Skip to content

Londres inaugura maior edifício da Europa

09/07/2012

The Shard

Doze anos depois do lançamento do projeto, o The Shard foi inaugurado com pompa e circunstância na quinta-feira, em Londres.

Trata-se do mais alto edifício da Europa, mas estes 310 metros de altura não têm só admiradores.

O momento escolhido não poderia ter sido melhor. O novo ícone da cidade está pronto a tempo dos Jogos Olímpicos, que arrancam no final deste mês e esperam receber dois milhões de visitantes.

Com a sua silhueta esguia, no topo os 87 andares do edifício há uma vista panorâmica de 360 graus sobre a capital britânica. Este poderá tornar-se uma das atrações turísticas de Londres, “tal como o Empire State Building em Nova Iorque”, diz Irvine Sellar, presidente da Sellar Property, o responsável pelo projeto.

Assinado pelo arquiteto italiano Renzo Piano, o Shard está localizado do lado sul do Tamisa, cujas margens foram submetidas a projetos de renovação em todas as direções.

The Shard – Foto: moley75 – Flickr

Esta é uma “pequena cidade vertical” de 12 mil pessoas, afirma o arquiteto. Além de um hotel de cinco estrelas, o edifício terá restaurantes de luxo e 600 mil metros quadrados de escritórios e lojas.

Quem desejar viver ali precisa de ter uma sólida conta bancária, porque os dez apartamentos, que usufruem de uma vista deslumbrante já que estão localizados entre o 53º e 65º andares, serão vendidos entre os 46 e 62 milhões de euros.

A torre, que reflete o céu de Londres no seu exterior de vidro, começou a ser construída em 2009. O desenvolvimento deste projeto milionário tem sido lento, principalmente perante a crise financeira que tem atingido vários países da Europa.

A construção do Shard levantou contestação, acabando por envolver também a UNESCO. Os defensores do património aquitetônico da cidade dizem que o novo edifício está mal localizado pois prejudica a vista da Catedral de São Paulo e do Parlamento.

A UNESCO também deu o seu parecer sobre o assunto, frizando que a construção interferia na “integridade visual” da Torre de Londres, inscrita no Património Mundial.

Um jornalista do “The Observer” resumiu a polémica dizendo que o Shard “é elegante, está no lugar errado, é uma destas torres que o mundo inveja, é uma fortaleza para os mais ricos, é um ícone de Londres: na verdade, é um pouco de tudo de uma só vez”. E é também o edifício mais alto da Europa mas por pouco tempo. Será destronado, dentro de alguns anos, pela Torre da Federação, em Moscovo, e pela Hermitage Plaza, em Paris.

Fotos feitas por Gerson Ibias, na inauguração:

Fonte: Diário de Pernambuco

About these ads
63 Comentários leave one →
  1. Jose Sperb permalink
    09/07/2012 13:42

    Apesar do Plano Diretor não permitir os espigões e em tese concordar com a norma, essa construção é um ícone da arquitetura que qualquer urbanista acolheria em uma metrópole. Poderíamos acolher uma construção desse tipo e não duas, em nossa metrópole, com especificações e locais de construção bem definidas, seja um desafio para as construtoras carentes!

    • 09/07/2012 14:57

      Concordo plenamente!

    • 10/07/2012 16:01

      Me custa a acreditar que9 pessoas não iam querer The Shard aqui.
      Dito isto, são construções como essa que separam o Primeiro do Terceiro Mundo. Sem mais comentários.

  2. Guilherme permalink
    09/07/2012 13:52

    É que a europa é o terror pra quem se preocupa com a natureza e a qualidade de vida, é um estilo horrivel de viver, o fim dos tempos esta chegando, e boa parte da culpa é deles, esse espigão vai criar um furacão gigante que vai começar a devorar o mundo, nos levando para outra dimensão, e ai os et’s vão acabar conosco.
    Malditos europeus, canadenses, paulistas, americanos, só nos da capital da qualidade de vida que estamos certos.. eles estão errados…

    • Carlos A permalink
      09/07/2012 17:00

      Já que o Guilherme tocou no assunto, foram fotografados objetos estranhos,,brilhantes e voadores, quando da inauguração…

  3. Muller permalink
    09/07/2012 14:26

    É isso ai Guilherme, os europeus não tem mais qualidade de vida com esses espições, imagina mais de 300m em Moscou e até Paris, isso é um absurdo. Só nos estamos certos e ninguém entende isso…

    • Guilherme permalink
      09/07/2012 14:48

      Pior é que eu ja vi algumas pessoas duvidando da qualidade de vida na europa, falando que o padrão europeu não é nada, que quando começaram a construir algumas coisas, tudo piorou…

    • Felipe X permalink
      09/07/2012 16:22

      De moscou sei pouco, mas paris tem uma estação de metrô a cada km, é uma diferença importante no adensamento da cidade.

      • Pablo permalink
        09/07/2012 16:41

        A rede de transporte público em Moscou é excelente! Imagina em uma cidade maior que São Paulo cruzar de ponta a ponta pelo centro em 1h e 15min de metrô?
        Fora isso tem bondes, ônibus, vans, barcos e trens intermunicipais, além dos trens de longa distância…
        Claro que os veículos são extremamente velhos, mas isso não é impedimento nenhum para eficiência, ao contrário de Porto Alegre que é tudo novo e não funciona.

      • Felipe X permalink
        09/07/2012 17:03

        Pois é, esse é meu ponto, quando leio a frase “os europeus não tem mais qualidade de vida com esses espições” dá a impressão que fazendo espigões vamos ter qualidade de vida. Eles tem toda uma estrutura que os permite ter espigões sem que causa impactos na qualidade de vida.

  4. Tulio Ramos permalink
    09/07/2012 14:30

    “Moscovo”… bah, o pessoal do Diário de Pernabuco nem se deu o trabalho de arrumar a tradução do português de Portugal para o do Brasil… No entanto, boa reportagem. Esse prédio é demais. Um desses na Carlos Gomes ficaria excelente. O contraste com a velha Londres dá um toque especial.

    • VOP. permalink
      09/07/2012 15:06

      Que Carlos Gomes nada! Viva o Centro, ocuppy Guaíba!

      • 10/07/2012 9:31

        Carlos Gomes é a nossa Paulista! hahaha

  5. marcelo permalink
    09/07/2012 15:00

    começou o ataque pseudoengraçadinho dos taradinhos do espigão.

    • Guilherme permalink
      09/07/2012 16:05

      Começou o ataque dos pseudosespecialistasemurbanizaçãoequalidadedevida taradinhos por provincias

      • Felipe X permalink
        09/07/2012 16:22

        Começaram os trolls hehehehehe

      • Carlos A permalink
        09/07/2012 17:05

        TODOS amamos a Avenida Atlântica e o skyline de Balneario Camboriu…

      • Felipe X permalink
        09/07/2012 18:03

        Bem, o skyline de POA eu acho legal também, mas quando ando no centro acho péssimo. O skyline de Camboriu é lindo, mas quando pegas sombra na praia as 15hs eu simplesmente não entendo.

  6. RicardoUK permalink
    09/07/2012 15:19

    O bom seria ter um Plano Diretor que liberasse totalmente a construcao de predios bonitos e elegantes apenas, e em regioes bem especificas (Carlos Gomes e entorno do Centro Administrativo), o que provavelmente seja impossivel de fazer. Nao sei como fazem na Europa e nos EUA, mas se tu libera geral em POA, o que nos veriamos seria, basicamente, pombais da Rossi no estilo-Jardim Europa com 40 ou 50 andares por toda a cidade. Talvez aparecesse um ou outro Trend City com o dobro de altura, mas seriam pouquissimos em comparacao. Entao, querendo ou nao, o Plano Diretor barra grandes projetos, e’ verdade, mas tambem barra os milhares de blocoes comunistas de 40 andares que a Rossi estaria salivando para construir.

    • VOP. permalink
      09/07/2012 15:47

      Verdade. Se é pra encher de espigões, que continue assim. Acho que tem muita gente do skyscrapercity nesse blog, que medem o valor das cidades pela altura dos prédios. Claro que seria perfeito prédios altos no Centro, mas nos tornaríamos uma pequena São Paulo. De qualquer jeito, nosso plano diretor é rígido entre aspas, já que é bem fácil burlá-lo, vide futuro empreendimentos de 24 andares da OAS no terreno do Olímpico (se preparem, pior projeto da história de Porto Alegre, pra destruir a Azenha ainda mais) e as torres laranjas à la Curitiba na Bento.

      • Guilherme permalink
        09/07/2012 16:07

        Ai é que ta, 10 uma coisa feia de até 20 e poucos andares pode, uma coisa bonita de 50 andares não pode..
        haha

    • Guilherme permalink
      09/07/2012 16:03

      Deveria ter uma regra, apartir de 20 andares, só passando por um grupo de arquitetos para aprovação.
      Se for feio, não pode, se for bonito, liberado.
      Mas apenas em algumas regiões.

      • marcelo permalink
        09/07/2012 17:09

        o que é “feio”, e o que é “bonito”?. Quem é o pseudoespecialista em urbanização?

    • 10/07/2012 20:47

      Falou tudo, RicardoUK!

  7. Carlos Fernando permalink
    09/07/2012 15:50

    Renda per capita em Londres: em torno de R$120 mil por ano
    Renda per capita em Porto Alegre: em torno de R$27 mile

    PIB de Porto Alegre: em torno de R$40 bilhões
    PIB do Rio Grande do Sul: em torno de R$300 bilhões
    PIB de Londres: em torno de R$1 trilhão.

    • Guilherme permalink
      09/07/2012 16:04

      E?

      Pega outras cidades de terceiro mundo e compara, tem cidades bem pior que Porto Alegre, com prédios muito maiores e mais belos.. No que isso vai mudar?

    • 09/07/2012 17:05

      O cara quer comparar a capital de um país riquíssimo com uma simples cidade de país emergente.

    • Felipe permalink
      10/07/2012 4:09

      Olha, comparação meio estranha, pois londes tem 7, 7 milhões de habitantes, começa por aí, e mais, tem qa questão da libra, a moeda deles vale quase 3 vezes o real, elas por elas, então só isso já inflaciona o PIB nessa comparaçõa, e mais, é uma comparação que nao cabe né, é como comparar coréia do norte com coréia do sul … menos. Mas nada impede que melhoremos e nossa realidade seja parecida com outras melhores.

      • 10/07/2012 9:42

        Isso foi uma tentativa de dizer que o PIB de Londres só é maior pelo número de habitantes e pela moeda? Estou rindo, já volto.

      • Felipe permalink
        10/07/2012 16:49

        Olha, acho que vc tá com algum problema de alfabetização! Foi isso que eu disse ali em cima??? Melhor tentar reler, se souber ler! Fiz uma explanação geral, mas o detalhe era pra quem interpretasse conforme a realidade dos fatos! Leia de novo.

      • 11/07/2012 22:40

        SE EU SOUBER LER? hahahah Não vou nem me prestar a responder.

  8. Felipe X permalink
    09/07/2012 16:16

    Honestamente achei que os espigólatras iam aparecer mais hehehe.

  9. Felipe X permalink
    09/07/2012 16:20

    Enfim, acho que seria interessante ter exceções onde poderiam ser construídos edifícios deste tipo aqui em POA. Mas discordo com a opção mais óbvia, que seria aa Carlos Gomes, visto que nossos super urbanistas conseguiram fazer um metrô sem paradas na perimetral.

    Resumindo, acho que deveria ser liberado em alguma região com fácil acesso ao metrô além de outras facilidades de transporte público. Notem que o próprio The Shard fica a 0,3 milhas (de acordo com o google maps), ou seja, aproximadamente 500m de uma estação de metrô.

    Na real, acho que o limite de altura poderia ser aumentado em toda extensão do metrô, principalmente bem próximo as paradas.

    • Guilherme permalink
      09/07/2012 17:04

      Ja falaram sobre aumentar o limite de altura nas regiões do metrô, só não sei bem como vai ser a idéia..

  10. 09/07/2012 16:22

    Acho interessante que muitos “espigófobos” concluem que nós, que somos a favor de prédios um pouco mais altos, queremos que Porto Alegre vire uma São Paulo ou mesmo uma espécie de Camboriu, haja visto a quantidade de vezes que citam o Balneário como exemplo a não ser seguido.
    Enganam-se. Ninguém de sã consciência desejaria isso.
    O que eu almejo é um ícone para Porto Alegre, uma torre que marcaria a cidade. Não precisaria ser no centro, ou até poderia ser. Mas o importante é que ficasse localizado em uma área capaz de absorver o movimento que seria gerado pela sua presença. Poderia abrigar ao mesmo tempo, um hotel, salas comerciais, apartamentos residenciais. E não precisaria ter estes 87 andares do prédio de Londres. Poderia ser os 42 do de Gravataí. Mas que fosse um marco arquitetônico para a cidade.
    Pena que esse meu desejo não passe de um sonho numa sociedade atrasada e com legisladores atrasados.

    • Felipe X permalink
      09/07/2012 16:28

      Que as intenções são boas ninguém entende. Eu honestamente não entendo muito por que, mas acho que POA teve uma arquitetura legal na época do neoclássico, art nuveeu, etc mas desde os anos 50-60 sempre tivemos uma arquitetura horrível (salvas as exceções, claro). As próprias “torres” que saem hoje, festejadas por alguns, como os dois Trend ou anexas a shoppings são caixotes de vidro. Honestamente acho que se deixassem fazer o dobro de altura só iam estiar o mesmo projeto mais para cima.

      • Felipe X permalink
        09/07/2012 16:43

        Me corrigindo, a primeira frase era pra ser “Que as intenções são boas ninguém duvida” :D

      • Jose Sperb permalink
        09/07/2012 16:52

        Ninguém está propondo um liberalismo para construção de espigões, mas a permissão única e regulamentada até em sua concepção, para construção de um prédio ícone de Porto Alegre.

      • Felipe X permalink
        09/07/2012 17:01

        Na teoria é legal, mas quem daria o aval? Um novo órgão? Algum já existente? Como não virar um jogo de amigos?

        E não sei, nunca ouvi falar (em democracias liberais) de se fazer todo movimento para um único prédio ícone, a idéia não seria é criar uma regra que a partir de certa altura, devido ao impacto na cidade, o prédio passaria por mais aprovações que uma construção “normal”?

      • Jose Sperb permalink
        09/07/2012 17:48

        Não sou legislador nem urbanista, mas que regras diferenciadas deveriam ser impostas, você está correto. E também quanto ao número dessas na cidade, Acho que deve deve ser uma proposição/legislação bem definida que desafie as construtoras e desestimulando os pombais e caixotes. A construção de uma obra desse vulto deveria está alicerçada a um complexo urbanístico envolvendo segurança, saúde, hospitalidade, trabalho, transporte, alimentação, lazer, esporte, vestuário, um condomínio com jeito de prefeitura no comando.

    • Felipe X permalink
      09/07/2012 16:29

      Até os prédios públicos hoje em dia são sem graça. Ao lado do Trend (original), está saindo algum prédio novo do judiciário, não lembro o que exatamente. Não está pronto, mas acho bem sem graça. E pensar que antigamente os prédios públicos eram feitos para criar algum impacto (paço municipal, bibioteca estadual, palácio piratini, etc). Fica parecendo uma tendência, ser moderno só por ser, sei lá.

      • Carlos A permalink
        10/07/2012 21:48

        Felipe, vc já imaginou belas Escolas, bem aparelhadas, bons laboratórios, bons banheiros, bons ginásios, bem ajardinadas e gramadas? Onde nossos/as brasileirinh/os/as fossem ‘com gosto’? Sempre pensei nisto! Agora, com funcionária meio-turno da AL ganhando R$ 20.000.00, é claro que faltará verba para o ‘despertar’ da transformação…

    • marcelo permalink
      09/07/2012 17:21

      e vcs, “espigólatras”, têm a ilusão que um volume no horizonte vai melhorar a vida da cidade, quando na verdade o que melhora a vida é o que é feito na escala humana. Um prédio destes não é um simbolo da cidade, é um simbolo de uma corporação. Cidades belas são cidades equilibradas, temos que melhorar o todo, e não cravar um totem no meio da cidade, para que se olhe apenas para o totem, ao invés de olhar o todo. como o cameron sinclair disse numa entrevista: “enquanto meus colegas de faculdades queriam construir prédios que fossem jóias, eu queria fazer cidades que fossem jóias”.

      • Guilherme permalink
        09/07/2012 20:38

        Quem faz um prédio não é quem organiza a cidade.
        A cidade é sua população, um prédio é apenas um prédio, ele até vai fazer parte da cidade, mas quem faz o prédio não é o cara que controla as finanças da cidade, não é o cara que vai educar o povo pra ensinar a não jogar lixo no chão, não é o cara que vai fazer a orla (a não ser que receba por isso..)
        Cada coisa tem seu ponto, não tem por que dar de desculpa para não fazer um marco arquitetonico na cidade, um ponto conhecido, esse tipo de coisa.
        Um prédio não vai ser o fim da cidade, ainda bem se bem pensado, pode ser até a solução para a cidade.

    • Carlos Fernando permalink
      09/07/2012 20:19

      Não tenho nada contra prédios grandes, inclusive sou a favor do adensamento da região central, especialmente nas principais avenidas.

      Só não vejo que grande necessidade de construir um arranha-céu pra fazer bonito.

  11. Muller permalink
    09/07/2012 18:07

    Desde 2008 que participo dos comentários do Portoimagem, venho notando que vem aumentando o número de pessoas que são contra qualquer prédio que possa vir a ser um ícone para Porto Alegre, e se falar que ele vai ser muito alto, ai então mexe mais ainda com os provincianos. A maioria me parece serem estudantes em arquitetura ou até formados com inveja que alguém possa aparecer com algum projeto que não sejam os seus. Todo e qualquer projeto que aparece por aqui, sempre tem alguém contra, alegando arquitetura feia, etc., mas o que viria se ser o tal “bonito” para todos? Está na hora de pensarmos na cidade, algo que atraia turistas, uma orla bonita, (Manaus da de10x0) o Cais que não está saindo dos projetos, o Pontal que foi abortado por ignorancia pura, e um prédio alto icônico, que seja apenas um somente. Incrivel também como as pessoas que leem os comentários não são capazes sequer de identificar uma ironia como foi o caso do meu primeiro post aqui. Tenho inveja dos londrinos no bom sentido que agora passam a ter com certeza um dos melhores pontos de observação nas alturas de toda a Europa, assim como é a Torre Eiffel em Paris, e lembrar que ao contruir a mesma, quase toda a população foi contra, achando ela um monstro de ferro. Acorda Porto Alegre!

    • marcelo permalink
      09/07/2012 18:16

      ironia bem feita é aquela que não precisa ser explicada. e querer ser irônico não significa ser engraçado. e, por fim, provincianismo pra mim é querer macaquear “cidade grande” achando que vai atrair turista, ao invés de investir no bem da cidade.

  12. 09/07/2012 18:07

    fico com o ibere, CCMQ e futuro centro cultural da caixa como icones para porto alegre. Esse de londres em si achei feio. E o que faz o simbolo, a altura ou a historia?

  13. Leandro Leite permalink
    09/07/2012 18:39

    Alguém sabem quantas vagas para carros terá ?

    Não descobri quantas vagas para carros terão esse prédio. Lembrando que serão 12mil pessoas nesse imovel.

    Se fosse em POA, imovel residencia precisaria 2 vagas no minimo para cada apartamento. Brincando alguns 10 andares ou mais de estacionamento.

    Mas creio que vai ser que nem o padrão de Nova York, ou seja, sem estacionamento.

    Logo, duvido que alguem em POA compre algum imovel deste preço sem lugar para colocar seu carro. Fica inviável qualquer empreendimento sem que seja reservado 1 vaga.

    • Felipe X permalink
      09/07/2012 21:29

      Esse é um bom ponto, e possivelmente relacionado com ter uma estação de metrô a 500m, ser bem no centro, etc.

    • 10/07/2012 22:00

      Esse aí eu não sei, mas o novo complexo do World Trade Center, em Nova York, tem previsão para apenas 200 vagas de garagem. http://blogs.estadao.com.br/jt-cidades/sp-14-da-area-construida-e-so-para-carros/

  14. Ricardo permalink
    09/07/2012 18:55

    Sou uma pessoa bem leiga no assunto Urbanismo.Qual o problema de se criarem espigões na cidade?Tem a ver apenas com mudanças bruscas na arquitetura?

    • 10/07/2012 12:23

      Ricardo até onde sei tem a ver com vários fatores como: Para a construção em si, coisas básicas como o solo, a rede de esgotos da região, as redes elétricas e etc…A termos de urbanismo em si, fatores como se a região onde será construído comporta o fluxo de pessoas que usará este edificio ( oferta de transporte público na região, malha rodoviária no entorno/ avenidas ou ruas que comportem o numero de veículos que acessarão o mesmo), com certeza a questão da arquitetura do entorno tambem tem que ser levada em consideração, lembrando que a harmonia em um conjunto tem que ser respeitada tentando integrar, de alguma forma, a nova construção com o entorno. Não sou contra edíficios ícones como o pessoal tá chamando aqui, acho inclusive essenciais para ajudar a compor a identidade de uma cidade. PARA AJUDAR. Recuperar o que JÁ TEMOS tambem é importante. Com certeza uma obra de bom gosto bem no centro da nossa capital pode sim ajudar a valorizar nosso centro… Mas não é só isso!

  15. 09/07/2012 20:00

    Senhores.

    Não vou comentar sobre arquitetura, pois pouco conheço sobre o assunto, só achei o máximo do esculacho a ponte do Tâmisa com aquele símbolo fálico imenso que talvez demostra algum sentimento de impotência diante ao futuro, mas isto já é outro assunto.

    Porém vou falar sobre algo que conheço, energia. A Europa é o continente mais insustentável do mundo, eles vivem baseado no petróleo barato e outras fontes de energia térmica (nucleares ou não) dependendo do resto do mundo para tudo.

    Eu sempre gosto de fazer algumas comparações, mas neste caso vou me restringir a Inglaterra. O Reino Unido tem uma área de 243,610km² e uma população de 64.000.000 de habitantes. Se tomarmos a superfície do Brasil de 8,514,877km² corresponde a 35 vezes a área do Reino Unido, fazendo uma continha resulta que se tivéssemos a
    mesma densidade populacional do Reino Unido, deveríamos ter, tchan, tchan
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    2.236.000.000 habitantes, ou seja, se olharmos com cuidado eles realmente tem que fazer edifícios altos para que caibam o excesso de população que eles têm.

    O que representa isto, que eles tem que continuar saqueando os outros países para continuar a subsistir (petróleo, minérios e proteína, em geral).

    Não acho que devemos procurar um modelo Europeu para nosso modo de vida, pois ele é baseado na dependência extrema dos países do chamado “terceiro mundo” para sobreviver, para quem gosta do termo “pegada ecológica”, nós temos uma pegada ecológica eles tem uma “patada” ecológica. Se eles tem uma infraestrutura de metrô, saneamento básico e outras é porque a Índia é miserável! Qual é a relação? É direta, o Reino Unido se dá o luxo de ter uma Rainha é porque durante séculos eles saquearam outros países continuando sempre com a tradição flibusteira dos séculos XVI e XVII, só que agora é através da Citi.

    • Carlos Fernando permalink
      09/07/2012 20:25

      Não concordo com tudo, mas a ideia básica é precisa. Não precisamos copiar o modelo deles só pra ter um arranha-céu pra poder virar cartão postal.

      Me preocuparia mais em parar de destruir e achar formas rentáveis de conservar os prédios antigos e tombados, limpar o centro e tornar circulável à noite, explorar bem a orla, enfim, isso seria muito mais prático pra alavancar a atratividade de Porto Alegre que um edifício cheio de vidro pra cartão postal.

    • Felipe X permalink
      09/07/2012 21:39

      Se perdeu feio dizendo que eles podem “se dar ao luxo de ter a Rainha”, visto que a Rainha custa menos para o governo do que o presidente americano, por exemplo. O brasileiro sim deve ser o mais caro de todos hehehe

      Mas em relação a explorar os outros países, é isso aí mesmo. Por exemplo, dê uma lida sobre como o Irã deixou de ser uma democraia lá pelos anos 60 por que a inglaterra não gostou que o país resolveu nacionalizar o petróleo.

    • Diogo permalink
      10/07/2012 12:51

      “O que representa isto, que eles tem que continuar saqueando os outros países para continuar a subsistir (petróleo, minérios e proteína, em geral).”

      Que besteira sem tamanho.

      • 10/07/2012 18:41

        Diogo.

        Besteira? Então vamos aos fatos, primeiro o último balanço positivo em conta corrente que os Ingleses tiveram foi em setembro de 1998 e a partir deste momento o seu balanço é sempre negativo, este déficit está sendo coberto pela venda de ativos e por endividamento.

        Para dar uma noção mais precisa coloquei um pequeno texto que retirei de um site econômico Inglês:

        “O Reino Unido informou um déficit em conta corrente equivalente a 8,45 bilhões de libras no quarto trimestre de 2011. Historicamente, desde 1946 até 2011, o Reino Unido Conta Corrente média -1,0500 bilhões GBP chegar a um momento alto de 338,0 mil milhões de libras esterlinas em dezembro de 1950 e um recorde de baixa de -330,0000 milhões de libras esterlinas em dezembro de 1951. Conta corrente é a soma do saldo da balança comercial (exportações menos importações de bens e serviços), rendimentos líquidos de factores (tais como juros e dividendos) e transferências líquidas (como a ajuda externa). Esta página inclui um gráfico com os dados históricos para o Reino Unido conta atual.”

        Somando a tudo isto temos diversos fatores reais, tais como a energia é baseada em importações de petróleo e gás, a agricultura que produz 60% do que eles consomem também é baseada em petróleo e gás, as exportações industriais caem a cada dia, só restando o setor financeiro. Qualquer país latino-americano que estivesse com um perfil desta forma seria considerado insolvente.

      • 10/07/2012 18:44

        Diogo

        Se quiseres ter uma noção exata do rombo das contas inglesas olhe em:
        http://www.ukpublicspending.co.uk/uk_national_debt

      • 10/07/2012 22:51

        Diogo,

        O mesmo país que deu título de “Sir” a um dos maiores piratas da história (Francis Drake) é o mesmo país que mantém hoje o maior número de paraísos fiscais sob a seu domínio, em regimes de dependência parcial e extremamente conveniente (Bermudas, Ilhas Virgens, Ilhas Cayman, Jersey, Ilha de Man, e por aí vai).

        Isso não é coincidência.

    • Carlos A permalink
      10/07/2012 22:02

      Vamos ler mais História! Império Britânico foi nos séculos XVIII e XIX o maior vilão do Mundo: usurpou, enrolou, massacrou e anexou tudo o que pode… Até o Brasilis quase cai nas garras deles. Fomos salvos por um dos mais antigos tratados comerciais entre dois países: Reino Unido e Portugal. Lamento mas Union Jack não serve de exemplo.

  16. Guilherme permalink
    09/07/2012 20:42

    Pior é que ninguem quer um arranha céu de 300 metros de altura, é apenas um prédio com uma boa arquitetura, de uns 40 andares, algo basico no mundo, e até mesmo no Brasil, mas que aqui, as pessoas acham que vai criar um tunel ninja destruidor de poneis que vai acabar com o mundo.

  17. 10/07/2012 22:56

    Impressão minha ou esse novo prédio de Londres tem uma certa semelhança com aquele hotel que é o cartão-postal da Coréia do Norte?

    http://obviousmag.org/archives/2009/09/hotel_ryugyong.html

    Parafraseando o poetinha: “Os prédios feios que me perdoem, mas beleza é fundamental.”

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 5.537 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: