Skip to content

Comentário de um gaúcho radicado no Rio de Janeiro

31/05/2011

O comentário abaixo, de um gaúcho radicado no Rio, é referente ao  post VERGONHA, DESCASO, ATRASO, publicado em 31/07/2010, pelo Ricardo Haberland.

O comentário foi postado no post de origem, mas como o post era de 2010, trago para a parte principal do Blog, em forma de post. Vale  a pena ler.

Realmente, adorei a matéria! Sou apaixonado pela nossa Capital e a vejo com olhos apaixonados! Para mim, é o lugar mais lindo do Planeta, mas acho que devemos enfatizar o potencial turístico que ela possui e que não é utilizado! Porto Alegre tem uma localização privilegiada no mapa do Brasil e um dos mais lindos cartões postais, que é a orla do Guaíba!

Moro no Rio de Janeiro e vejo como, apesar dos GRANDES problemas que o carioca vive, a cidade aproveita em todos os pontos o seu potencial turístico, até mesmo, com obras faraônicas! E convenhamos, gostemos ou não, o Rio de Janeiro é a “única” cidade do Brasil, conhecida lá fora, o que foi conquistado também pela construção das estátuas do Cristo Redentor e bondes do Pão de Açúcar, que possibilitam vistas únicas e privilegiadas da bela cidade! Belezas naturais? Também, indiscutíveis, mas principalmente, por ter uma estrutura com acomodações e lugares muito bem aproveitados, por visionários!

Está na hora de Porto Alegre crescer na mentalidade de seu povo e mostrar para o mundo além da força de nossa cultura e tradições marcantes, a força do interior, da indiscutível bela região Serrana, mostrarmos que também temos lugares belos em uma das capitais mais charmosas da América Latina. Podemos tornar Porto Alegre um destino tão interessante quanto e mais acessível que Buenos Aires, p.ex.

Aqui no Rio vejo muitos amigos com vontade de conhecer a capital argentina para aproveitar o frio (que também temos), assistir apresentações culturais locais, de Tango, aliados à belos passeios em ruas limpas, bonitas, belos Cafés, comércio e noite fortes, como Puerto Madero, passeios de barco, jantares românticos em restaurantes. Como pode a Porto dos Casais não oferecer nada disso??? Nenhum quiosque à beira do Guaíba para vislumbrar a paisagem degustando um Chopp, ou ao menos um deck ao lado do Gasômetro onde pudessemos sentar para namorar em um final de tarde, beber um bom vinho Gaúcho, comer um Fondue ou beber um Chopp com petiscos, ao som de um Jazz, MPB, MPG, ou enfim… Temos que ir à Serra de Gramado, Nova Petrópolis ou Bento Gonçalves para termos coisas de qualidade, com preços acessíveis? Porto Alegre realmente tem que acordar e ver que o mundo pode ser maior do que parece ser. Todas as grandes cidades do mundo, um dia foram sonhadas. London Eye, Estátua da Liberdade, Torre Eiffel, CN Tower, bonde do Pão de Açúcar, Cristo Redentor, Teleférico de Camboriú, Ponte Hercílio Luz, entre tantos outros pontos turísticos conhecidos mundialmente e que atraem milhares, milhões de turistas, dinheiro e investidores, mídia, todos os anos. É um cíclo!

Um ponto que vejo meus conterrâneos reclamarem muito do “centro do país” (e que também reclamava antes de sair do RS), é que as notícias nacionais se concentram basicamente no eixo Rio-São Paulo. Cá entre nós, Porto Alegre não está passando de mais uma das muitas Capitais do Brasil. Temos de torná-la “A Capital do Sul do Brasil”, ou seja, um centro de referência. Ultimamente ouço mais notícias de Curitiba e Florianópolis do que de Porto Alegre, o que já foi diferente. Qual o verdadeiro diferencial de Porto Alegre? O que temos a oferecer a mais que as outras capitais? O Rio tem as belezas naturais e um estilo de vida que está ganhando o mundo, com músicas como o Samba a Bossa Nova e até o Funk (não gosto do Samba e Funk, mas temos que admitir que estão difundidos em todo o País e tocam em todas as festas, inclusive no Rio Grande do Sul, assim como o Axé e Forró!), São Paulo é o maior centro Econômico do Brasil e um dos maiores do mundo, Brasília é a Capital Federal, o Nordeste tem suas belas praias. E Porto Alegre? Temos uma bela cidade, tradição cultural e política, temperaturas bem definidas no ano, forte ligação com o resto do Brasil, Argentina e Uruguai, alem da educação do povo, mas não vendemos nada disso! Não mostramos isso ao mundo! A única forma de fazermos isso é trazendo turistas até nós, atiçando a curiosidade dos turistas de alguma forma. A Música Popular Gaúcha tem muita qualidade que deve ser explorada. Temos excelentes escritores, artistas, atores, atletas, cantores, empresários, modelos, todos profissionais respeitados, conhecidos e presentes no mundo todo. Uma Capital que produz tantos talentos pode e deve ser muito mais que uma simples cidade provinciana, como tem se vendido nos últimos 200 anos.

Um gaúcho no Rio


About these ads
9 Comentários leave one →
  1. 31/05/2011 0:44

    Infelizmente a educação antigamente tão enfatizada e tratada com seriedade pelo portoalegrense está sendo tratada com um grande descaso. Apesar de enormes esforços para implantar uma doutrinação partidária esquerdista, não se tem mais um ensino de qualidade que prepare as crianças e adolescentes em idade escolar para uma cidadania plena, comprometida com o local onde vivem, tampouco uma noção de cuidado e respeito pelo patrimônio público, que se vê desde a praga das pichações até lixo descartado incorretamente e que possa acabar entupindo bueiros e atraindo pragas urbanas como baratas e ratos.

  2. everton permalink
    31/05/2011 2:05

    Daniel, que educação é essa do passado – que preparou para a cidadania plena – que vc esta tao saudosista?

    Para analisarmos todas as mudanças sofridas na vida social da cidade de POA, é algo que não devemos reduzir a especulações de suposições.

    São muitas as variaveis que influenciam as atitudes nada amistosas da população portoalegrense em relação interpessoal urbana e seus equipamentos.

    Nota-se que muitos não se reconhecem na própria cidade que constroi. Será isso uma atitude defensiva ou ofensiva frente a algo subjacente nas relações politicas, economicas e politicas, expressas na própria cidade??

    Também, não entendi, o que defende como processo educativo para melhorar as atitudes da população em geral?

    Educação pelo que saiba vai além das escolas, se apreende em todos os niveis da vida social…

    Quanto aos comentarios do Gaucho que vive no RJ, concordo que a cidade tem um grande potencial paisagistico e patrimonial, mas deve-se fazer muito para que possamos usufruir de forma mais adequada e tranquila, além de romper com sua visão um tanto provinciana, ufanista e umbilical que se perpetua no nosso meio.

    Esta ocorrendo uma série de intervenções do poder público e privado ( vários projetos) fragmentados pela cidade, espero que isso se junte num projeto de recuperação e melhoria urbana, vendo a cidade como um todo e sabendo aonde queremos chegar…parece estar sem rumo…e humanizando essa cidade que esta cada vez mais caótica, agressiva e triste.

    • 31/05/2011 23:58

      Processo educativo para melhorar as atitudes da população em geral pode começar acabando com essa hipocrisia e paternalismo de deixar a vagabundagem fazer o que quer – eu quero mais é ver a Brigada dando PORRADA em nóia de crack. E não vem me falar em “humanização do espaço público” que pelo que eu vejo andando pelo centro parece que a esquerda acha que humanização é deixar qualquer obra decente visando a qualificação do centro virar cama de mendigo depois das 9 da noite.

  3. RicardoUK permalink
    31/05/2011 7:13

    Eu tava lendo a noticia de que o Bope vai ocupar uma das favelas la do Rio com blindados da Marinha (http://odia.terra.com.br/portal/rio/html/2011/5/bope_ocupara_a_mangueira_com_blindados_da_marinha_167932.html) e falei comigo mesmo “esta e’ uma cidade que aproveita seu potencial turistico realmente”. Ate’ nao sei porque os cariocas nao fazem passeios turisticos no Caveirao ou podiam vender pacotes turisticos que incluam invasao de favelas com o BOPE, sei la’, tem muito potencial ainda a ser explorado.

  4. marcelo permalink*
    31/05/2011 8:23

    Acho que há muitas muitas MUITAS décadas os prefeitos dessa capital não tiveram uma estatura à altura dela. Um após o outro só se preocupou com o próximo mandato, nenhum traçou planos ousados ou pensou a longo prazo. Esta cidade continua sem um símbolo, uma atração turística de peso: poderia ser o porto remodelado, poderia ser uma orla do Guaíba a la Barcelona, ou a construção de um oceanário ou uma torre de observação a la CN Tower.

    Como no hay playas e belezas naturais exuberantes, deveríamos ter nos esforçado em dobro para criar algo que atraisse turistas do Brasil para cá – e os abocanhasse por uma semana antes deles fugirem para Gramado.

  5. Portofan permalink
    31/05/2011 8:26

    Ai ai. É por isso que a nossa cidade não muda e NUNCA MAIS MUDARÁ.

    É só alguém trazer alguma idéia ou tecer experiências de outros lugares para vir o típico porto-alegrense nato e detonar a cidade citada e suas iniciativas.

    RicardoUK, você é o típico porto-alegrense que queremos bem longe de Poa. Uma pessoa que sempre detona qualquer iniciativa sugerida para Poa, sempre se justifica dizendo que as outras cidades do mundo são pujantemente belas porque são ricas e que não o somos porque somos pobres e portanto nunca poderemos esperar nada do que há de bom fora do Brasil.

    E quando a iniciativa é brasileira, logo te apressas e corres para achincalhar e apedrejar a cidade pontualmente citada, como se isso aliviasse de alguma forma a consciência pelo fato de termos parado no tempo.

    Encare a realidade. O rapaz que mora no Rio está certíssimo. Poa tem um beto potencial devido à existência de uma área de orla e ao pôr-do-sol, e só. Tudo no plano plano poético, nada de real para se ver. Falta atratividade, apelo turístico, sequer temos algum ponto turístico relevante ou símbolo marcante e expressivo representando a cidade.

    Já o Rio criou símbolos marcantes que o tornou conhecido no mundo todo. E a tua ironia e deboche não mudam isso. E te informo que há um jeep tour na Rocinha e os gringos adoram, bem como há diversos hostels nas favelas cariocas e o público que se hospeda é gringo. Pra ti ver, até as favelas deles, com seus bondinhos, teleféricos, trenzinhos e elevador panorâmico são explorados turisticamente. Todo mundo sabe que o Rio tem as suas grandes mazelas, mas isso não torna descartáveis as suas boas iniciativas. Temos muito a aprender com o Rio no quesito turismo.

    E o que me deixa mais triste é que já passou quase um ano do comentário dele e não há qualquer sinal de mudança à vista. Nem no papel a cidade evoluiu, pois sequer há novos projetos para a área. Pelo contrário, tudo indica que Tarso dará ao cais o mesmo destino fatídico do Pontal do Estaleiro.

  6. Rafael Bortolon permalink
    31/05/2011 8:39

    Realmente, temos tudo para dar certo mas nada fazemos para que dê certo!

    Temos a bonita cultura dos pampas pra mostrar (mesmo não gostando de certos aspectos da cultura gaúcha), temos as águas do Guaíba para navegar, temos os morros para admirar a paisagem, dois grandes clubes, ótimos restaurantes, um povo hospitaleiro.

    Boa parte disso não é aproveitada. Não temos mirantes, não temos um cais turístico, não temos praças decentes, ruas bem pavimentadas e limpas.

    No mesmo estado temos casos de sucesso em promoção turística, como é o caso da Serra Gaúcha, nacionalmente conhecida.

    Por que esta essência turística não existe aqui? Eis a questão…

  7. Portofan permalink
    31/05/2011 10:43

    A impressão que tenho é que os nossos administradores pensam que somos o que somos e nos resta divulgar o que temos, elegendo entre os pontos que temos algum para ser o nosso símbolo, como o caso do Laçador e da Usina.

    Parece que não entendem que todos os pontos turísticos do mundo foram concebidos e criados. Até a natureza é trabalhada. Nem a nossa orla é totalmente natural, pois em grande parte decorre de um aterro artificial.

    E o Laçador é pequeno para ser alçado à condição de símbolo da cidade. O desenho e o que representa são até de certa forma merecedores, mas o seu porte/tamanho não. Vide as estátuas referência, como o Cristo, que é grande e ainda por cima pode ser avistado por quase toda a cidade que está à seus pés, e a Estátua da Liberdade, em que fisicamente é possível subir até o seu topo.

    Paris tem a Torre Eiffel, Roma o Coliseu, Sidney o Ópera House, Toronto a CN Tower, todos pontos símbolos de grande porte e relevância.

    Os atuais administradores atuais se queixam de falta de recursos, mas ignoram um recurso inexistente na era dos nossos antepassados do aterro, as parcerias com a iniciativa privada. Hoje em dia o mundo todo passa a concepção, construção e administração de grandes feitos para a iniciativa privada. Acabou a desculpa de falta de caixa.

  8. Adriano Silva permalink
    31/05/2011 19:49

    Esqueçam de turismo. No Brasil há uma cultura de deixar o turismo apenas para o que a “natureza nos deu”. Fora intelectuais, os administradores públicos nem mesmo entendem o conceito de criação do turismo atraves de monumentos. Mesmo quando parcialmente entendem, não compreendem que poderiam apenas estimular isto atraves de incentivos à investimentos privados. Quando talvez entendam ainda isto, são contrários à incentivos privados por motivos ideológicos.

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 5.550 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: