Reflexão sobre Porto Alegre, por um brasiliense

Texto de autoria de Felipe Ribas Azevedo, estudante de Ciência da Computação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba

Gostei bastante de conhecer a cidade. Tive o azar de chegar em dias nublados e com a cidade vazia… de fato lembrava a pós-guerra.

Depois que o sol saiu e a cidade encheu mais, mudou de cara já. Tive a felicidade de conhecer regiões bonitas como a zona sul e a área nobre da zona norte, em dias ensolarados. Isto ajudou a mudar a forte e má primeira impressao que tinha me ficado da entrada na cidade pela Assis Brasil, caindo direto no centro, em dias cinzentos e em horarios bem vazios. Vários gaúchos ajudaram a me deixar em panico nesses primeiros dias, quando eu andava de carro sozinho a noite pela cidade, falando que eu estava correndo enorme risco de assalto. Depois vi que não era bem assim, ficando mais tranquilo também.

Mesmo depois, tendo uma melhor impressao da cidade e visitando locais mais bonitos, tive a convicção que existe um descaso um tanto grande por parte do poder público da cidade no que diz respeito ao cuidado com a cidade e principalmente ao turismo. Vindo de Curitiba, passando por Florianopolis, de carro, senti um baque grande na ausência de placas de orienteção em POA, pra inúmeras coisas, ainda mais por não conhecer a cidade pra poder andar por lá. Fora as placas, notei um enorme descuido com a estética de vários prédios, principalmente no centro. A falta de manutenção e restauração na maioria deles ajudam a causar uma péssima impressão do centro todo. Isso foi algo que os próprios moradores da cidade com quem conversei foram unânimes em concordar, infelizmente. Além do estranho cheiro de urina em boa parte do centro (?). Por fim, os pontos turísticos em sua maioria pareciam abandonados.

prédios velhor e sujos assustam
Porto Alegre: prédios velhos e sujos assustam

Foto: © Gilberto Simon

A principio, eu achei que o que faltava na cidade era modernidade. Acostumado a morar em Brasilia e Curitiba, e a conhecer lugares como Av Paulista, tive a impressão que, principalmente o centro de POA, tinha parado no tempo. Tanto pela falta de revitalização como pela falta de prédios mais modernos. Porém, com o passar dos dias, cheguei a conclusão que não necessariamente a construção de prédios modernos era a solução pra melhorar a aparência do centro. Acho eu, hoje, que apenas a revitalização das faxadas já daria outro aspecto. É como Europa, onde várias cidades tem regiões que predominam as antigas construções, mas nem por isso deixam de ser charmosas. O problema é que por serem prédios antigos, o simples fato de ser mau cuidado faz a aparência passar facilmente de charmoso para macabro.

A respeito dos corredores de ônibus: de fato, na maioria dos lugares por onde passei, que tinham os corredores, eram lugares feios. Numa breve comparação com os corredores de Curitiba, cheguei a conclusão que o simples fato da calçada das avenidas ser de pedrinhas desenhadas (preto e branco), com tubos de vidro, e não ter aquelas muretas de concreto amarelas e sujas, já colabora com boa parte do visual da avenida. Tanto é que num trecho que peguei da Bento Gonçalves mais pra lá perto do Campus do Vale (UFRGS), já era um trecho muito mais bonito do que as avenidas com corredores do centro. Talvez seria uma boa alterar inclusive o estilo das paradas nesses corredores, afinal o esqueleto de ferro da parada é vermelho, cor que facilmente se desgasta no tempo. Quem sabe uma armação cinza escuro com cobertura de vidro, como o estilo que foi implementado em Brasilia, não daria uma nova cara?

Por fim, a rua das andradas é um bom exemplo desse meu ponto de vista, já que pode ser diretamente comparada com a rua XV de Curitiba. Acredito eu que o simples fato da calçada de Curitiba não ser aquela cinza suja, e também por ter aqueles postes estilo antigo, já aparenta ser bem mais charmosa que a de Porto Alegre. Eu notei que ali perto do Palácio Farroupilha, existem uns postes desses mais antigos, bem bonitos… e, se não me engano, na própria Rua das Andradas em outro trecho também. Agora me pergunto, porque não nela inteira? Porque aquelas armações de ferro, finas, com uma bola em cima, sem charme nenhum?

Bom, passada a parte ruim, gostaria de elogiar um monte também. Mesmo com o mal uso da orla, eu sentia falta de visitar uma capital não-litoranea que tivesse alguma especie de lago, como é o caso do Guaíba. Acho que melhora até o astral da cidade. Fiquei impressionado também com a quantidade de prédios historicos e o charme de alguns, como o da Catedral. O próprio conjunto da Borges é muito impressionante ao vivo.

Outra coisa que senti falta, já que passei de Brasilia a morar em Curitiba, era de espaço. Em curitiba, tudo muito apertado, muito prédio, pouco raio de visão dentro da cidade. Nada como passear pela beira-rio num dia ensolarado. Uma coisa é uma cidade com paisagens bonitas dentro dos parques. Outra coisa é a propria cidade ter paisagens bonitas espalhadas pelas ruas, como é o caso de POA, Brasilia, Florianópolis, Vitoria, etc..

Bom, e da parte boa, sem duvida alguma a melhor coisa que presenciei foi a receptividade de 100% dos gaúchos. Fiquei impressionado com todos. Ao contrario do que era comentado no Centro-Oeste por algumas pessoas (que no sul as pessoas eram fechadas), Porto Alegre se mostrou como a mais abertas que já conheci. Não só o pessoal (que conheço) que estão todos de parabéns, como também desconhecidos na rua. Obtive ajuda importante de pessoas pelas ruas e não foram poucas.

Acho que no balanço geral da viagem, foi uma boa visita. Numa breve comparação de estilo, creio que Porto Alegre se assemelha muito com Belo Horizonte. Ambas com uma excelente universidade (das melhores do país), ambas com povo receptivo, ambas são grandes metrópoles, ambas com o centro um tanto desagradável, porém, outras áreas nobres e bonitas, e ambas com mulheres lindas.

Valeu a pena ter conhecido, espero poder voltar em breve. Torço bastante pra que, com a vinda da Copa, Porto Alegre seja alavancada para uma era moderna e que alguns edificios sejam levados a baixo para dar lugar a novos altinhos, assim como as ruas residenciais sejam todas asfaltadas e as avenidas, revitalizadas. Questão de tempo. Fica a indagação: o que seria de Porto Alegre com o cuidado e incentivo ao turismo que as outras 2 capitais do sul têm?

Obrigado a todos que puderem me receber na bela Porto Alegre. Não foram muitos os passeios, mas valeram a pena. Espero que não fiquem chateados com os comentarios acima… estão aí para serem discutidos.

Abraços

PS.: talvez também boa parte dessa impressão minha foi consequência da primeira impressão forte que ficou, dos primeiros dias.



Categorias:Opinião

Tags:,

1 resposta

  1. Meu amigo, és muito educado e fino.

    Podemos ser mais diretos também sem perder a elegancia…

    – Porto Alegre cheira realmente a mijo em boa parte dela não só do centro.

    – O crack rola solto.

    – A população está largada, sem segurança pública nenhuma. Você viu algum policial?

    Muito triste, pois como você mesmo falou em sua educadíssima visão de Porto Alegre, algumas medidas simples ajudariam muito.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: