PRAÇA DA ALFÂNDEGA – De volta às origens

 

Reforma na Praça da Alfândega, cuja ordem de serviço deve ser assinada nos próximos dias, restituirá características históricas do local

Construída no fim do século 18, a Praça da Alfândega passará por uma reforma que lhe devolverá suas características originais. A obra, orçada em cerca de R$ 2,4 milhões, incluirá, ainda, a Avenida Sepúlveda e o pórtico do Cais do Porto.

A revitalização será a contrapartida da prefeitura aos investimentos do programa Monumenta, do Ministério da Cultura. A intervenção na Alfândega deve levar oito meses, e seu início depende apenas da assinatura da ordem de serviço para as obras, o que deve ocorrer nos próximos dias.

– Queremos restituir ao local a caracterização de um sítio histórico – afirmou o arquiteto Luiz Merino Xavier, consultor de patrimônio cultural do Monumenta.

Uma das principais ações refere-se à colocação do piso de pedra portuguesa em toda a área. O traçado dos canteiros da praça, modificado nos anos 70, será reconstituído. A reforma prevê, também, nova iluminação e projeto paisagístico. As ações têm como base fotografias dos anos 40 e documentos históricos, disponibilizados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (Iphae) e pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Na Avenida Sepúlveda, o asfalto será substituído por paralelepípedos, mesmo tipo de pavimento do passado. No Cais do Porto, o pórtico receberá reforço na iluminação, corrimão à beira do Guaíba e rampas para cadeirantes. Os paralelepípedos serão renivelados e limpos, para que a estrela do calçamento fique novamente visível.

O sítio arqueológico encontrado na praça ganhará destaque com a instalação de um painel explicativo. No local, foram descobertos um muro e uma escadaria, pertencentes ao antigo cais da cidade.

– O muro, como é de pedra, ficará exposto. Já a escada perdeu seu revestimento em pedra, ficando apenas a argamassa exposta. Ela ficará coberta por grama porque não há como protegê-la da ação do tempo – explicou Xavier.

Após a reforma, a expectativa do Monumenta é de que a Alfândega seja adotada por uma empresa para que se mantenha conservada e não se torne alvo de vandalismo.

Os próximos locais do Centro a serem beneficiados com as reformas do Monumenta neste ano são a Rua General Câmara e a Praça da Matriz. O edital de licitação das obras foi publicado no dia 17 de dezembro no Diário Oficial de Porto Alegre.

Para a General Câmara, estão previstas a troca da pavimentação, a ampliação das calçadas, melhorias na iluminação e a criação de um espaço destinado a exposições literárias, que ganhará o nome de Largo dos Livreiros. Na Praça da Matriz, haverá troca da pavimentação, restauração do monumento a Júlio de Castilhos e novo projeto paisagístico. A verba será do Ministério da Cultura, e o investimento previsto será de mais de 2,4 milhões.

Praça da Alfândega nos anos 40

Praça da Alfândega nos anos 40

Raio X da obra
Por que é importante: a praça voltará a ter seu desenho original, datado de 1924 e alterado nos anos 70
Início: depende da assinatura da ordem de serviço
Previsão de término: oito meses
Origem dos recursos: prefeitura
Empresa executora: EPT Engenharia e Pesquisas Tecnológicas
Custo estimado: R$ 2,4 milhões


Categorias:Revitalização do centro

Tags:, ,

2 respostas

  1. Espero que entre as modificações haja ações pra tornar a praça frequentável. Traduzindo: sem prostituição, sem gente caida no chão, sem banheiro com “cheiro” indo pra praça, etc.

    Curtir

Trackbacks

  1. Feira do Livro | O CAFÉ
%d blogueiros gostam disto: