Mais sobre o Estaleiro, por Políbio Braga

1) em 1947, o Estaleiro Só foi construído, empestou a região, impediu o povo de ir ao rio. Até agora. Está lá o monturo. Ninguém entra lá.

2) em 2002, constatando que a prefeitura não tem dinheiro e nem interesse na área, o prefeito Tarso Genro fez aprovar a lei 470, mudando a destinação do local, que era industrial, para comercial e de serviços, submetendo tudo ao Plano Diretor, ou seja, é a prefeitura, com base no disposto no Plano Diretor, que fixará alturas, volumetria, despejos cloacais, compensações (tem lei sobre compensações, com parâmetros bem definidos). Isto tudo está na lei, foi discutido, aprovado. Não é maluquice. São regras definidas em lei, após anos e anos de audiências públicas, audiência a técnicos e enormes debates na Câmara.

3) este ano, o vereador Brasinha apresentou projeto para mudar a destinação de uso comercial e de serviços, para também residencial. É da boa prática urbanistica. Neste aspecto, tudas colocações precisam ser bem entendidas, porque tem gente que está fazendo confusão na área sem saber ou porque sabe muito. O PSOL, derrotado humilhantemente nas urnas, foi ao prefeito José Fogaça, sexta, tentando assustá-lo. Fogaça parece assustado. Não devia. Essa gente não votou nele e quer que ele fracasse. É a vanguarda do atraso.

A CAMARA NÃO APROVOU O PONTAL, MAS A NOVA DESTINAÇÃO DE USO

1) LEGALIDADE – A iniciativa do projeto não é viciada. É da competência do Legislativo ou do Executivo. A Câmara só não teria competência caso se atrevesse a aprovar a edificação, atribuição exclusiva da prefeitura. Mente o PSOL. A Câmara não aprovou o projeto do Pontal, mas aprovou a alteração de destinação para multiuso, mantendo tudo o que o Plano Diretor e a lei de compensações exige, inclusive altura, volumetria, controle de despejos clocais – tudo o que a lei exige e define.

2) A LEI DIRÁ O QUE FAZER – Qualquer projeto que sair na área, só poderá sair na área, porque a Câmara decidiu apenas sobre o multiuso daquela área do Estaleiro Só e nenhuma outra. Cada caso, será um caso, se surgirem – e espero que surjam outros. Só sai projeto com aprovação da prefeitura, dentro do que a lei há anos e anos fixa claramente, depois de dezenas de audiências públicas, debates e o que for fixado nas leis. Se o Pontal for aprovado, será dentro dos critérios legais já existentes, mas se o projeto não se enquadrar, como qualquer outro, terá que pedir as contas e vender a área.

3) A ORLA ESTÁ NAS MÃOS DE MACONHEIROS, VAGABUNDOS, RATOS, MARICÁS E CAMPINHOS DE FUTEBOL – Vamos deixar aquilo ali entregue aos escombros, aos maricás, aos clubes de futebol que se adonaram da área defronte o shopping e não deixam ninguém passar ? Vamos ficar sem passarelas, ramblas, marinas, ciclovias, bares, restaurantes, serviços, prédios residenciais e comerciais em alturas compatíveis e espaçados, exatamente dentro do que já dispunha a lei ? Que diabo de bom senso é este ? Que diabo de cidade atrasada é esta que queremos ? isto é o fim da picada.

4) ATÉ ADELI SELL, DO PT, CHOROU POR SER OBRIGADO A VOTAR CONTRA O PROJETO – Leia o voto do Adeli Sell, do PT, postado aí do lado direito, porque ele se mostra envergonhado e chorou por ter votado contra. Fogaça tem que ouvir Adeli e seu secretário do Planejamento, José Fortunatti, em vez de ficar dando trela e foto para o PSOL.

5) LEIA E NÃO SE DEIXE EMPRENHAR PELA VANGUARDA DO ATRASO – Eu estudei cada linha das 92 páginas de todo o processo que está na Câmara, participei e ouvi todas as audiências públicas, como também compareci aos debates em plenário. Não falo por ouvir falar. Ninguém me paga por esta posição. Se alguém se atrever a insinuar qualquer coisa em contrário e se identificar, interpelo e meto na cadeia. É meu dever como comunicador e cidadão. Eu já fui governo em PortoAlegre. Aquela beira-rio do Collares, quem pagou fui eu, com o dinheiro dos contribuintes, como secretário da Fazenda. Sei o que os ressentidos, pervertidos, demagogos, populistas, politiqueiros, reacionários – a vanguarda do atraso – naquela ocasião, fizeram, para impedir a implementação de utilidades à beira da orla, o que nos tornaria uma belíssima Montevidéu ou Barcelona, com rambla e tudo – ou uma Puerto Madero, Pier 17 ou Navy Pier. O Projeto Cais do Porto não saiu até hoje por causa dessa gente atrasada e por falta de governantes corajosos e capazes de enfrentá-los.

Políbio Braga, 06/12/2008



Categorias:Gigante para Sempre (Beira Rio), ORLA, Pontal do Estaleiro, Projeto de Revitalização do Cais Mauá, Zona Sul

Tags:

3 respostas

  1. Talvez nao tenhas me entendido, concordo PLENAMENTE com tudo que disseste.
    Mas o que estou argumentando é: SERÁ QUE VAI SER SUSTENTÁVEL? Olhando para a proposta inicial do projeto, te parece sustentável?
    E a alteração da lei prevê alguma mudança de plano diretor no sentido de criar mais acessos pra zona sul?
    Será que nao deveriamos discutir o plano diretor e os novos acessos antes do projeto?
    Acho que alguns bolsos bem recheados nao vao barrar um projeto daquele tamanho.
    Tu nao concordas? Ah é um absurdo, mas acontece, ou nao acontece?
    Porto Alegre merece é um planejamento novo! Um novo plano, novas discussoes, e menos segregações, pelo amor de deus.
    É bom ter gente sensata e pensante como tu na mesma cidade que eu, Gilberto.
    Dá um certo alento.

    Curtir

  2. A zona sul é a nova área de crescimento da cidade, Lucas. Não há como impedir de a cidade crescer pra este lado. E o crescimento não justifica a inércia da Prefeitura. É necessário planejamento para abrir novas vias, alargar as já existentes. Não há como deixar como está. Em qualquer cidade do mundo o crescimento se dá desta maneira. Não quero também a cidade toda congestionada, uma quase São Paulo. Mas temos muitas alternativas pra desenvolvermos esta área, a zona sul, sem transformarmos ela numa zona norte. Os princípios são outros hoje em dia. Não tenho este medo. O que não aguento é a estagnação da cidade e esta estagnação pregada por muita gente instruída e que viaja muitas vezes pelo mundo e vêem como são as cidades de países desenvolvidos. Estou cheio de hipocrisia ! E quero ver a minha cidade cada vez mais bonita, em todos os lados, para todas as pessoas, todas as classes sociais, não só para o ricos usufruirem, toda a cidade tem direito de se desenvolver (de forma sustentável) e com isso tornarmo-nos uma cidade mais atrativa para o turismo e para o moradores. Isto influi na auto-estima dos seus habitantes. Quem gosta de dizer que é morador de uma cidade falida urbanisticamente, que trata a orla e o seu manancial d’água desta maneira ? As cidades não se podem dar ao luxo de não explorar economicamente as suas orlas, de forma que possa gerar empregos e renda para toda a população. Também não tenho carteirinha de nada, nem de partido, nemd e clube, a minha carteirinha é de cidadão que quer ver a cidade crescer. E eu amo a nossa cidade. Tanto que sou responsável por mostrar a cidade através das fotos do site Porto Imagem para todo mundo. Mas não consigo mostrar a nossa orla, tal é o abandono. E achar que a prefeitura deve investir nisso, está muito errado. A prefeitura tem que investir em saúde, habitação e melhores condições de vida para os cidadãos. Esta parte é da iniciativa privada. Será que todas as cidades que exploram a sua orla de forma inteligente, com infra-estrutura adequada para turismo estão erradas ???? E Porto Alegre está certa ? Não quero dizer com isso que o meio ambiente deva ficar em segundo plano, nada disso. A orla de Porto Alegre é riquíssima em paisagens naturais e ninguém quer deixar de ter aessa área como patrimônio para toda a vida. Mas há que desenvolver, sob pena de nos transformarmos em uma cidade pobre, dormitório e estagnada economicamente.

    Curtir

  3. Políbio:
    concordo contigo que a nossa orla precisa de um destino melhor do que o atual. Mas tens que pensar que a área dos campinhos de futebol, cheia de lixo e tal e coisa, com o perdão do trocadilho, é privada. Os donos deveriam ser multados por deixar nossa orla em tais condiçoes. Mas tudo bem.
    Mas o que eu me pergunto Políbio é se as coisas vao ficar só por isso. Será que os prédios vao ter essa altura mesmo? E aqueles prédios da goldzstein que ficam um pouquinho mais pra lá pertinho da wenceslau escobar? e os outros ali perto do praia de belas? e o próprio praia de belas que se volta todo pro interior e nao aproveita a vista maravilhosa que poderia ter? ah bom eles estão dentro da legalidade.. Mas hay que questionar se essa é a porto alegre que a gente quer né tchê..
    Sem formalidades te digo, estudo urbanismo, e lá na faculdade me ensinaram que essa coisa de misturar é muito boa, mas tem que dosar também.. e tu sabe como é que as coisas funcionam.. tu sabe que se forem aprovados esses predios vao sair de qualquer jeito ou altura..
    E com embasamento de estudo te digo, a zona sul tem dois acessos, um via morro(cavalhada, eduardo prado) e um via beira rio(padre cacique). Essas duas vias JÁ ESTÃO lotadas. Será que vale a pena tentar abrir o jogo pra esse pessoal que tá aí pra botar grandes torres e piorar nossos espaço urbano? Ou será que vale a pena esperar por um projeto condizente com o que é correto sob o ponto de vista urbanístico? Entre uma orla suja e um caos urbano eu fico com a nossa sujeira atrasada. Eu nao quero pra minha cidade esse dito “desenvolvimento”. Precisamos de um projeto que beneficie todos, e nao de um que segregue cada vez mais a sociedade, que se feche para o resto da nossa porto alegre, que jogue mais carros na rua lotada.
    Também quero o melhor pra gente, tenho grande receio de que a lei nao seja respeitada, ou pior, alterada em nome de meia duzia de pessoas.
    Nao sou filiado a partido nenhum, não tenho nem carteirinha de clube de futebol de botão, só gosto bastante do espaço onde eu vivo.
    Um abraço.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: