Estado prepara edital para o Cais do Porto

O projeto de Revitalização do Cais do Porto, que já passou por muitas administrações e há 20 anos aguarda uma solução definitiva, deverá ser aprovado pela Câmara de Vereadores ainda este ano. É importante ressaltar que a Copa do Mundo traz, entre outros benefícios, a capacidade de agilizar processos e decisões. Assim, o projeto que prevê as diretrizes gerais para revitalização do Cais Mauá – outra denominação da área – é um exemplo e continua superando etapas. Nesta quarta-feira (04/11), o assunto voltou a ser debatido na Secretaria Extraordinária da Copa 2014, com a presença do diretor da CaixaRS, Edemar Tutikian, responsável pelo projeto. O tema em debate com o secretário Paulo Odone e com o Diretor Geral e consultor da secretaria, Luiz Noronha, foi a preparação do edital de licitação, agilizando o processo. O projeto do Cais do Porto já foi apreciado pelos integrantes da Comissão de Análise Urbanística e Gerenciamento (Cauge), e o conteúdo da proposta foi encaminhado pela prefeitura à Câmara Municipal para alteração do Plano Diretor. A etapa seguinte foi a análise pelo Conselho Municipal do Meio Ambiente (Comam), presidido pelo secretário municipal do Meio Ambiente, Professor Garcia, aprovou o referido projeto. Também foi realizada uma audiência pública na Câmara de Vereadores e agora o projeto deve ser encaminhado ainda este mês para votação.

Na seqüência, o governo do Estado fará a licitação internacional. A expectativa é de que o edital seja lançado até o final do ano, com início das obras em 2010 e conclusão em 2014, por ocasião da Copa. Na reunião desta terça-feira foi desenvolvida sob dois eixos para a preparação do edital: – Primeiro foi debatida a proposta de criação de um Grupo de Trabalho dentro do Governo do Estado para definir quem fará o edital. E entre estes componentes está a Secretaria Extraordinária da Copa 2014; – A segunda questão foi a avançar na Modelagem do Edital, levando em consideração os quesitos de técnica e preço.

O Diretor Geral e consultor da Secretaria, Luiz Noronha, entende que é importante “ a experiência da Empresa que vai oferecer o projeto e a proposta”. Diz que é mais importante do que o nome da equipe, ou a idade do engenheiro. Para Edemar Tutikian, seria interessante ter um arquiteto de prestígio assinando o projeto da obra “porque assim seria um atrativo a mais para os turistas”. O secretário Paulo Odone, por sua vez, ressaltou a importância de valorizar o acesso ao Cais, “pois por sua localização, certamente vai ter um tráfego intenso e não é admissível ocorrer congestionamento do trânsito”. Há estudos de mobilidade urbana para uso de passarelas para pedestres em determinados pontos, assim como “rebaixamento” da avenida com um passagem subterrânea e mesmo elevadas, dependendo das condições do terreno. “O importante é que a obra seja realizada de acordo com a legislação e respeitando as determinações da Antac”, acrescentou Noronha.

Fonte: Porto Alegre 2014



Categorias:Outros assuntos

2 respostas

  1. É mesmo inacreditável que, passados vinte anos, ainda se gaste tempo com maquinações sobre possíveis grupos de trabalho que, por seu turno, deverão criar comissões para elaborar estudos para a montagens de editais de licitação, etc. etc. etc. É uma náusea sem fim. Tudo, aparentemente, embalado por um repentino alvoroço causado por um campeonato de futebol, como se esta futura Copa fosse a redenção de nosso crônico atraso e tivesse o dom mágino de, em sua esteira, nos catapultar a uma condição de quase-primeiro mundo. Significa dizer, por outro ângulo que, caso a Província tivesse sido preterida na escolha de cidade-sede de – quais mesmo? – jogos da Copa do Mundo, passaríamos outros tantos anos em infindáveis discussões sobre a “Porto Alegre, uma Visão de Futuro”, tudo em nome da tão proclamada “consciência política” de nossa pretensamente esclarecida e politizada elite pensante. Não é preciso ser titulado em sociologia para perceber que, enquanto perdurar este já atávico conflito entre “nós” e “êles” que estigmatiza esta cidade, continuaremos férteis na gestação de belos projetos de modernização da urbe, mas que permanecerão apenas isto: simplesmente belos projetos. Eternamente. A propósito desta trágica sina, leia-se o artigo “A Síndrome dos Chimangos e Maragatos”, do sr. Paulo Vellinho, publicado na edição de sábado último do jornal Zero Hora: brilhante, mas certamente condenado ao esquecimento. Sim, lamento dizer, mas tornei-me um pessimista em relação a Porto Alegre.

    Curtir

  2. Otima noticia!!

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: