Câmara retoma debate do Pontal

Vereadores podem votar amanhã proposta para ocupação do antigo Estaleiro Só

Um dos temas mais polêmicos da Capital nos últimos anos deverá ser analisado pelos vereadores. Depois de dois adiamentos, está marcada para amanhã a votação do projeto que prevê a ocupação da área do antigo Estaleiro Só para a construção de prédios comerciais e residenciais.Assinada por 17 parlamentares, a proposta quer mudar a lei sobre o uso do complexo de 60 mil metros quadrados às margens do Guaíba. Mesmo sendo uma área particular, a legislação permite a exploração privada somente para fins culturais.

O projeto busca permitir a construção de salas comerciais, apartamentos, bares e restaurantes. Um plano da BM Par Empreendimentos prevê quatro edifícios residenciais de 12 andares, uma torre comercial e uma torre para flat.Assim como quase todas as propostas envolvendo o Guaíba, a iniciativa gerou debates. Os contrários chamam de “privatização” do espaço.

– O projeto é muito bonito, mas privilegia uma visão da cidade subordinada aos interesses privados – diz o Carlos Todeschini (PT).

Para tentar derrubar a proposta, representantes do Fórum Municipal da Entidades começaram um corpo a corpo com os vereadores pedindo o “não”.

O grupo – formado por representantes de ambientalistas e de moradores dos bairros – promete fazer amanhã um vigília.– Isso é um tapa na cara da cidade.

É uma área de interesse cultural que não pode ser usada comercialmente – defende Paulo Gilberto de Moraes Guarnieri, secretário do Fórum.
Entidades favoráveis à proposta também partiram atrás de apoio. No domingo, a ONG Move-Poa recolheu assinaturas na Usina do Gasômetro.
– Vai criar um espaço público qualificado, com segurança, beleza e conforto numa área que está abandonada há 21 anos – observa Gilberto Simon, um dos diretores da Move-Poa.
O vereador Alceu Brasinha (PTB), um dos autores da proposta, diz ainda que a construção irá gerar emprego e impostos para o município. Em meio à polêmica, já há articulações para adiar novamente a votação – agora, para depois do segundo turno.
– Não há clima político para a votação – diz o vereador Professor Garcia (PMDB).
Os argumentos…
…DE QUEM É CONTRA
> A orla deve ser aproveitada para projetos culturais, esportivos ou de lazer
> A construção de prédios privados irá privilegiar somente os compradores
> Será formado um paredão de concreto entre o Guaíba e a cidade. O projeto ainda traria prejuízos ambientais
…DE QUEM É A FAVOR
> Será revitalizada uma área que há mais de 20 anos está abandonada
> O empreendimento manterá espaços públicos para a circulação de pessoas
> A obra irá gerar empregos e impostos
> Será um atrativo turístico
O projeto:
Quatro prédios residenciais, com um total de 216 apartamentos
Área utilizada pelo empreendimento: 27,8 mil metros quadrados
Dois edifícios comerciais, com lojas, restaurantes e cafés nos térreos
Investimento: até
R$ 150 milhões
Os prédios seriam construídos a
uma distância mínima de 60 metros do Guaíba


Categorias:Uncategorized

Tags:, , , , , , ,

%d blogueiros gostam disto: