Pontencial turístico desprezado

Reunião à beira da piscina. Esse foi o compromisso da delegação americana de Vela, ontem à tarde, em Porto Alegre.

Pela primeira vez, a etapa final da Nations Cup de Match Race será sediada numa cidade do Hemisfério Sul – o que reveste de grande importância a regata que se inicia na terça-feira na Capital. Enquanto as provas classificatórias não começam, contudo, os velejadores traçaram táticas à sombra, estudaram adversários entre um mergulho e outro, pegaram leve no trabalho.

Foi o que fez uma das favoritas da competição feminina, a medalhista de ouro na classe Laser radial em Pequim, a americana Anna Tunnicliff. De óculos escuros, tomava banho de sol e conversava com as companheiras. Trabalho pesado, só com início dos treinos oficiais, hoje pela manhã.

– O vento já melhorou, estamos recém conhecendo o lugar, mas é muito agradável aqui – disse Anna.

O também americano Dave Perry, campeão de Match Race da América do Norte e Caribe, manteve rotina semelhante. No sábado, ele e a tripulação foram ao Estádio Beira-Rio assistir à vitória do Inter sobre o Novo Hamburgo por 4 a 1 – o americano adorou o colorado, e chegou a declarar que o time agora seria uma referência para ele em termos de “soccer”. Ontem, Perry e sua equipe traçaram planos para o campeonato e tiraram o dia para descansar. Apesar do aparente relaxamento, ele está preocupado:

– É provavelmente a regata mais difícil em que já competi. O nível é alto e eu sou mais velho, os outros velejadores são mais jovens… Ainda bem que conto com a minha equipe!

Algumas delegações chegaram cedo, ainda na sexta-feira. Outras, se acomodaram ontem à noite no alojamento do Veleiros do Sul, onde terá lugar a Nations Cup. Enquanto as velejadoras australianas passearam pelo Brique da Redenção e conheceram melhor a Capital, os neozelandeses causaram uma leve polêmica no clube. Os velejadores não estavam muito dispostos a experimentar o tempero brasileiro e fizeram um pedido inusitado à organização: um fogão emprestado. A própria equipe quer cozinhar suas refeições.

O clima ainda é de adaptação e descontração no Veleiros. Hoje, devem se apresentar para os treinos oficiais as últimas equipes, como a da brasileira Juliana Senfft, que acabou de conquistar dois campeonatos de Match Race no México e nos Estados Unidos na semana passada.

Amanhã, os semblantes vão ficar mais sérios e a beira da piscina deve ficar deserta, com as atenções voltadas exclusivamente para as velas tremulando no Guaíba.

Zero Hora

_________________________

Porque o título dessa matéria ?  Porque essa é uma mostra do potencial de beleza e de LAZER que Porto Alegre e sua orla têm.

Esse pontencial, tão raro, e tão invejado por capitais que não têm nada disso, é solenemente desprezado na Capital da Resistência.  Não só desprezado, mas evitado como uma heresia e um crime ediondo pelos grupos contra-tudo.

Perde toda a cidade, que espanta os investimentos privados. E também perde turismo, a possibilidade de mais empregos e renda, de uma forma limpa e de baixo custo, e deixamos de ser uma cidade mais interessante e com opções de lazer maravilhosas.

Ricardo Haberland



Categorias:Outros assuntos

Tags:, , , ,

1 resposta

  1. Na Diário de Notícias se encherga toda a movimentação da regata nas águas do Guaiba. É lindo, eu vi do ônibus em que eu estava, passando ali.

    Pena que NINGUÉM na cidade pode assistir esse espetáculo. Nem há onde nem como.

    Na altura da orla privada, pelos os clubes privados, que praticam apartheid com todos os cidadãos da capital, não dá.

    E na orla abandonada e assustadora da Av Diário, e na área das ruínas do Estaleiro, também não dá.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: