Câmara muda futuro da área do Estaleiro

Por 20 votos a 14, construção de prédios na orla do Guaíba irá agora para sanção do prefeito

Na mais longa e tumultuada sessão do ano, a Câmara de Vereadores aprovou ontem por 20 votos a favor e 14 contrários o projeto que possibilitará a construção do Pontal do Estaleiro Só, na zona sul da Capital.

Zero Hora, 13/11/2008

Zero Hora, 13/11/2008

Foram oito horas de discussões entre os vereadores e também por manifestações do público, que lotou o plenário. Os grupos contrários à iniciativa, liderados por movimentos sociais, ambientais e de estudantes, passaram a votação com mordaças verdes e seguraram cartazes para fazer um protesto. Do outro lado do plenário, empresários e estudantes aplaudiam a cada manifestação a favor do Pontal.

Os vereadores Haroldo de Souza (PMDB) e Alceu Brasinha (PTB), defensores da proposta, eram os principais alvos do grupo contrário, que tremulavam cédulas de dinheiro e jogavam moedas no plenário.

A oposição ao projeto, prevendo uma derrota, tentou adiar a votação. Usando um artifício do regimento interno, a bancada do PT e o vereador Beto Moesch (PP) encaminharam oito requerimentos para barrar a apreciação, mas acabaram todas reprovadas. A única surpresa foi a mudança de voto de Adeli Sell, que em carta explicou por que acompanhou a bancada do PT, contra o projeto.

Apesar de aprovada, a proposta segue sob ameaça. O projeto precisa ser sancionado pelo prefeito José Fogaça. Além disso, corre na Justiça a ação de Moesch, que pede a não validade da votação.

– Se tudo isso não der certo, nós entraremos como uma ação de inconstitucionalidade – apontou Moesch.

Mesmo assim, os empresários comemoraram. Rui Pizzato, diretor da BM Par, dona do terreno, declarou que as obras poderão ser iniciadas em 2010.

O estudo arquitetônico que prevê a construção prédios comerciais e residenciais e urbanização da orla terá de ser redimensionado em razão das emendas aprovadas ontem, que acabaram limitando parte do empreendimento. Uma das principais alterações é quanto à altura dos prédios. Foi retirado do texto original o limite de 43 metros para os edifícios. A decisão das alturas passará para a prefeitura.

Zero Hora, 13/11/2008



Categorias:Pontal do Estaleiro

Tags:,

%d blogueiros gostam disto: