Bilhetagem eletrônica se consagra: vem aí a união do Trensurb, Tri e Teu

A população da Grande Porto Alegre (4 milhões de habitantes) nem se deu conta de verdade, mas uma mudança enorme avança com rapidez incrível no sentido da modernização do atual sistema de atendimento aos passageiros dos ônibus e do trem.

Pelo menos dois consórcios, o TEU, da região metropolitana, e o TRI, de Porto Alegre, implementaram a bilhetagem eletrônica com sucesso e restam poucas providências para que fichas e tickets sejam varridos definitivamente para o lixo da história.

Neste momento, a Metroplan, órgão do governo estadual, desenvolve negociações delicadas com os consórcios TEU e TRI, visando integrá-los e articulá-los com o trem do Trensurb – e até com o restante da região.

Esta semana, o editor foi visitar o consórcio TEU e conversou com os diretores Ilso Pedro Menta e Erico Michels, que fecharam um ano no comando da implantação do sistema da região metropolitana. Fernando Lindner, gerente Operacional, também estava presente. A frota usada é de 1.750 ônibus (em Porto Alegre, que usa o sistema TRI, a frota é de 1.500 ônibus) e ela transporta 700 mil passageiros por dia.

A bilhetagem eletrônica racionaliza as operações para as empresas e para os usuários. Estes, sobretudo as empresas que não precisam mais entregar tickets ou fichas para seus empregados, apenas carregam os chips dos cartões via Internet.

O mercado secundário de fichas e cartões desempregou meio mundo na avenida Voluntários da Pátria, em Porto Alegre.

À medida que o sistema se articular e se consolidar, novas tarifas poderão ser implementadas, novas rotas mais racionais sairão organizadas e a integração permitirá o uso de tarifas únicas para vários percursos (desde este mês de novembro, a Sogal, de Canoas, abriu grátis o segundo percurso) e através de meios diferentes de transporte.

Trata-se de um jogo de ganha-ganha.

Polibio Braga



Categorias:Outros assuntos

Tags:, , , ,

2 respostas

  1. Gostei da idéia de colocar o cartão teu no tren também, espero que seja logo pois fica muito mais pratico.

    Curtir

  2. Na verdade, o TRI tem muuuito a melhorar. Não sei pq aquele leitor demora tanto pra reconhecer o cartão. Sou sócio do Grêmio e lá no olímpico as carteirinhas tem a mesma tecnologia de chips… e a catraca reconhece na hora! Nos ônibus demora uns 3 segundos. Pode parecer pouco, mas imagina um T4 na saída da puc com filas intermináveis… hehe… eu sei o que é isso…demora muito! Além disso, em alguns ônibus ficou um inferno para os idosos. Os novos articulados da Carris não têm porta “no meio”, só lá no fundo. E é lá que ficam as cadeiras pros idosos… pra uma pessoa com seus 70 anos, com dificuldades de locomoção, ter que atravessar um ônibus desse, em movimento… é brabo!!!

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: