Skip to content

Porto Alegre é a cidade com mais de 1 milhão de habitantes com menor crescimento da população

29/04/2011

 

Capital está entre as 15 cidades mais populosas do Brasil. Foto: Anderson Vaz

Entre o grupo de 15 cidades brasileiras com mais de 1 milhão de habitantes Porto Alegre teve o menor crescimento populacional na última década, segundo dados do Censo Demográfico 2010 divulgados hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A capital gaúcha, que conta com população de 1.409.351 de pessoas teve incremento anual de apenas 0,35% ao ano.

Entre os outros municípios brasileiros com mais de 1 milhão de habitantes, Manaus foi o que mais cresceu, com uma taxa de 2,51% ao ano. Ele passou de nono para sétimo mais populoso. Brasília passou de sexto para quarto, com um crescimento médio anual de 2,28%.

Os três municípios mais populosos continuaram sendo São Paulo (11.253.503 habitantes), Rio de Janeiro (6.320.446) e Salvador (2.675.656). Belo Horizonte (2.375.151) passou a ser o sexto mais populoso em 2010, sendo superado por Brasília (2.570.160) e Fortaleza (2.452.185).

As capitais das regiões Norte e Nordeste cresceram mais que os demais municípios de seus respectivos Estados, com exceção do Pará, Maranhão, Rio Grande do Norte e Pernambuco. A maior diferença entre as taxas de crescimento anual foi observada no Tocantins, onde Palmas — a capital que mais cresceu no Brasil — apresentou uma taxa de 5,21%, enquanto os demais municípios do Estado cresceram 1,25% ao ano.

As Regiões Sul (21,3%) e Centro-Oeste (8,4%) aumentaram suas participações no número de municípios do País, já que na última década foram justamente essas regiões as mais contempladas com novos municípios. A Região Sul teve um incremento de 29 municípios (todos eles no Rio Grande do Sul), enquanto no Centro-Oeste surgiram 20 novos municípios no período de 2000 a 2010, sendo 15 deles no Mato Grosso.

Na Região Sul, Curitiba e Florianópolis cresceram mais que o conjunto dos demais municípios de seus estados, enquanto Porto Alegre cresceu menos que os outros municípios do Rio Grande do Sul.

Na Região Centro-Oeste, com exceção do Mato Grosso do Sul, o crescimento dos municípios das capitais foi menor que o dos demais municípios, ocorrendo o mesmo em todos os estados do Sudeste.

Rio Grande do Sul é o Estado com menor crescimento populacional em 10 anos, diz IBGE

População brasileira somou cerca de 190 milhões de habitantes no ano passado

O Rio Grande do Sul foi o Estado brasileiro que menos cresceu entre os anos de 2000 e 2010, segundo revela a sinopse do Censo 2010, divulgada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Houve crescimento de 5,03% na década (uma diferença de 512.180 mil novos habitantes).

Apesar do crescimento significativo da população em quase 140 anos, entre 2000 e 2010 o Brasil registrou crescimento médio anual de 1,17% – a menor taxa observada na série. No período, as maiores taxas de crescimento foram observadas nas regiões Norte (2,09%) e Centro-Oeste (1,91%).

O levantamento também aponta redução no número de moradores em 25% das cidades brasileiras e o crescimento mais acentuado dos municípios médios.

A Região Sul, apesar do incremento de 29 municípios (todos eles no Rio Grande do Sul), foi a que menos cresceu em população. Desde o Censo de 1970, a região vinha apresentando crescimento anual de cerca de 1,4%, e ficou com índice de 0,97% este ano. Mesmo assim, segue entre as regiões mais populosas, que são Sudeste (com 42,1% da população brasileira), Nordeste (27,8%) e Sul (14,4%).

Os estados mais populosos do Brasil — São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Bahia, Rio Grande do Sul e Paraná — concentram, em conjunto, 58,7% da população total do País. São Paulo é o estado com a maior concentração municipal de população, onde os 32 maiores municípios (5,0%) concentram quase 60,0% dos moradores do estado. A menor concentração acontece no Maranhão, onde a população dos 11 maiores municípios, que também representam cerca de 5,0%, corresponde a 35,4% do total do estado.

ZERO HORA

About these ads
36 Comentários leave one →
  1. RicardoUK permalink
    29/04/2011 19:10

    Isso e’ excelente na minha opiniao.

  2. jecléclér permalink
    29/04/2011 21:47

    Crescimento populacional = desenvolvimento

    Lembro do estudo das pirâmides no tempo da escola, natalidade mais baixa e muitos idosos.

  3. Marcio permalink
    29/04/2011 21:48

    Não acho isso excelente. Não se pode crescer a taxas chinesas, mas esse crescimento pífio tem mais haver com estagnação econômica que outra coisa.

  4. Ricardo permalink
    29/04/2011 22:07

    A expressão ”estagnação econômica” é a bola da vez.

  5. Marcos permalink
    29/04/2011 23:35

    Este crescimento quase nulo não acontece apenas pelas taxas de natalidade/mortalidade, mas também acontece pelas migrações. Acredito que Porto Alegre tem um saldo praticamente zero de migrações, ou até negativo. E isso sim ocorre por causa da economia, que parece mais dinâmica em outras regiões do país.

    Todo mundo que eu conheço reclama, dizendo que os melhores amigos estão tentando a vida em outros lugares do país ou do mundo. Como sabemos, Pequenópolis está parada no tempo. Caso a cidade de desenvolvesse ao invés de murchar, com certeza atrairia gente, como foi no passado.

  6. Felipe X permalink
    30/04/2011 1:12

    Quanto menos portoalegrenses melhor. A cidade já cresceu que chega.

  7. Marcio permalink
    30/04/2011 3:33

    O saldo é negativo. ZH há alguns anos mostrou um cálculo de que a cidade perde 6 mil habitantes ao ano. Quanto a este comentário “Quanto menos portoalegrenses melhor. A cidade já cresceu que chega”, sem de forma alguma querer ofender a quem o escreveu acredito que ele resume a visão tacanha que muitos têm sobre a cidade. Por isso é que não passamos de uma velha provincia.

  8. Ricardo permalink
    30/04/2011 9:37

    A esse baixo crescimento temos de necessariamente acrescentar o fato de o RS ter o maior número de idosos proporcionalmente e a menor taxa de natalidade do Brasil. E Porto Alegre tem o maior número de octogenários dentre as capitais. Muito cuidado ao analisar dados frios de crescimento populacional. Isso engloba muita coisa.

  9. JULIÃO permalink
    30/04/2011 10:24

    Acho bom esse crescimento populacional menor; pois, se vier acompanhada de crescimento econômico, significa que teremos mais riqueza dividida por menos pessoas e estado terá mais recursos com menos pessoas para atender em termos de serviços públicos, possibilitando mais conforto para todos.

    Foi assim que países ricos se tornaram desenvolvidos.

  10. 30/04/2011 11:46

    Só quero dar uma outra interpretação ao resultado do censo.

    Estamos numa janela de transição que vários demógrafos consideram o momento exato para a tomada de boas decisões, explico.

    Neste momento a população como um todo não cresce, porém a faixa etária mais numerosa está em torno dos 20 a 25 anos, ou seja, pessoas que estão entrando no mercado de trabalho.

    Pressões de serviços públicos para escolas, creches e maternidades diminuem, nos próximos anos as escolas de segundo grau começaram a diminuir o número de alunos (as de primeiro grau, já estão diminuindo). A necessidade de asilos e coisas para velhos como eu, ainda são marginais. Em resumo a relação de ativos/inativos deve ainda crescer nos próximos 15 anos.

    Estamos no momento de resolver problemas que ainda não existem (na intensidade que existirão) e por isto são mais fáceis de serem resolvidos, como aposentadorias e pensões. Para quem tem acima dos 55 anos pode ficar tranqüilo quanto a sua aposentadoria, agora quem tem abaixo dos 30 tem que começar a se preocupar.

  11. Augusto permalink
    30/04/2011 15:25

    Eu gostaria de ver um estudo estatísco completo sobre a relação imigração x emigração (inter-cidades)
    Aposto que Poa é a capital que teve mais pessoas migrando para outras cidades e, consequentemente, isso influiu nos números do seu menor crescimento populacional em relação á demais capitais. Tem muita gente que não aguenta mais morar aqui…e com toda razão.

  12. Augusto permalink
    30/04/2011 15:29

    “Quanto menos portoalegrenses melhor. A cidade já cresceu que chega.”

    O problema não está no número meretrizes…mas na competência da cafetina.

  13. Augusto permalink
    30/04/2011 15:30

    “Isso e’ excelente na minha opiniao.”

    É? Por quê?

  14. Augusto permalink
    30/04/2011 15:38

    Vamos desmistificar aqui e agora o argumento de uma cidade melhor por ter menos gente.

    Digamos que Poa perca todos os cidadãos que cumprem as leis, que não sujam a cidade, que têm bons empregos, profissionais bem sucedidos, que são produtivos, que pagam impostos em dia. Sobraria apenas uma rafuagem. Porto Alegre teria então, digamos….50% da sua população atual. Será que seria uma cidade melhor? haha..nem me perguntem, porque eu certamente não ficaria aqui pra ver.

  15. RicardoUK permalink
    30/04/2011 17:06

    Ha’ algumas razoes obvias do porque tanto o RS quanto POA terem baixo crescimento populacional em comparacao ao resto do Brasil. Poderia citar (em relacao a outros estados) mulheres mais educadas e independentes, PIB per capita alto e melhor educacao no geral. Ja’ foi provado que em sociedades onde o PIB per capita e a educacao sao maiores, o crescimento da populacao e’ menor.

    Malthus ja’ dizia que as pessoas precisam da restricao moral de nao sair fazendo filhos sem que tenham condicoes de sustenta-los. Quem sou eu pra discordar dele!

  16. Augusto permalink
    30/04/2011 17:28

    “Ha’ algumas razoes obvias do porque tanto o RS quanto POA terem baixo crescimento populacional em comparacao ao resto do Brasil. Poderia citar (em relacao a outros estados) mulheres mais educadas e independentes, PIB per capita alto e melhor educacao no geral”

    Mostra as fontes de pesquisa.

  17. Augusto permalink
    30/04/2011 17:35

    “PIB per capita alto.” Tu estás vendo muito casamento real aí em Londres. Perdeste definitivamente o contato com a torre.

    Cara…sinceramente…diz uma coisa pra nós; tu estás tirando um sarro com a cara da gente aqui no blog ou fumaste um daqueles cachimbos da paz que rolam por aí?

  18. Augusto permalink
    30/04/2011 17:37

    “Malthus ja’ dizia que as pessoas precisam da restricao moral de nao sair fazendo filhos sem que tenham condicoes de sustenta-los”

    Sim…de hoje em diante vai ser só nas coxas. Tudo com muita restrição moral.

  19. RicardoUK permalink
    30/04/2011 17:51

    PIB per capita capitais (2008-IBGE)
    1- Brasilia = R$45.977
    2- Sao Paulo = R$32.xxx (32mil e pouco, nao anotei)
    3- PORTO ALEGRE = R$25,712
    4- Rio de Janeiro = R$25.121
    ps. Vitoria tem o maior pib mas nao inclui pq e’ uma cidade pequena. Brasilia eu tambem nem consideraria por ser a capital do Brasil, na verdade eles nao produzem nada la’.
    —————
    EDUCACAO

    http://www2.portoalegre.rs.gov.br/cs/default.php?reg=75361&p_secao=3&di=2007-06-20

    POA top 3 entre as capitais em taxa de alfabetizacao. Dos 64 municipios de menor analfabetismo, 40 sao do RS.
    ————–
    Se quiser mais info va’ procurar no Google, IBGE, etc.

  20. RicardoUK permalink
    30/04/2011 17:53

    “PIB per capita alto.” Tu estás vendo muito casamento real aí em Londres. Perdeste definitivamente o contato com a torre.
    ————————

    Eu coloquei la’ “em relacao a outros estados”, mas dona Augusta ta’ ficando velha e com cataratas fica dificil de ler ne’.

  21. Augusto permalink
    30/04/2011 18:08

    Explique o “quanto menos gente, melhor”. A sala aguarda.

  22. Augusto permalink
    30/04/2011 18:14

    Ficamos todos reconfortados com os dados do IBGE 2008 aqui em poa, Richard. Que bom que somos mais educados e endinheirados. Nota-se bem esse reflexo no nosso dia a dia.

  23. Augusto permalink
    30/04/2011 18:17

    “Se quiser mais info va’ procurar no Google, IBGE, etc.”

    O cotidiano porto-alegrense é muito mais eloquente…te garanto.

  24. Filipe Wels permalink
    30/04/2011 18:59

    Aqueles que ainda insiste que baixo crescimento populacional é ruim, sugiro que procurem pelo artigo “Porto Alegre, a cidade que não quer crescer” , onde desmistifiquei isso.

    E nao vou escrever tudo de novo.

    • 30/04/2011 19:06

      O artigo está aqui:

      http://portoimagem.wordpress.com/2009/01/15/porto-alegre-a-cidade-que-nao-quer-crescer/

  25. portofan permalink
    30/04/2011 20:42

    RicardoUK, como todo o respeito mesmo, e digo isso sem ironias, pois tenho um grande apreço por todos os que aqui discutimos no blog, inclusive por você, pois, concordando ou divergindo, todos nós temos um interesse comum, o bem da nossa capital e de todo o nosso estado, cada um acreditando à sua maneira que o que pessoalmente se acredita seria o melhor para todos nós.

    Mas acredito que o pensamento de que ainda somos isso, aquilo e aquilo outro é um argumento retrógrado, ainda que tais dados sejam recentes, pois ainda são frutos até mesmo de coisas que ainda são colhidas mas foram plantadas décadas atrás quando o RS ainda ilfluenciava no contexto nacional.

    É totalmente ultrapassado pensar que somos o máximo e que o povo do nordeste é ignorante e por aí a fora. Flao com conhecimento. Não passei pelo nordeste à passeio, em pacote da CVC de 8 dias, não. Já tive a experiência de morar alguns anos no nordeste e seguidamente faço essa ponte sul/nordeste. O povo nordestino é culto também. Tive que rir dessa história de que as taxas são baixas porque as gaúchas são culta e se cuidam. Te garanto que aquelas famílias nordestinas com uma penca de filhos são mais esteriótipo do que a generalidade. Existe sim, nas vilas, nos grotões. Mas vá você visitar uma vila porto-alegrense para ver se também não há 10 pessoas dividindo um cômodo.

    Tenho amigos que vão com a família toda anualmente para o Natal Luz, gente que esteve mais vezes em Buenos Aires do que toda a minha família junto. E não falo de uma única família e nem mesmo da classe abastada. Falo de várias famílias e da classe média mesmo. A nossa classe média gaúcha quer algo diferente e sobe para o nordeste anualmente nas férias. Eles fazem o mesmo descendo para o RS, PR, Argentina, Chile e Uruguai. Tenho amigos nordestinos que inclusive veraneiam em SC e já estiveram em reveillón em Punta, esses mais basatados, ok. Conheço gente simples muito mais culta no nordeste do que as mentes gaúchas imaginam, gente que lê machado de assis (não por obrigação escolar), que l~e os grandes filósofos, que admira arte. A imagem que os gaúchos tem do resto do Brasil é ainda a mesma que tinham na década de 60, quando realmente tinhamos algo de diferente para nos vangloriarmos. Quero dizer que o Brasil é Brasil de norte a sul, temos que parar com essa mania de superioridade. Na prática esses índices não dizem muita coisa.

    O que interessa é que há uma grande massa saindo de POA e do RS, sim, em busca de melhores condições de vida, e estão encontrando isso em outras regiões do país, até mesmo em SC e PR. O governo federal pode até dar ajuda ao nordeste de alguma forma, mas não é o fator determinante, seria subestimar a capacidade dos nossos irmãos, até memso porque temos exemplos de êxodo de gaúchos até mesmo para outros estados da própria região sul.

    A prova que estamos estagnados é que não há gente vindo para o RS. Antes o foco era SP. Agora rotineiramente é noticiado que o fluxo está se invertendo e não é exclusivamente pelo insucesso em SP não, é porque o nordeste está crescendo. Mas tem muita gente do país inteiro migrando para o norte e centro-oeste também e até mesmo PR e Curitiba estão virando uma babel de brasileiros das maisn diversas partes do País. Só o RS está de fora disso, pois as pessoas só vão atrás de onde está o crescimento. Estamos virando o Uruguai, como falou aqui no Blog um colega, feio e bonito ao mesmo tempo, mas estamos figurando no mapa do país, assim como o faz o uruguai no mapa da américa do sul.

    Enquanto acharmos que está tudo certo, nada mudará. O gaúcho tem que se mexer, se auto-reiventar, ser dinâmico, menos tradicional e conservador, menos bairrista e até mesmo menos separatista, parar de achar que somos a filial da euopa no país, a suiça brasileira, um verdadeiro oásis e por aí vai. Nosso RS está ficando abandonado, e não é só pobre que está deixando o RS em busca de melhores oportunidades não. A classe abastada tem se aposentado e subido para o nordeste e está dividindo porta-a-porta seus apartamentos com europeus e americanos, às pencas também.

    Se o RS não acordar urgentemente mesmo, urgentemente com todos os mentementementemente possíveis para demosntrar a pressa não não grita, urge, vamos acabar virando um estado decadente e, quem sabe, ironicamente acabaremos sendo “expulsos” do país, por falta de interesse de coabitarem conosco.

  26. RicardoUK permalink
    30/04/2011 21:09

    Eu vejo muita gente dando chutes mas pouca colocando fontes. O amigo do sogro da vizinha que foi morar em Garopaba atras de praia nao indica um exodo populacional lol. Coloque a fonte! Tambem mostre algum estudo que demonstre que a migracao interna e’ benefica (certamente nao foi para SP ou RJ, e tambem nao esta’ sendo pra Floripa – o crime e as favelas aumentaram consideravelmente por la’). Eu queria era que imigrantes ricos do interior da Inglaterra viessem pra ca’, pessoal de outros estados nao faz falta. Os operarios do Maranhao que vieram construir a Arena (eu achava que ninguem vinha pro RS veja so’!), eu quero que eles voltem pra casa deles apos o termino da obra! A proposito, o gaucho sempre foi um povo desbravador, levando civilizacao aos barbaros ao norte do Mampituba (hehe ok, eu exagerei um pouco nessa lol). Por fim, o RS tem uma barreira natural contra os migrantes: o frio. Eu acho otimo!

  27. portofan permalink
    30/04/2011 21:23

    Bah, parece que vejo meu avô gaudério lá dos rincões passado falando. Não é o amigo do sogro da vizinha de garopada que foi atrás de praia não. Essa migração da classe abastada gaúcha rumo ao nordeste já foi abordada divesras vezes, sendo matéria e comparada à migração dos aposentados das regiões gélidas dos EUA rumo à Flórida e atualmente até mesmo rumo à moderna cidade do panamá, mais barata que os condomínios americanos da flórida. Mas confesso que estou com preguiça de ir atrás, se não quiser acreditar ok. Sempre provei tudo o que disse aqui no blog e o que falei aqui não foi chute. Acredito que esta parte certamente não foi direcionada para mim.

    E o frio não é barreira, pois tem muito carioca e nordestino trabalhando em SC e PR, especialmente em Curitiba. E as obras da Arena em POA? Mais uma vez ri do esteriótipo. Aí está um exemplo de trabalho quase “escravo” de uma construtora que trouxe pessoas para trabalhar em uma obra, não é um exemplo migratório natural e mostra um preconceito de gente que acredita que nordestino só serve para ser operário e empregada doméstica.

    Outra, dizer que o povo gaúcho resolveu os problemas do resto do país é superestimar demais a nossa capacidade. realmente a nossa contribuição é importantíssima no centro-oeste e em parte do norte do país e de SC e do oeste de SP. Mas não fomos os únicos. E no nordeste, em específico, a onda de gaúchos é algo mais recente, não, não fomos nós que acabamos com a seca no nordeste e nem fizemos chover no sertão.

  28. portofan permalink
    30/04/2011 21:24

    digo oeste do pr

  29. portofan permalink
    30/04/2011 22:35

    Filipe Wels, li o teu texto agora através do link que o Gilberto colocou acima e achei excelente! Deveriam juná-lo com o texto do David Coimbra e distribuir nas escolas desde o Jardim de Infância para ver se a nova geração cresce mais arejada, longe do mofo dos velhos pensamentos. Confesso que fiquei perplexo com alguns comentários que li agora lá, feitos à época do teu post, explica o porquê de tudo o que está aí.

    Torçamos para que a nossa querida zona sul não vire mesmo uma zona leste paulistana, como tu mencionantes. A tendência se continuar assim é a zona sul cada vez mais ter condomínios horizontais na orla e a terrível semelhança com a zona leste paulistana na parte inteior da zona sul. Aquela região tinha tudo para virar uma “ponta negra de Manaus”, uma Barra da Tijuca Carioca, uma parte da cidade inteira totalmente nova, quem sabe aos moldes de uma Barcelona da Vida. Prefiro uma orla como a do Leblon e Ipanema, mesmo que não possa morar numa cobertura da vieira souto, mas possa usufruir da orla, do que a orla do jeito que está. Vejo muita semelhança, pela extensão da área, entre o nosso extremo sul e a barra. Se aquele projeto que Yeda queria implementar fosse tocado adiante, de ligar o litoral norte à zona sul do estado via prolongamento de estradas e ponte sobre o guaíba no extremo sul da cidade, creio que aquela região sofreria uma grande oxigenação, se o plano diretor da cidade fosse mudado. Mas quando se defende algo em poa logo acusam estar agindo conforme interesse das construtoras da cidade. Se não posso morar molhando os meus pés na água, então que a orla fique lá inutilizada e eu nem passe perto dela, não estou nem aí.

  30. Augusto permalink
    01/05/2011 12:27

    ” A proposito, o gaucho sempre foi um povo desbravador, levando civilizacao ”

    Só desbravaram novas terras, porque na terra na qual viviam as oportunidades desapareceram e a qualidade de vida despencou.
    Se cá estivesso bom, eles permaneceriam.
    Os fluxos migratórios são assim. Quando está ruim num lugar e surge uma insatisfação, uma das alternativas mais lógicas é procurar outro lugar pra viver e trabalhar. A propósito…por que tu foste morar em Londres?

  31. Phil permalink
    02/05/2011 12:39

    Deveriam contratar os Afrikaners para virem trabalhar no RS…eles estao sendo trucidados por la’ e o RS precisa de mao de obra em certos setores, entao esta ai.

  32. Getulio permalink
    02/05/2011 19:17

    Baixo crescimento populacional com crescimento econômico e uma administração competente pode transformar Porto Alegre numa ótima cidade para se viver.

  33. paranaense permalink
    23/08/2012 2:05

    bom na minha humilde opinião, é de que isso tem a ver com o desenvolvimento humano. e não econômico. as pessoas com mais altos níveis de escolaridade realmente tem uma família e uma vida planejada.
    e nem muitos querem até mesmo ter uma família, é o que ocorre nos países desenvolvidos ex: japão o governo até incentiva e paga em dinheiro para que casais possam ter mais filhos …

  34. mario nunes permalink
    07/11/2013 17:24

    Sou Paraense e hoje moro em Porto Alegre…., amo esta cidade, gosto daqui. Mas temos visto uma política muito fraca, se nas últimas décadas cresceu tanto porque agora não cresceu porque falta uma política abrangente, educação, saúde, empresas, transporte…. isso temos mais podermos melhorar mais e mais basta os políticos trabalhem pela unidade do Estado e tragam novidades isso atraem novas pessoas, estrutura atraem novas empresas…. isso é crescimento, não podem viver do passado, porque se ficar olhando só pro passado vai ficar pra trás hoje é 6° mais já foi 2°, meu desejo é que seja a primeira capital do Brasil em termo de desenvolvimento em todas as áreas.

  35. 07/01/2014 19:36

    Porto alegre devia crescer mais seu percentual esta baixo porto alegre tenque tem mais economia os vereadores estao roubando dinheiro

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 5.764 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: