Camelódromo: Fogaça resolve, segunda, problema de 250 anos

Sem fita, sem discurso e sem fanfarra será a inauguração, segunda-feira, do Centro Popular de Compras (CPC), o Camelódromo de Porto Alegre, que custou R$ 25 milhões e vai abrigar 800 camelôs.

Com o CPC, o prefeito José Fogaça resolve um problema de 250 anos de Porto Alegre, porque é o primeiro administrador público a encarar a questão dos camelôs e ambulantes, resolvendo o problema de uma vez para sempre.

A prefeitura promete inaugurar, às 9h de segunda-feira, o complexo de compras para tentar acabar com os vendedores das calçadas do centro da Capital. O Camelódromo funcionará numa área de 20 mil metros quadrados, na Praça Rui Barbosa. Vai abrigar boxes de 800 ambulantes, que hoje tem barracas na zona central da cidade. A estrutura contará com praça de alimentação e estacionamento com 216 vagas, além de um sistema de segurança com câmeras de vídeo e policiamento permanente.

Políbio Braga


Categorias:Revitalização do centro

Tags:

2 respostas

  1. Mas acho que ele não acabou com o problema, só mudou de lugar. Foi simplesmente a legalidade da ilegalidade. O comércio continua ilegal, todas aquelas roupas falsificadas, aqueles jogos e aparelhos eletrônicos são legais? Tudo aquilo gera imposto? Tem nota?
    A sorte é que agora pode-se tentar revitalizar a Praça XV.

    Curtir

  2. Se Fogaça conseguir acabar com a dominação dos camelôs, receptadores e contrabandistas que se adonaram das ruas do Centro, ele vai entrar para a história.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: