Licença para ampliação da pista do aeroporto deve ser definida até janeiro

A licença ambiental prévia para autorizar as obras de expansão da pista do Aeroporto Internacional Salgado Filho deve ser definida até o mês de janeiro. O superintendente do Aeroporto Internacional Salgado Filho, Marco Aurélio Franceschi, explica que o licenciamento é necessário para iniciar o processo licitatório do projeto.

Se a previsão for cumprida, ainda no primeiro semestre deve ser finalizado o processo licitatório da ampliação. A presidente da Fundação Estadual de Proteção Ambiental do Rio Grande do Sul (Fepam), Ana Pellini, revela que a intenção da Fepam é atender a esse prazo para a avaliação da licença-prévia. Ana diz que o aumento da pista do aeroporto é um antigo sonho dos gaúchos para elevar o transporte de cargas aéreas. No entanto, ela destaca que é preciso discutir os impactos que a iniciativa terá na comunidade porto-alegrense.

Ana e Franceschi participaram ontem de audiência pública para debater o licenciamento ambiental da ampliação da pista do aeroporto Salgado Filho. Segundo Franceschi, a estimativa de investimento nas obras de expansão da pista é de cerca de R$ 120 milhões. A ação deve ser concluída ao final de 2011 ou em 2012.

O projeto prevê o aumento da pista em 920 metros no sentido leste, passando dos atuais 2,28 mil metros para 3,2 mil metros de extensão. O aumento na largura da pista será de três metros, passando de 42 metros para 45 metros. A ampliação, conforme a Infraero, permitirá que triplique o movimento de cargas no aeroporto devido ao uso de aviões de maior porte.

A obra dará condições de que, até 2020, 159 mil aeronaves operem anualmente no Salgado Filho contra as cerca de 70 mil aeronaves que se verificam hoje. A Infraero também planeja a construção de um novo complexo logístico de cargas, onde a capacidade do terminal de cargas passará dos atuais 13 mil metros quadrados, para 56,2 mil metros quadrados, com uma projeção de 100 mil toneladas de cargas passando pelo Salgado Filho em 2020. O investimento no terminal de cargas é calculado em cerca de R$ 115 milhões.

No momento, Porto Alegre ocupa a 6a colocação em número de movimentação de passageiros e a 10a em cargas aéreas, com um total de 2,37% de participação no movimento de cargas aéreas no Brasil. Franceschi acredita que a movimentação de 5 milhões de passageiros ao ano possa quintuplicar com as modificações na pista. Por isso, a Infraero pretende ampliar o terminal de passageiros do aeroporto a partir de 2009.
Apesar dos benefícios citados pelo superintendente do Aeroporto Internacional Salgado Filho com a ampliação da pista, a questão não é uma unanimidade. O presidente da Associação dos Moradores e Amigos do Lindóia, Daniel Kieling, enfatiza que existe uma preocupação quanto ao crescimento urbano no entorno do aeroporto. Ele argumenta que a segurança desses moradores próximos ao complexo é afetada com a expansão da pista.

Outro alvo de crítica de Kieling é de que aumentará a movimentação de vôos noturnos gerando ruídos que incomodarão os vizinhos do aeroporto. Ele teme que o Salgado Filho fique semelhante ao aeroporto de Congonhas, inserido no centro urbano. Depois da retirada das Vilas Dique e Nazaré, necessárias para ampliação da pista, a Associação dos Moradores e Amigos do Lindóia entregará ao Ministério Público Federal uma série de equívocos que a associação considera que estejam sendo tomados com o investimento no aeroporto. 

Jornal do Comércio, 16/12/2008



Categorias:Outros assuntos

Tags:,

%d blogueiros gostam disto: