Bar Legal

Porto Alegre vive momentos de definições. Plano Diretor em debate na Câmara. Anda e não anda. Como usar a nossa Orla? O que fazer do Cais Mauá? Tivemos bons debates, mas, por outro lado, ouvimos muita hipocrisia e ignorância. Aprovamos uma lei que regra os horários de bares e restaurantes com mesas nas calçadas. O problema do barulho, da zoeira, da bagunça, da falta de sossego nada tem a ver com horários de funcionamento dos estabelecimentos. Nada. Tem a ver com a cultura do nosso povo, da falta de fiscalização, da necessidade de termos atitudes, a começar pelo dono do bar, pelo frequentador, pelo transeunte e o morador. É o mesmo que se dá com as leis de trânsito. O problema não é a sinaleira, não é a faixa de segurança, são as pessoas e seu comportamento inadequado, sejam motoristas ou transeuntes. Leis é que não nos faltam. Falta atitude! BAR LEGAL é uma ideia e um pequeno movimento que criei quando fui Secretário da Smic. É mais do que hora de retomarmos esta proposta. Fazer um bom material, explicando como deve ser o comportamento numa cidade que deveria virar 24 horas, buscar ser cada vez mais cosmopolita. Comparar cidades pode ser importante, mas como vamos comparar uma cidade com um inverno inclemente, onde sair de casa depois de certa hora é um atentado à saúde, com um país tropical? Tudo isso deve ser pensado.

BAR LEGAL deve dizer como devemos nos comportar. Não cabe vender bebidas em garrafas, alcançando ao comprador um copo plástico para que o sujeito saia do bar e vá beber na rua. Bar não é loja de conveniência. Como absurdo é ficar bebendo na pista de rolamentos, como se faz em Porto Alegre. É o antônimo da civilidade. Ficar bebendo na frente de bares, nas ruas, de noite na Cidade Baixa; de dia, em Ipanema, com o som dos carros a todo o volume é um atestado de imbecilidade, não de juventude.

BAR LEGAL significa não ficar falando alto, berrando, gritando, fazendo algazarra, porque as pessoas querem estar em suas casas sem ser perturbadas, seja para falar entre si, ouvir música, assistir a uma novela. Cada qual com seus gostos (civilizados). Ou ainda, cada macaco no seu galho. Onde está a Polícia e o azulzinho? Onde está o fiscal da Smam e da Smic? BAR LEGAL significa a boa convivência entre as pessoas, criar uma relação de cumplicidade e harmonia entre o dono de bar, o frequentador, o transeunte e o morador da região. Zoeira não existe só à noite. Querem algo mais bagunçado que Ipanema? Voltou a ser, neste momento, nos domingos de tarde, em plena luz do dia, um espaço de zorra total. O poder público deveria se unir à iniciativa privada e bancar um projeto desta natureza e mudar o modo de fazer as coisas. Nossa Porto Alegre seria muito melhor. Vamos começar, fazendo…

Adeli Sell – Vereador



Categorias:Cultura, Economia da cidade, Projeto de Revitalização do Cais Mauá

Tags:, , , ,

1 resposta

  1. EXCELENTE texto. “O problema não é a sinaleira, não é a faixa de segurança, são as pessoas e seu comportamento inadequado”. É exatamente isso. Não é a falta de de leis mas a falta de educação das pessoas que compromete nossa cidade, estado ou país.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: