Conselho de Transportes debate fim do passe-livre na Capital

O Conselho Municipal de Transportes Urbanos (Comtu) pretende discutir nesta gestão temas ligados ao cotidiano da população, como o passe-livre e o desenvolvimento de projetos ecologicamente corretos. O objetivo é reduzir a tarifa do transporte público.

O fim do dia de passe-livre, tema polêmico, deve ser encaminhado ainda neste ano, de acordo com o presidente do Conselho, Jaires Maciel. Ele acredita que a medida vai ser aceita, tendo em vista que os problemas com depredação de veículos e assaltos são recorrentes nessas datas.
“A população beneficiada pela medida é mínima. A maioria dos trabalhadores se sente ameaçada pelos marginais, que aproveitem esse dia para promover arrastões”, argumenta.

Em parceria com a Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam), o conselho planeja ainda investir em estudos para obtenção de créditos de carbono. A iniciativa reduziria a poluição e os custos com combustível, gerando abatimento no valor de manutenção dos veículos e, por consequência, na tarifa.

O Conselho Municipal de Transportes Urbanos possui 20 integrantes, que representam entidades da sociedade civil (10 cadeiras), prefeitura (6 cadeiras) e o segmento do transporte urbano, que indica quatro conselheiros.

O papel do órgão, que se reporta à Empresa de Transporte Público e Circulação (EPTC), é discutir todas as questões relativas ao transporte público urbano, abrangendo desde a colocação de paradas à regulação de tarifas. As reuniões do Conselho são abertas ao público e acontecem todas as terças-feiras, às 16h, no auditório da EPTC (rua João Neves da Fontoura, 7).

O Conselho Municipal de Transportes Urbanos (Comtu) possui 20 integrantes, que representam entidades da sociedade civil (10 cadeiras), prefeitura (6 cadeiras) e o segmento do transporte urbano, que indica quatro conselheiros.

> Representantes da comunidade
– ATL (Associação dos Transportadores de Passageiros por Lotação): Rogerio Lago dos Santos
– ATP (Associação das Empresas de Transportadores de Passageiros de Porto Alegre): Luiz Mário Magalhães Sá
– Sintaxi (Sindicato dos Taxistas de Porto Alegre): Luiz Odir Borges Nozari
– Sintepa (Sindicato dos Proprietários de Veículos Escolares do Município): Jaires da Silva Maciel
– Uampa (União das Associações de Moradores de Porto Alegre): Emerson Correa da Silva
– STETCUPA (Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do RS): Fabiano Martins Cardoso
– CUT: Luiz Afonso Martins
– Fetapergs (Fed. dos Trabalhadores Aposentados e Pensionistas do RS): José Ildo Silveira Ramos
– Umespa: Lucas Leal Becker
– Orçamento Participativo: Carlos Boa Nova

> Representantes da prefeitura
– Carris: Marcos Neves Ramos
– Procuradoria-Geral: Giovani Carminatti
– Smam: Dionizio Gonçalves Bellinazo
– Smov: Ilza Berlato
– Secretaria do Planejamento: Francisco Carlos Dornelles
– EPTC: Rogério Barbosa

> Representantes do segmento de Transporte
– Brigada Militar: Eduardo Rosa Amorim
– Detran: Ildo Mário Szinvelski
– Crea: Francisco Assis Rossi
– Metroplan: Maria Aidema Cunha

Jornal do Comércio, 25/03/2009



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:

12 respostas

  1. Na minha opinião o passe livre tinha que ser dia da semana para procurar empregos ir a medicos fazer documentos e para trazer beneficios para nós.

    Curtir

  2. eu acho q os malokeiro acabavao com os onibus. por isso eu aprovo

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: