Duplicação da Beira-Rio começa na metade do ano

Em cerimônia que teve como objetivo principal homenagear o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, a Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov) entregou ao prefeito da Capital, José Fogaça, o projeto executivo de duplicação de 1,5km de um total de 3,8km da avenida Edvaldo Pereira Paiva, a Beira-Rio, a partir da avenida Ipiranga em direção ao estádio Beira-Rio. Na ocasião também foi entregue a licença ambiental para a realização da obra no trecho, emitida pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Smam).

Esta etapa da obra já dispõe de recursos federais no Orçamento Geral da União, por iniciativa de emendas parlamentares, entre elas as dos deputados Ibsen Pinheiro (PMDB) – repasse de R$ 3,9 milhões – e Beto Albuquerque (PSB) – R$ 1,9 milhão – e da própria bancada gaúcha no Congresso – R$ 3,9 milhões – com articulação do senador Sérgio Zambiasi, em um total de R$ 9,7 milhões. Nesta fase, a prefeitura dará contrapartida de R$ 1,94 milhão, correspondendo a 20% das emendas. O projeto foi elaborado pela empresa CJB Engenharia e entregue ao superintendente institucional da Caixa Econômica Federal (CEF), que financiará o restante dos recursos destinados à obra, Ruben Danilo Pickrodt.

O projeto corresponde ao trecho entre o estádio Beira-Rio e a avenida Aureliano de Figueiredo Pinto, com a construção de uma nova ponte sobre o Arroio Dilúvio. O custo estimado da obra é de R$ 24 milhões. O Internacional pagou a elaboração do projeto. “É uma parte da retribuição que o clube tem de dar à cidade”, afirma o presidente do Inter, Vitorio Piffero. A Smov acompanhou o desenvolvimento do projeto e está encarregada de fiscalizar a execução da obra.

 

“Nós temos uma previsão de marcar o processo licitatório em até 30 dias. É uma obra de grande porte. Serão utilizadas seis mil toneladas de asfalto, por exemplo. As obras devem começar entre o fim do primeiro semestre e o início do segundo. A previsão é de que as obras durem cerca de oito meses. Essa é a primeira etapa da duplicação da avenida. Toda a ação será feita assim, por etapas”, diz o titular da Smov, Maurício Dziedricki.

Para o vice-prefeito e titular da secretaria especial da Copa de 2014, José Fortunati, Porto Alegre tem de utilizar a competição para ter avanços em sua infraestrutura. “Nós estamos cumprindo com o dever de casa. Estamos trabalhando unidos para que possamos concretizar esse sonho que é sediar jogos da Copa aqui. E essa é uma grande oportunidade para apressarmos a realização de obras de fundamental importância para a cidade”, destaca.

Jornal do Comércio, 02/04/2009



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:

3 respostas

  1. Ja ia esquecendo……..vai sair so a duplicacao ou pelo menos vao costruir uma calcada bonita ao lado p/ os pedestres e familias que pretendem ali passear??

    Aquele asfalto e bancos podres que existem na calcada atual sao de morrer……

    Curtir

  2. Porto Alegre merece uma ponte bonita e grandiosa, uma ponte-cartão-postal, como a estaida, de São Paulo.
    Porque não?

    Curtir

  3. “…..com a construção de uma nova ponte sobre o Arroio Dilúvio.”……

    Mais uma ponte sem graca de concretao!?!?…..ou a chance de “ousar” em algo que embeleze nossa orla!?!?

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: