RS faz bonito frente ao Brasil

 

RS emprega mais do que desemprega, mas Brasil desemprega mais do que emprega.

Embora o Brasil tenha registrado números negativos em janeiro, o RS terminou o mês com números positivos na totalização do movimento de geração de novos empregos. Os dados são do ministério do Trabalho.

. No RS, foram 2.798 empregos gerados com carteira assinada, o que representa uma alta de 0,13% em relação ao mês anterior. O índice indica o saldo entre o número de trabalhadores admitidos menos os demitidos. À frente do RS ficaram Santa Catarina, com 6.407 postos, e Mato Grosso, com 3.324.

. Os números do Brasil foram os piores dos últimos dez anos. O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, que fez o balanço do mês, disse que o governo Lula está trabalhando para melhorar o cenário e que fevereiro poderá oferecer alguma reversão.

– A situação do Rio Grande do Sul tem sido mais benigna do que a maioria dos Estados, porque a economia local apresenta melhores indicadores de desempenho, sobretudo nos resultados da agropecuária. Além disto, o governo estadual, saneado, não puxa a economia para baixo.

Em âmbito federal, a economia não só está tecnicamente está em recessão, já que por dois trimestres seguidos o PIB recua, como também tem se mostrado incompetente e atrapalhada para gerir os efeitos internos da crise global.


Categorias:Uncategorized

Tags:, , , , , , , , , , ,

1 resposta

  1. Yeda: ‘Não responderei a bêbados de porta de bar’

    A governadora Yeda Crusius rebateu ontem as acusações feitas pela deputada federal Luciana Genro (PSol), pelo vereador Pedro Ruas (PSol) e o presidente do partido, Roberto Robaina, de que saberia do uso de caixa 2 na campanha de 2006 e de pagamentos ‘por fora’ na negociação da sua casa, entre outros supostos delitos envolvendo o Palácio Piratini. Em entrevista à Agência Estado, Yeda negou as acusações e atacou o PSol, ao se referir à existência ou não de provas. ‘Exigir provas? Eles devem exigir de si próprios. Minha mãe me ensinou a não responder a provocações de bêbados de porta de bar. O nível do fazer política no Rio Grande do Sul é altíssimo. Não merece esse tipo de provocação’, disse a governadora. Yeda afirmou também que eles (o PSol) não têm credibilidade para dizer nada. ‘Não podiam convocar a imprensa para fazer dela massa de manobra para os propósitos golpistas que sabidamente têm’, disse. Segundo ela, trata-se de uma técnica usada para tentar desviar o foco do bom momento do governo. ‘Colocamos as contas em dia e, quando isso é feito, parece que eles, por não terem o que dizer, usam armas que não são próprias da política gaúcha. Não é nenhum terremoto, é tentativa de confundir a opinião pública em relação a um momento muito bom que o Estado inteiro vive. Em cima da divulgação de uma coisa boa, eles se organizam para promover uma falsa denúncia’, defendeu.Segundo Yeda, o governo não pretende reagir, no momento. ‘O governo e o Ministério Público têm aparato jurídico para estudar essa questão e vão ver os instrumentos disponíveis para responsabilizar todos que estiverem cometendo qualquer tipo de delito. Para mim é delituosa essa exposição que o PSol fez.’Apesar da governadora se dizer tranquila, as suas preocupações podem aumentar. Ontem, a Executiva do PT gaúcho e a bancada petista na Assembleia afirmaram, em nota oficial, que se forem confirmas as denúncias, a governadora não terá mais condições de permanecer no cargo.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: