Definição sobre metrô de Porto Alegre deve ocorrer em agosto

Cinco razões para dizer sim à obra que começaria em 2011

Porto Alegre poderá saborear no mês que vem a sensação de realizar um desejo acalentado durante anos. Deve ocorrer em agosto a definição, pelo governo federal, das obras de preparação para a Copa de 2014. O metrô da Capital figura entre os candidatos fortes a aparecer na lista.

Se isso acontecer, duas licitações serão abertas pela Trensurb, empresa responsável pelo projeto, no ano que vem. A primeira será para a encomenda dos 25 trens do sistema. A outra consistiria na licitação da Parceria Público-Privada que escolherá a empresa responsável por investir R$ 2 bilhões na construção dos 15,3 quilômetros da linha. A obra seria iniciada em 2011 e concluída em três anos.

— Havendo dinheiro, podemos operar o metrô já na Copa das Confederações, em 2013 — garante Marco Arildo Cunha, diretor-presidente da Trensurb.

A operação começaria com cinco estações. As outras 12 seriam entregues ao longo de um ano.

Veja cinco razões para dizer SIM ao metrô apesar de históricas objeções :

 1

2

3

4

5

metro2

ruadapraia

Editoria de Arte Zero Hora

Zero Hora

 



Categorias:Metro Linha 2

Tags:

14 respostas

  1. Caro Felipe Mobus, o grande problema é político, infelizmente. É mais ou menos como o Lula apoiando o Sarney, todo mundo sabe que esta errado, mas há um decisão política que supera qualquer lógica da boa administração e do interesse público.
    Estar no poder se torna prioritário, antes de qualquer coisa.
    O primeiro passo para o metrô de Porto Alegre, foi dado em 1997, e contemplava a zona norte. Na ocasião a Prefeitura pertencia ao PT, o projeto do metrô era Federal. A política eleitoreira, travou tudo, a Prefeitura de Porto Alegre, não mostrou nenhum interesse, já que os dividendos políticos iriam para o Governo Federal.
    Primeiro o poder, depois o interesse público.
    Da mesma forma a extensão do Trensurb até Novo Hamburgo, foi embargada junto ao TCU pelos sindicalistas petistas da época. Novamente, primeiro o poder, depois o interesse público. Hoje aqueles sindicalistas são os dirigentes, e lutaram bravamente para liberar “a obra super faturada” até Novo Hamburgo, que eles mesmos atrasaram em 7 anos.
    Agora o metrô de Porto Alegre, trará dividendos políticos, para eles, que estão no poder. O interesse público, que seria uma obra coerente com as necessidades da cidade, pouco importa. Portanto, Felipe, o mais importante, para eles, é que o dinheiro e as obras estarão a todo vapor em 2010, ano de eleição.

    Curtir

  2. Não concordo com a necessidade de se dar mais 5 razões para se fazer o metrô, afinal o sim já foi dado pela população do Rio Grande Sul. Todo mundo quer o metrô e ponto final.
    Talvez essa necessidade constante de provar a importância do metrô, resida no fato de que alguma coisa esta errada, principalmente com o seu trajeto, que parece não ser o mais adequado. As avenidas troncais de Porto Alegre são a Assis Brasil-Benjamin Constant, Protásio Alves, Bento Gonçalves e Farrapos. A mais carregada é a primeira, todo mundo sabe. Como técnicos conseguiram aprovar um metrô passando pela Borges, José de Alencar, Rotula do Papa? Uma estação na Agronomia, outra na esquina da João Remião, parecem afrontar a lógica. Se a concepção foi um anel porque não começar por onde há maior demanda? Se a copa é o estopim para o inicio do metrô, porque não foi pego o primeiro estudo, e prolongá-lo até o estádio Beira Rio? Tem muita coisa que não sabemos ou os “técnicos”, não são técnicos bem preparados.
    O Trensurb deveria ter seu trajeto pela Av. Farrapos, como isso não ocorreu por motivos econômicos e políticos, hoje transporta somente a metade dos 300.000 usuários previstos. Quantos usuários de Canoas, Esteio, Sapucaia do Sul, preferem o ônibus e o automóvel, em detrimento de um trem que corre junto ao cais, e obriga a utilização de mais uma integração. O mais grave é que os técnicos da Trensurb, com toda essa experiência, não aprenderam nada, hoje transformaram as estações em mini camelódromos, para através de aluguel, aumentar a receita e diminuir o elevado subsídio.
    Os metrôs são para transporte de massa, e requerem demandas em torno de 30 mil passageiros horas, só assim se justificam. Muitos especialistas, urbanistas, professores de transporte da UFRGS, PUC, UNISINOS, UNIRITTER, emitem opiniões sobre a importância e os benefícios do metrô de Porto Alegre, mas de nada adiantará se ele não estiver no lugar certo, e isto parece que ninguém vê.

    Curtir

  3. O que espera a Zona Norte de Porto Alegre ? ? ? ? ? ? ? ?

    Curtir

  4. Bom, até a Copa, só vai sair até o Beira Rio.

    Fazer mais que isso, nem Dubai consegue.

    Quanto ao futuro, não sei mesmo, porque me preucupa muito a guerra política onde a oposição quer minar todos os governos que não os seus, e esse acirramento de ódios que tem nos feito perder investimentos pra outros estados e outras capitais, que tem evoluido muito mais rápido do que nós.

    Curtir

  5. > Felipe Mobus, colocar metro a baixo custo de alvorada a poa
    > poderá aumentar a criminalidade

    Argumento infundado e preconceituoso. Alvorada tem problemas com violência, concordo; mas isolá-la de Porto Alegre não vai ajudar em nada, pelo contrário. Se o metrô fosse até lá, aumentariam as oportunidades de trabalho para os Alvoradenses (sp?)

    > discordo que deveriam fazer até essas cidades.

    Eu não proponho isso, não para o curto/médio prazo. Minha proposta é que o metrô vá até a Assis Brasil de forma a atender as cidades vizinhas. Por atender, entenda-se diminuir o tempo da viagem, hoje feita toda de ônibus. Ao meu ver, a médio prazo, metrô até o Triângulo já seria ótimo. No triângulo todas as linhas das cidades vizinhas baldeariam.

    A longo prazo, eu quero um sistema de trens regionais como o da Alemanha. O sistema de lá cobre cidades não necessariamente conurbadas. É como se tivéssemos trens ligando Porto Alegre à Taquara ou à Gramado, por exemplo.

    > Felipe, acho viável um abaixo-assinado. Temos que levar essas
    > questões ao conhecimento da população e dos que atualmente
    > planejam o metrô.

    Tem uma coisa que me deixa meio otimista: se planejam operar com cinco estações pelo menos para a copa, é grande a chance de o pedaço maior (estádio-ufrgs) seja enrolado e não saia. Se for assim, pelo menos teríamos mais tempo para tentar mudar o projeto.

    Curtir

  6. O ideal para mim seriam 3 linhas:

    1) Zona Norte: do centro, seguindo pela Farrapos e depois pela Assis Brasil (futuramente, por superfície chegando a Alvorada Cachoeirinha e Gravataí)

    * O Trensurb também usaria essa parte subterrânea da Farrapos, extinguindo o trecho de superfície no centro e ao lado da Av. Castelo Branco).

    2) Zona Leste: do centro, seguindo pela Joao Pessoa e depois Bento Gonçalves (futuramente, por superfície deveria chegar a Viamão);

    3) Zona Sul: do centro, seguindo pela Borges, depois teria que ver qual o trajeto mais viável para chegar a Restinga.

    Os ônibus, mas também bondes e trolebus, fariam a interconexão transversal entre as linhas. No futuro, quando fossemos mais ricos, poderiam também haver linhas transversais de metrôs.

    Curtir

  7. O primeiro trajeto pensado da Linha 2, há anos atrás, contemplava as cidades da RMPA como Cachoeirinha, Gravataí e Alvorada. Não vejo nenhum problema em estender, futuramente, uma linha para lá. E não sei se uma linha circular seria o melhor caminho para o metrô de Porto Alegre. Porque não uma linha no eixo norte, passando por essas 3 cidades, e independentemente outra linha indo em direção sul e Azenha / Bento / PUC / UFRGS / Viamão ?

    Curtir

  8. Achei fantástica a explanação do Felipe. E totalmente coerente. Ao meu ver, esta idéia da Linha 2 vai sair sem discussão alguma com técnicos das universidades e com a comunidade. Felipe, acho viável um abaixo-assinado. Temos que levar essas questões ao conhecimento da população e dos que atualmente planejam o metrô.

    Curtir

  9. Felipe Mobus, colocar metro a baixo custo de alvorada a poa poderá aumentar a criminalidade, discordo que deveriam fazer até essas cidades. mas concordo que a zona norte precise.

    Curtir

  10. Vocês repararam como o maior problema do projeto do metrô (o traçado) é simplesmente ignorado pela reportagem da governista Zero Hora? Esse projeto é criminosamente ruim e, como cidadãos, devemos nos opor a ele. Exponho meus motivos:

    1) A Zona norte tem muito mais demanda, por vários motivos:
    a) é mais densa
    b) é maior
    c) tem o transporte público modal ônibus saturado
    d) é caminho de passagem para Alvorada, Cachoeirinha e Gravataí

    2) O trajeto proposto, ao tentar atender a demanda da copa, comete vários erros:
    a) desenha um balão horroroso: Uma viagem de ônibus entre a estação azenha proposta e o Centro provavelmente seria mais rápida do que a mesma viagem no traçado do metrô
    b) não atende decentemente o estádio Beira-Rio: entre o local proposto para estação (Borges x José de Alencar) e o Estádio, temos quase um quilômetro
    c) cria um traçado “marginal” à concentração urbana da cidade: a densidade do trecho sul da Borges é bem menor do que o trecho equivalente na João Pessoa. O ideal seria que, vindo da Av. Bento, o trajeto seguisse sob a João Pessoa, atendendo Santana, Azenha, Cidade Baixa e Bom Fim. O mesmo erro foi cometido na linha 1, que se avizinha à deserta Av. Castelo Branco, sem atender os bairros de POA.

    3) pelo que pude entender da reportagem, o método de construção será a céu aberto, isto é, os buracos serão cavados na superfície, o metrô construído, e depois tapado. Esse método causa MUITA perturbação à cidade; basta ver o tormento que foi o conduto Álvaro Chaves. Usar uma Tunnel Boring Machine (mais conhecido como “tatu”) é muito melhor nesse sentido, mas mais caro.

    Pois então, se NÃO se pretende usar o tatu, porque se optou por esse traçado? O tatu tem o defeito de só andar em uma direção, sendo inviável tirá-lo da terra para iniciar a obra em outro ponto. Se a ideia é cavar a céu aberto, podemos fazer a obra em vários locais ao mesmo tempo, e em várias direções. Isto é, poderíamos muito bem cavar uma linha reta entre o Estádio e o Centro, já deixando a coisa preparada pra virar para Assis Brasil

    4) o projeto prevê que o pátio de manobras seja construído nas imediações da sede campestre da Casa de Portugal. O pátio de manobras é essencial para a operação do metrô pois, como o nome indica, é onde são feitas as operações de manutenção e manobra dos veículos. No entanto, a reportagem dá a entender que a operação inicial se dará com cinco estações (Centro-Beira Rio?), sem acesso ao pátio de manobras. Me pergunto: como isso? Manobrarão os trens no subsolo? Não manobrarão? Vão dar manutenção onde?

    A linha precisa ter alguma ligação com a superfície, e uma forma possível de resolver esse problema é integrar a linha 1 à linha 2, permitindo que a linha 2 use o mesmo pátio de manobras da linha 1, que é localizado ao lado da estação aeroporto. Para fazer isso, poderíamos rebaixar a linha 1 entre o Mercado e a Rodoviária, e correr uma ponta de trilho da linha 2 até a linha 1 pelo subsolo da Av. Mauá. Talvez os engenheiros da Trensurb já tenham cogitado isso, mas não está claro na reportagem.

    > RicardoH, um dos maiores objetivos é fazer a linha para que
    > atenda a necessidade dos estudantes

    A UFRGS (vale) e a PUC, somadas, não chegam a 40 mil alunos. A Zona Norte com certeza concentra mais trabalhadores e moradores.

    > Afinal, o metrô é para Porto Alegre, e não para Alvorada/
    > Gravataí/Cachoeirinha.

    Cara, os limites geográficos oficiais da cidade pouco importam para as demandas de transporte dos moradores de um conglomerado urbano. As soluções de transporte público precisam reconhecer isso, e funcionar decentemente entre cidades diferentes. Não há nada de errado em os habitantes de outras cidades se valerem do “nosso” metrô. No traçado proposto, Viamão seria beneficiada. No traçado “zona norte”, outras cidades seriam.

    A minha singela proposta para o metrô:
    1) uma linha entre o Beira-Rio e o Centro, para já resolver a estrutura da Copa. No entorno do estádio poderia ser construído um terminal intermodal, para atender os ônibus da Zona Sul.
    2) construção com o Tatu entre a praça Antônio João e o centro, pela Avenida João Pessoa. O túnel do tatu poderia unir-se ao da Borges perto do Viaduto dos Açorianos, de forma que a obra do centro fosse feita inteiramente com Tatu.
    3) ligar, por túnel cavado a céu aberto, o túnel da linha 2 com uma linha 1 já rebaixada
    4) construção com o mesmo Tatu, em uma primeira fase, entre o centro e o Terminal Cairú. A principal vantagem é que teríamos um traçado mais livre. O traçado poderia ser sob a Rua Voluntários ao invés da Av. Mauá.
    Aqui nesse ítem 4 tenho cá minhas dúvidas se, tendo o Tatu a disposição, não seria melhor fazer o traçado mais “direto” entre o centro e a Av. Assis Brasil. Poderíamos ir então por baixo da Cristóvão até o IAPI, por exemplo, atendendo MUITO mais gente do que indo pela Farrapos.
    5) para o futuro, o Tatu estaria pronto sob a Av. Assis Brasil. A principal vantagem disso é que poderíamos construir o metrô de forma incremental, isto é, uma estação de cada vez, conforme o dinheiro permita, sem precisar de articulações políticas mirabolantes.

    Quem me apoia? Será que um abaixo-assinado monstro faria alguma sinapse ligar na cabeça dos projetistas disso?

    Curtir

  11. Mago, eu pego a Ipiranga na hora do rsh universitario. Fica muito congestionada, de fato.

    Também pego a Assis Brasil na hora do rush. É mais congestionada ainda. A quantidade de pessoas transitando na zona norte, no eixo Assis Brasil, no eixo Baltazar, é bem maior.
    E Alvorada/Cachoerinha/Gravataí fazem parte do problema de transito de Porto Alegre sim, completamente! Seus ônibus são MAIORIA a paralizar o corredor de ônibus na hora do rush e 50% nas horas normais.
    Fora os grandes empreendimentos, em Porto alegre mesmo, a zona norte é muito maior, é mais verticalizada, tem bairros enormes e povoadíssimos (Sarandi, Ruben Berta, leopoldina, Itu Sabará, Cristo Redentor, Passo da Areia, Floresta, Higienópolis, São João… são só alguns dos grandes), enormes shoppings e hipermercados, ainda mais outros em construção, comércio de rua riquíssimo e enorme, predios sendo construidos por todos os lados, e todas as avenidas, e não só a Assis Brasil, saturadas há tempos.

    Curtir

  12. Concordo com o Ricardo, a preferência em relação a uma linha de metrô deveria ser a zona norte, região onde moram muito mais pessoas e que está muito mais congestionada que qualquer outra. E pior, sem perspectiva de novas alternativas viárias.

    A idéia é boa, se o argumento para finalmente construirem o metrô são jogos no Beira-rio pela Copa de 2014, poderiam estender uma linha que percorresse a Assis Brasil e a Farrapos pela Borges até o estádio do Inter.

    Na verdade porto Alegre precisaria inicialmente de pelo menos 3 linhas de metrô: Z. Norte, Z. Leste e Z. Sul, nessa ordem de prioridade.

    Aliás se nós (cidadão, políticos e governantes) dessemos preferência para o transporte coletivo ao invés do individual (automóveis), esse sistema de metrôs já teria sido construído a muito tempo, pois dinheiro com o Poder Público há, e muito.

    Que bom que a Copa poderá proporcionar a realização desse sonho da capital gaúcha, só que ela não deve atropelar as necessidades e prioridades da cidade.

    Curtir

  13. RicardoH, um dos maiores objetivos é fazer a linha para que atenda a necessidade dos estudantes. Afinal, o metrô é para Porto Alegre, e não para Alvorada/Gravataí/Cachoeirinha. A Assis Brasil não é um caso único. Tente pegar a Ipiranga, Independência, Bento Gonçalves no horário do pico. A Ipiranga e a Independência ainda não tem corredor de ônibus, gerando um caos. É certo que uma linha deveria ser criada até o triângulo, assim como linhas: TERCEIRA PERIMETRAL, INDEPENDÊNCIA e outra que faça a ZONA SUL.

    Curtir

  14. O jornal mostra até estação na Agronomia! Zona quase rural!!! Não entendo porque fazer o metro na Bento Gonçalves, em detrimento do eixo Alvorada/Gravatai/Cachoeirinha, maqis o eixo Baltazar (que se deslocariam até o triangulo), mais a já em colápso Assis Brasil e seu corredor saturado, mais a imensa e povoadíssima zona norte e seus cada vez mais e maiores shoppings e empreendimentos!!!
    O Beira Rio não é desculpa. O metrô pode ir ATÉ o Beira Rio! E na sequência, posteriomente, à zona norte!
    Mas não: a esquecida e sempre igual zona junto à Bento vai ganhar o metrô, em detrimento à populosa e em crescimento zona norte e cidades vizinhas.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: