Projetos da dupla Grenal serão votados no dia 29

Os integrantes da mesa diretora e os líderes de bancadas da Câmara Municipal de Porto Alegre decidiram, no início da noite de ontem, votar os projetos relacionados aos estádios da dupla Grenal no dia 29 de dezembro. A criação da Secretaria Especial da Copa de 2014 (Secopa) e o veto do Executivo ao Pontal do Estaleiro também estarão na pauta da última sessão plenária do ano.

Apreciação do veto do prefeito José Fogaça, que está acompanhado de um novo projeto de lei prevendo uma consulta popular e que até o início da semana estava prevista para fevereiro de 2009, foi antecipada.
O entendimento de alguns líderes da base aliada é de que, como as propostas da dupla Grenal retomam a questão de construções na orla do Guaíba, o Pontal poderia voltar ao debate. “Temos que ter critérios, porque para os clubes pode e para os empreendedores não?”, questiona o vereador Dr. Goulart (PTB).

Neste cenário, a derrubada do veto não está descartada. “O meu voto continua o mesmo. Nós pedimos ao prefeito a sanção não o veto”, afirma o vereador João Carlos Nedel (PP).

No entanto, a atitude contraria os próprios parlamentares favoráveis ao Pontal, pois partiu deles a sugestão de referendo, em caso de posição negativa. O líder do PSDB, Luiz Braz, não acredita na hipótese. “Vou votar pela manutenção”, adianta. O vereador João Bosco Vaz (PDT) também não crê nessa estratégia: “Negociamos uma coisa e agora vamos mudar?”. Para ser rejeitado, o veto ao Pontal do Estaleiro precisa de 19 votos.

Considerados os mais importantes e também os mais polêmicos de 2008, os projetos do Pontal do Estaleiro e da dupla Grenal alteram o regime urbanístico de diversos pontos da cidade, entre eles a orla do Guaíba. O primeiro autoriza construções residenciais na área do antigo Estaleiro Só.

Os da dupla Grenal modificam os índices construtivos do terreno do estádio Olímpico, no bairro Azenha, da área prevista para a Arena do Grêmio, no bairro Humaitá, do estádio dos Eucaliptos e do Beira-Rio, ambos no bairro Menino Deus. Na Azenha e no Humaitá, a altura máxima prevista é de 70 metros e 72 metros, respectivamente. Para as áreas do Menino Deus, os índices podem variar de 12 a 52 metros.

O assunto dominou a reunião conjunta das comissões permanentes realizadas durante todo o dia de ontem. Os vereadores aprovaram os pareceres favoráveis às propostas da dupla Grenal e da Secopa e agora os projetos estão prontos para ir ao plenário.
 
Jornal do Comércio, 18/12/2008



Categorias:COPA 2014, Grêmio e Inter

Tags:, ,

3 respostas

  1. Medo de assistirmos mais um ato de resistência na Capital da Resistência,

    Curtir

  2. Medo em que sentido?

    Curtir

  3. Tenho medo do que vem por aí.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: