Aracruz começa a construir porto em São José do Norte em 2010

 A Aracruz deverá começar as obras físicas para a construção do terminal portuário em São José do Norte no final de 2010. O gerente de desenvolvimento da companhia, Otemar Alencar, informa que, depois de iniciada a obra, o tempo estimado para concretizar o complexo é de seis a oito meses.

O cronograma de implantação do terminal sofreu alterações devido à postergação da expansão da unidade de celulose da Aracruz localizada em Guaíba. A expectativa inicial era de que o terminal de São José do Norte escoasse celulose normalmente a partir de julho do próximo ano. O material chegaria por barcaças, proveniente da planta de Guaíba.

Mesmo com a dilatação dos prazos, Alencar destaca que a empresa não está estagnada e desenvolve o projeto básico da estrutura portuária. Esse projeto precisa ser aprovado pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), Superintendência do Porto do Rio Grande (Suprg), Conselho de Autoridade Portuária (CAP) e Corpo de Bombeiros. Além disso, é necessário obter o licenciamento ambiental com o Ibama e com a Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam).

Uma das decisões que foi tomada recentemente pela empresa foi a de não retirar o navio afundado que se encontra próximo à área em que será instalado o terminal. Alencar explica que a medida se deve ao elevado custo para realizar a ação e a possibilidade de o navio conter óleo no seu interior, que poderia vazar em uma eventual operação. Por isso, a futura localização do terminal foi alterada em relação à prevista no projeto original.

O investimento no terminal de São José do Norte será de cerca de R$ 120 milhões. Ao mesmo tempo em que desenvolverá este empreendimento, a Aracruz deverá instalar um terminal em Rio Pardo, que absorverá mais R$ 30 milhões. O prefeito de São José do Norte, José Vicente de Farias Ferrari, relata que não houve receio quanto à implantação dos projetos. É só uma questão de tempo, diz Ferrari.

Ele enfatiza que durante a instalação do terminal de São José do Norte a perspectiva é da geração de cerca de 800 empregos diretos e de 4 mil indiretos. Ferrari prevê que, além da mão-de-obra local, pessoas de fora do município ocuparão essas vagas. Por isso, uma das preocupações da prefeitura é aprimorar a infraestrutura da cidade para receber esses trabalhadores.

Jornal do Comércio



Categorias:Economia Estadual

Tags:,

1 resposta

  1. Tomará que tudo isso aconteça, minha mãe é oriunda de São José do Norte e boa parte de meus familiares de parte de mãe ainda moram nesta cidade, passei todos meus veraneios até meus 21 anos naquela cidade, sempre gostei de lá, o grande problema que a cidade é muito pobre e tem um dos maiores índices de analfabetismos do país, desde pequeno até meus 21 anos nunca vi grandes mudanças na cidade, com estes empreendimentos ocorrera uma grande explosão na econômica, para isso deve-se melhorar toda sua infra-estrutura e principalmente a educação da população com cursos técnicos nas áreas especificas que o mercado irá buscar na região, assim o mercado irá buscar a população local e não mão de obra oriunda de outras regiões.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: