Santa Catarina vai concorrer com Rio Grande

SC atrai estaleiro de US$ 1,2 bilhão

Depois de investimento bilionário na Grande Florianópolis, a corrida pela exploração do pré-sal colocou Imbituba na mira de consórcioSanta Catarina recebe apenas 0,67% dos royalties distribuídos pelo petróleo brasileiro e, se a legislação permanecer como está, terá que se contentar com isso, apesar do pré-sal. Mas as novas reservas podem render dividendos ao Estado antes mesmo de serem exploradas. Já são duas as empresas que pretendem instalar estaleiros no Estado para a construção de plataformas marítimas.

Depois do anúncio de investimento de US$ 1 bilhão em Biguaçu, agora é a vez de Imbituba entrar na mira dos grandes estaleiros. Um consórcio de empresas, liderado por uma construtora de São Paulo, planeja investir US$ 1,2 bilhão na implantação de uma indústria naval em área anexa ao Porto de Imbituba.

O estaleiro deve gerar 5 mil empregos na região, de acordo com o prefeito do município do Sul do Estado, José Roberto Martins.

– A nossa geografia é propícia para este tipo de investimento. E o Porto de Imbituba ainda é subutilizado. Hoje existem três berços, mas há espaço para cinco. Com o investimento do estaleiro, vamos ter que importar mão de obra – afirma ele.

Martins destaca que o calado (profundidade) do porto é o principal atrativo para a indústria naval, que prevê a construção de grandes plataformas marítimas. O porto deve entrar no Plano Nacional de Dragagem, o que permitirá aumentar o calado de 11 para 16 metros com aporte de R$ 50 milhões no ano que vem.

– É o menor custo-benefício do Brasil – explica.

O superintendente da Zona de Processamento de Exportações (ZPE) de Imbituba, Manoel Cavalcanti, trabalha para obter, em Brasília, a isenção de impostos para as plataformas do estaleiro.

imbituba

Área com mais de 1 milhão de metros quadrados (no alto, direita), junto ao Porto de Imbituba, está sendo negociada para receber o projeto do novo estaleiro

– A área em estudo é no prolongamento do berço 3, no Porto de Imbituba. Estamos trabalhando para que o consórcio possa obter os benefícios da ZPE – revela Cavalcanti.

O prefeito Martins ressalta que as empresas envolvidas ainda não querem aparecer porque o estudo está em fase embrionária.

Mais informações, no Diário Catarinense



Categorias:Economia Estadual

Tags:, , ,

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: