Gasômetro é a casa de Elis

Estátua não ficará no bairro onde a cantora nasceu

Pronto há mais de um ano e meio, mas alvo de indefinições em relação ao local onde pudesse ostentar a homenagem a uma das maiores cantoras brasileiras, o monumento à Elis Regina finalmente encontrou um paradeiro.

A estátua esculpida em bronze será inaugurada, na quinta-feira, na Usina do Gasômetro, na Capital. Longe do bairro onde a estrela cresceu.

A instalação da imagem de 1m65cm, só será concluída amanhã. O monumento que será colocado próximo ao futuro teatro que também levará o nome da artista mostra uma Elis Regina feliz sobre um disco de vinil. Segundo o curador do projeto, Luiz Coronel, a escultura não se trata de uma obra expressionista, mas sim de uma arte ingênua e popular. O monumento é uma doação da Companhia Zaffari.

Sobre o debate de onde a estátua seria instalada, Coronel defende que a escolha pelo Gasômetro foi uma decisão acertada, já que na Vila do IAPI, no bairro Passo da Areia, local onde a cantora gaúcha viveu antes de se transferir para o centro do país, não haveria segurança necessária.

– No Gasômetro, há câmeras de segurança e guardas do próprio local para cuidar a obra – diz Coronel.

O diretor da Usina, Caco Coelho, afirma que, mesmo não sendo o lugar de nascimento da cantora, o local é uma referência para os porto-alegrenses e, por isso, é o mais adequado para receber a obra:

– A Elis também é um símbolo dos gaúchos. E tudo isso está sendo feito para que ela fique mais próxima da gente.

ZH



Categorias:Outros assuntos

Tags:, ,

2 respostas

  1. ridiculo! concordo com o comentário acima.

    tantos e tantos artistas gaúchos que NÃO DESPREZARAM a nossa terra, e me homenageiam essa cariÔca… é decepcionante.

    Enquanto isso, Lupicinio Rodrigues, Teixeirinha, Nelson Golçalves…

    Curtir

  2. Essa mulher sempre disse abertamente que odiava Poa e o RS..e ainda por cima fazem homenagem pra essa cretina. Isso é uma VERGONHA. Com tantos gaúchos que lutaram e morreram por essa terra, dar uma estátua pra essa mulher (que além de odiar a própria terra, era um baita mal exemplo de pessoa), é o cúmulo do absurdo. Senti nojo.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: