Uma oportunidade para a zona sul

Vista do mirante em frente ao ateliê de Vasco Prado
 
 
Cercada por majestosos morros e pelo belíssimo lago Guaíba, está a majestosa zona sul de Porto Alegre. Não é por acaso que, para escrevermos sobre o local, precisamos utilizar tantos adjetivos. De um encanto ímpar, porém com potencial subutilizado. O porto-alegrense e o turista deveriam poder usufruir o belo pôr-do-sol junto ao lago. O pouco espaço realmente aberto ao público (Gasômetro e Calçadão de Ipanema, apenas) recebe muitas pessoas, que fazem exercícios físicos como caminhada, tomam chimarrão, ou apenas curtem o momento e o lugar conversando com os amigos. A estrutura que existe atualmente peca por ser modesta e inadequada em certos pontos, mesmo assim o Guaíba é um point. A fim de fazer um levantamento de alguns pontos turísticos da zona sul da cidade, exaltando sempre o lado positivo do que hoje está à disposição dos cidadãos, visitamos o Morro da Apamecor e a orla do Guaíba (Assunção, Praia do Cachimbo e, claro, Ipanema). Note que com maior investimento público e, obrigatoriamente, também privado, a zona sul pode ter mais oportunidades.
Mirantes
 
Ao subir o Morro da Apamecor, com vias asfaltadas e alguns trechos calçados com paralelepípedos, começamos a ver a cidade de um belo ângulo. Após algumas curvas fechadas e pistas estreitas, chegamos a uma espécie de mirante, na verdade uma rua sem saída que dá acesso ao ateliê de Vasco Prado. De lá, principalmente em dias ensolarados, consegue-se avistar grande parte de Porto Alegre e de cidades da região (inclusive Novo Hamburgo).
Da praça que existe praticamente no topo do morro, temos um horizonte ímpar, que contempla detalhes de vários bairros da Capital, inclusive o Santuário localizado no Belém Velho. Sobre a praça em si, cabe destacar que não há estrutura alguma e não foi avistado policiamento/segurança. Este parece ser o problema dos mirantes que EXISTIAM na cidade. O da Apamecor é modestíssima a estrutura, então mais parece servir de mirante do que ser um mirante propriamente dito. O localizado no Morro Santa Tereza saiu faz tempo dos roteiros da cidade, pois o crime venceu. Não há segurança nem durante o dia (e o local é cercado de emissoras de televisão e rádio).

Vista do mirante do Morro da Apamecor

A Claro, operadora de telefonia móvel, tem uma torre instalada em um ponto estratégico do Morro Santa Tereza, porém é fechada para visitações. Fico imaginando as belezas que estamos sendo privados por não poder subir nela. Cobrando ingresso ou não, deveriam abri-la ao público, a exemplo da famosíssima torre da Telepar (a antiga CRT dos paranaenses) em Curitiba.

Orla

O Guaíba ainda guarda ângulos pouco conhecidos

O deslumbrante passeio pela orla do Guaíba rendeu boas recordações fotográficas. O exímio conhecedor da cidade, Ricardo Haberland, apontou ângulos pouco conhecidos, como trechos do lago no bairro Assunção, encobertos por vegetação, e escondidos por clubes náuticos (que nem sempre permitem a entrada de não-sócios, tomando o Guaíba para si). Dos pontos conhecidos e bem freqüentados, estão a Praia do Cachimbo e o Calçadão de Ipanema. Este último, por sua intensa movimentação de veículos, causa sempre congestionamento nas estreitas ruas de acesso, que servem inclusive de estacionamento, como na Avenida Guaíba, que margeia o lago. Nesse sentido, a oportunidade de melhor aproveitar o Calçadão passa por mudanças no tráfego, criando alternativas de acesso, e a qualificação da estrutura que Ipanema oferece. Precisamos de um parque, um píer (melhor ainda uma marina), equipamentos para prática de exercícios ao ar livre.

Ipanema: a “praia” que caiu no gosto do porto-alegrense

Esperamos que logo saia do papel o projeto de Turismo Náutico, e que Ipanema e região estejam incluídas nele. Imagine poder passear (ou mesmo usar como meio de transporte) de barco em trajetos como Itapuã (Viamão), Lami, Belém Novo, Ipanema, Barra Shopping, Marinha, Gasômetro. Porto Alegre, em especial a zona sul, é linda, mas pode mais. Vamos torcer por iniciativas da população, do poder público e de empresários para melhorar a cidade que tanto gostamos e valorizamos.

Jornalista Gustavo Bartzen



Categorias:Belvedere do Santa Teresa, Morros da Cidade, ORLA, TURISMO

1 resposta

  1. Ótimo texto, Gustavo !

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: