas-parque de Bogotá e Rio de Janeiro. Crédito: Octo Coletivo e Arquitetura Empática / Reprodução / CP

“O Brasil ainda não possui alvará de funcionamento.” É difícil contestar essa frase do poeta Sérgio Vaz, porque o “habite-se” do país parece que está em trâmite permanente.Por que as cidades brasileiras, sobretudo as capitais, carecem de “alvará de funcionamento”? Porque, e Porto Alegre inclusive, não oferecem planos e programas educacionais efetivos para a sua população. Assim, a consolidação da cidadania resta prejudicada. E, sem cidadania, a política de nossa cidade sofre de anemia crônica.

Política enfraquecida e cidadãos desinteressados dos rumos da cidade são faces do mesmo sintoma. Somos incapazes de nos envolver de fato com o processo político, o que influencia fatalmente o desenvolvimento de nossa cidade. A leitura tem um papel fundamental para a construção da cidadania e para o reconhecimento de valores culturais. Ela está intimamente ligada ao potencial de imaginação e, portanto, criativo de qualquer sociedade. A leitura deve estar no centro de todo o sistema de educação. Instrumento civilizador por princípio, o livro é fundamental para concretizar o processo cultural da sociedade. Todo cidadão tem o direito e o dever de reivindicar acesso amplo à leitura e a bibliotecas públicas.

Há tempos a capital gaúcha anda carente de biblioteca atualizada, equipada e acessível à população. É inadmissível uma cidade complexa e em expansão feito Porto Alegre não dispor de um espaço cultural dedicado ao livro e à formação de leitores, capaz de atender satisfatoriamente à sua população. Se nos considerarmos cidadãos de fato, devemos exigir uma nova biblioteca pública para a cidade. E devemos reivindicar agora, protestar e exigir dos administradores públicos a abertura de debate para tratar desse assunto. É urgente. A Festa Literária de Porto Alegre — FestiPoa Literária quer colaborar com o início desse diálogo da sociedade com a administração pública a respeito dessa pauta tão necessária. Na abertura da sétima edição da FestiPoa Literária, no dia 19 de maio, divulgamos o Experimento para uma Biblioteca Pública em Porto Alegre, que está disponível no site do FestiPoa, realizado em colaboração com a Empática arquitetura e o Octo coletivo.

Pretendemos com a iniciativa tocar a sensibilidade da população, chamando-a para o debate, compartilhando ideias e sugestões para uma possível biblioteca pública para a cidade. Pensamos em localizar esse experimento nas proximidades da orla do Guaíba/parque Marinha do Brasil, aproveitar o entorno natural do Guaíba e do parque. Para tanto, utilizamos as diretrizes da orla do Guaíba, disponíveis no site da Secretaria de Urbanismo, e vimos que as diretrizes para o setor 06 (grande espelho d’água, para cuja continuidade é sugerido o Píer Cidade de Porto Alegre), que prevê espaço de convívio — social e cultural —, sintonizavam com o que estávamos pensando para esse experimento, no qual uma das edificações que pode vir a ser instalada seria uma nova biblioteca pública de Porto Alegre.

Pensamos no conceito de biblioteca mix de centro cultural e biblioteca-parque, ou café literário, para delinear a ideia do experimento. A sugestão do parque Marinha indica também o fácil acesso e a possibilidade de convívio da população com a cidade e a cultura. Lygia Fagundes Telles disse, na década de 60 do século passado, que, para não necessitar de tantos hospitais e presídios, o país deveria implantar sólidos programas de leitura. Mais livros e leitura, menos presidiários e doentes, alertava a escritora. Daquela época para cá, a situação da educação e da saúde mudou, talvez para pior: parece que o país precisa cada vez mais de presídios e hospitais, com o acréscimo de que cemitérios, clandestinos ou não, crescem assustadoramente. Só poderemos sonhar em obter o “alvará de funcionamento” no momento em que nos reconhecermos como cidadãos, reivindicarmos as condições para o exercício pleno da cidadania e, sobretudo, quando fizermos a nossa parte no trabalho de construção de nossa cidade.

Porto Alegre só crescerá se por ela trabalharem cidadãos cientes de sua cultura e de sua capacidade criativa. Somos os responsáveis pelo “habite-se” da Capital. Somente chegaremos a ele, porém, com o desenvolvimento de nossa imaginação.

Desconfio que o acesso à leitura poderá contribuir muito para isso.Porto Alegre, a exemplo de grandes cidades brasileiras, possui diversas bibliotecas comunitárias, algumas a cargo de pontos de cultura e ONGs. Trata-se de iniciativas da própria população, muitas vezes a partir do esforço de abnegados cidadãos que doam grande parte de seu tempo para a realização desse trabalho. A sugestão de uma nova biblioteca para a cidade pode partir da própria população.

Pode ser tocada coletivamente. Pode ser construída pela iniciativa privada e poder público juntos. Mas, acima de tudo, deve ser construída com a participação dos cidadãos. Senhor governador, prezado prefeito, caros empresários, vamos começar o trabalho?

Fernando Ramos – Idealizador e Coordenador da Festa Literária de Porto Alegre – FestiPoa Literária

Correio do Povo

Garantidos R$ 300 milhões para BR-116

19/07/2014

br-116-01

br-116-02

 

Jornal Metro – Porto Alegre – 18/07/2014

Gigante chinesa Huawei terá centro no Tecnopuc, em Porto Alegre

19/07/2014

A Huawei, gigante chinesa de telecomunicações, vai instalar um centro de inovação no Tecnopuc, parque tecnológico da PUC-RS, em Porto Alegre.

Assinatura foi feita em Brasília, durante cúpula Brasil-China

Assinatura foi feita em Brasília, durante cúpula Brasil-China

O governo do Rio Grande do Sul, através da Procergs e do Badesul, assinou acordo de cooperação técnica e estratégica com a Huawei, nesta quinta-feira, 17, em Brasília, durante cúpula Brasil-China.

Em nota, o governo do estado informa que a partir do acordo, a estatal gaúcha de procassamento de dados Procergs e a Huawei vão trabalhar em conjunto em projetos de cidades digitais, computação em nuvem e comunicações unificadas.

“Procergs e Badesul entram com o seu know-how em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) e a Huawei fornecerá soluções, tecnologias e todo o suporte técnico necessário”, afirma o texto, o que é um pouco estranho, visto que o Badesul é um banco de fomento e não uma empresa de tecnologia.

O mais provável é que o Badesul financie a operação de alguma maneira, mas o comunicado do governo não dá detalhes nesse sentido.

Ainda no mês passado, o banco estatal de fomento gaúcho liberou uma verba de R$ 6 milhões para projetos de cidades digitais de até 17 cidades gaúchas com até 50 mil habitantes.

Em agosto, o presidente do Badesul, Marcelo Lopes, e o presidente da Procergs, Carlson Aquistapasse estarão na sede da empresa na China para discutir a fabricação de produtos no Rio Grande do Sul.

A Huawei abriu recentemente dois centros de P&D no Brasil. Um deles está em Campinas, onde a pesquisa é voltada para redes 4G em parceria com o CpqD. Outro centro é operado em parceria com a Brisa, instituto de pesquisa e desenvolvimento ligado ao governo federal em Salvador, na Bahia, onde o foco é virtualização das funções de rede (NFV), comunicações unificadas (UC) e sistemas multimídia via IP (IMS).

A Huawei possui uma rede de centros de P&D conectados ao redor do mundo, que contam com cerca de 70 mil profissionais. Em 2013, a Huawei investiu mais de US$ 5 bilhões em pesquisa e desenvolvimento globalmente.
No país há mais de 15 anos, a Huawei do Brasil atua no mercado nacional de banda larga fixa e móvel com parcerias estabelecidas com as principais operadoras do país.

A empresa tem operações em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba e Recife, além de possuir um centro de treinamento em Campinas e um centro de distribuição em Sorocaba.

Em agosto do ano passado, a companhia anunciou a fabricação brasileira de smartphones em parceria com a Compal Electronics em sua planta na cidade de Jundiaí, interior paulista, com um investimento de R$ 5 milhões até 2014, com previsão de produção de 100 mil unidades do modelo G510 exclusivamente para abastecimento do mercado brasileiro.

O acordo foi assinado em meio a uma saraivada de parcerias entre os dois países divulgada durante o evento. A presidente Dilma Rousseff e o presidente da China, Xi Jinping, assinaram cerca de 30 atos em áreas como aviação civil, energia, sistema financeiro, infraestrutura, educação, mineração, tecnologia, resseguros, construção e agricultura.

O Rio Grande do Sul conduz há algum tempo sua própria estratégia de aproximação com a China, incluindo missões empresariais ao país. O maior resultado até agora é a vinda da fábrica de caminhões da Foton para Guaíba, um investimento no valor de R$ 250 milhões.

Maurício Renner / Baguete

Terminal de ônibus Parobé tem bloqueio total neste fim de semana

18/07/2014
Intervenção é necessária para obra de recuperação do Mercado Público  Foto: Evandro Oliveira/PMPA

Intervenção é necessária para obra de recuperação do Mercado Público  Foto: Evandro Oliveira/PMPA

Em razão da continuidade das obras de recuperação do Mercado Público, no Centro Histórico, o terminal de ônibus Parobé sofrerá bloqueio total para os trabalhos somente neste fim de semana, sábado, 19, e domingo, 20. A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) deslocou os pontos de parada das linhas para as vias próximas.

Ao todo, 25 linhas de ônibus serão afetadas. Agentes de trânsito intensificarão o monitoramento na região para alertar os usuários sobre as mudanças.

Veja a localização das paradas provisórios na área central:

525 – Rio Branco/Anita; 510 – Auxiliadora; 431 – Carlos Gomes
Rua Vigário José Inácio, entre a avenidas Voluntários da Pátria e Júlio de Castilhos

C3 – Circular
Av. Júlio de Castilhos, entre Marechal Floriano e Vigário José Inácio

438 – Santana; 439 – São Manoel
Praça Revolução, ao lado da Estação Mercado do Trensurb

429 – Protásio / Iguatemi; 430 – Bela Vista / Anita; 433 – Vila Jardim; 436 – Jardim Ipê;
Rua Gal. Câmara, entre a Av. Mauá e Rua Siqueira Campos

671 – Carlos Gomes / Salso ; 441 – Antônio de Carvalho
Av. Borges de Medeiros entre Av. Mauá e Av. Júlio de Castilhos:

731 – Parque dos Maias / Sertório; 631 – Parque dos Maias; D73 – Diretão / via Fernando Ferrari; TR 61 – Cristovão Colombo
Av. Júlio de Castilhos, entre a Praça Parobé e Av. Borges de Medeiros:

721 – Nova Gleba / Santa Rosa/Sertório; 621 – Nova Gleba/Santa Rosa; 727 – Agostinho/Sertório; 627 – Agostinho; 761 – Leopoldina/Sertório; 661 – Leopoldina
Av. Júlio de Castilhos, entre a Praça Parobé e Rua Chaves Barcelos:

762 – Rubem Berta/Sertório
Av. Júlio de Castilhos entre a Rua Chaves Barcelos e a Rua Carlos Chagas:

756 – Passo das Pedras/Sertório; 656 – Passo das Pedras/Fapa
Av. Júlio de Castilhos entre a Rua Carlos Chagas e a Rua Coronel Vicente.

Prefeitura de Porto Alegre

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 5.538 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: