Bonde pode voltar às ruas do centro da Capital

O Ministério do Turismo assegurou R$ 400 mil para projeto de retomada do veículo Substituídos por outras formas de transporte coletivo em 1970, os bondes ganharam ontem um novo impulso para voltar às ruas da Capital. O governo federal garantiu R$ 400 mil – de um total de mais de R$ 1 milhão – para o estudo de viabilidade da retomada do veículo como atração turística, prometida desde o começo dos anos 2000. O anúncio ocorreu durante encontro entre a prefeitura e a Trensurb. Aideia é de que seja criada uma linha de bonde elétrico que passe pelos principais pontos turísticos e culturais do Centro Histórico, como Mercado Público e Usina do Gasômetro. Nas estações, deve haver quiosques com informações sobre as localidades visitadas e acerca da história deste meio de transporte em Porto Alegre. Dois carros antigos devem ser restaurados para voltarem a circular em um trajeto de 3,3 mil metros de trilhos e via aérea simples. Apesar de a promessa de retomada do bonde já ter cerca de uma década, foi só no final de 2009 que ganhou consistência. Isso porque a prefeitura pediu a inclusão da proposta no Programa Nacional de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur). – É um equipamento diferente. Remete ao passado, tem um aspecto lúdico – afirma o secretário municipal de Turismo, Luiz Fernando Moraes. O superintendente de Desenvolvimento e Expansão da Trensurb, Humberto Kasper, cita Santos, no litoral paulista, como um exemplo em que a reimplantação teve sucesso. – O bonde traz vida. As pessoas se deslocam muitas vezes só para andar nele – afirma. Além de avaliar o impacto da inserção do bonde, o estudo de viabilidade servirá como base do projeto de implantação da atração turística. Ainda não há previsão de prazo para que o veículo retome às ruas.

fonte: zerohora.com



Categorias:Outros assuntos

10 respostas

  1. Li uma em outro veículo de informação matéria sobre os Bondes estariam voltando paísagem cotidiana do Centro de Porto Alegre, num projeto turístico que arrasta-se já por uma década. Passou-se quase quatro anos daquela matéria e não ouvi mais nada sobre este assunto.

    Será que o Lobby das empresas de ônibus mexeu com os “pauzinhos” e a Prefeitura e a Câmara de Vereadore devem ter-se esquecido deste projeto, que se fosse pela vontade popular já estariam em todas linhas desativadas em 1970, na era da ditadura.

    Os Bondes ainda existem, é só recolhe-los das escolas, lugares onde estão abandonados,
    os trilhos e linhas elétricas também, faltaria reforma os veículos com uma modernização, ar-condicionado, banco reclináveis, introdução de motor a gás numa eventual falta de energia, etc.

    Para isto teria que ser feito um edital para que as empresas de ônibos que desejassem ser parceiras ou a própria Carris, este caso é político e burocrático, pois eles ainda são patrimônio da mesma, e claro um corredor exclusivo ou mesmo o dos ônibus, readaptação do trânsito aos mesmos etc.

    Mas o que pergunto é: por quê a prefeitura refuga este transporte sob trilhos que existe em todo mundo, que tem seus trilhos por todas as avenidas da cidade ainda preservados?

    Só leio assuntos do Tremsurb até Novo hamburgo etc., mas o transporte dentro de Porto
    Alegre, com tanta poluição, não mereceriam mais atenção? Pelo que li, quase trezentos bondes que foram desativados, uma frota e tanto para ajudar a despoluir o ar e diminuir a poluição sonora, e o chaarme que eles dão, mas este desdém como este assunto é tratado ou engavetado, é triste ver como nossos plolíticos só pensam no lucro pessoal, pior é o povo que não mobiliza-se!

    Curtir

  2. Maravilhoso ter este transporte coletivo não somente num trajeto
    turístico.Aos poucos revitalizar o transporte coletivo em bairros próximos ao centro que tem sua malha ferroviária ainda intacta como Independência, Moinhos de Vento, Auxiliadora, e Borges de Medeiros.Quando há vontade real nada e ninguém impedem de fazer algo de bom antes à sociedade, transporte coletivo comum do povão sempre desassistido pelo poder público!O ar da capital que está cada vez mais poluído sem falar o crime contra o patrimõnio histórico da cidade, consumado quando o prefeito ao mando do lobbie de fabricantes de ônibus aliado ao desastre da ditadura militar que mataram a alma da cidade conhecida como a capital dos bondes.Dizer que não tem espaço etc. é mentira!Para quem está acostumado com os corredores de ônibus, ter bondes modernizados com motores à gás no caso de falta de energia por exemplo e ar-condicionado e bancos reclináveis, opção de transprte de luxo, porque não?Lembro que países como Canadá, EUA, e praticamente na Europa inteira além do Oriente a opção de transporte é totalmente normal!Será que o Brasil seria melhor que tais países?Transporte férreo opção barata e simples para acabar
    com a poluição do ar e sonora.O problema é que este papo está arrastando-se por dez anos e não tenho esperança de vê-los novamente rodando pela cidade!Meu adeus aos bondes dei há quarenta anos, uma pena!

    Curtir

  3. Desculpem-me o pessimismo.É que só em época de eleições falam sobre este assunto que deveria ser acima de partidos ou ideologias partidárias.Mas como aqui tudo funciona a favor dos interesses de políticos corruptos que só querem estar no poder, aí prometem mundos e fundos, quando assumem, eles vem com a conversa que não era bem isto, que os estudiosos do setor acham
    inviável e tudo volta ao esquecimento até a próxima eleição!A culpa deste estado de coisas é do povo mesmo que elege estes caras-de-paus tipo o tal de Arruda,que fazem tudo para colocar as mãos no dinheiro do povo e aí somem com ele pros paraísos fiscais como o tal Maluf.No dia que um cara assinar um protocólo de compromisso de obras e assinar previamente sua exoneração
    caso não faça o prometido sem direito a aposentadoria do cargo e dê pra mim tocar a obra, só se me matassem pra não cumprir tal compromisso!Mas como não entro nesta de político não tenho confiaça em ninguém mais, adeus aos bondes já dei há quarenta anos atrás, lamentável!

    Curtir

  4. O tema está ficando chato, já enviei diversos comentário à Zero
    Hora sobre quanto os bondes são utilizados em tantos países do primeiro mundo.É uma vergonha nós ver-mos os trilhos enterrados
    e termos testemunhado sem fazer nada o assassinato deste transporte tradicional de nossa cidade.Agora no terceiro milênio quando o ar da capital está irrespirável é que lembram-se deste trasporte que é utilizado em quase todo o mundo mas aqui nesta “terra brasilis” não!Demo-nos o luxo a gastar com asfalto e óleo diesel, fonte de poluição do ar!Necessitamos do bonde?O custo da
    passagem de ônibus é altíssimo, coloquem no papel!O bonde tem custo com pneus, desgastes do motor etc?Mentirosamente diziam que trancavam o trânsito, que eram antiquados, mas era só colocar nos corredores dos ônibus, no caso de falta de energia
    um motor à bio-diesel ou à gás para emergência e pronto assunto encerrado!Sabem quando veremos os bondes rodando de novo pela cidade?É isto mesmo, nunca mais infelizmente se depender das autoridades que lucram com esta indústria bilionária do transporte público!É lamentávem, muito triste pensar que tínhamos quase trezentos vagões que levavam o povo pra cima e pra baixo com um custo das passagens bem menores! Claro que se derem a concessão para os marajás do asfalto, os empresários de ônibus loguinho encheriam a cidade de bondes, lucro fácil, mas como é para o benefício do povo aí não dá!

    Curtir

  5. Não existe LOBBY maior no mundo do que o da indústria automobilística e petrolífera. Por isso, para que projetos de trens, metrôs, bondes, trolebus e VLTs prosperem é precisa que surjam políticos “descomprometidos” e com visão de longo prazo, bem como é necessáruio o apoio e a pressão da sociedade.

    Mas, por aqui a sociedade só se organiza sob a bandeira e interesses de ideias retrógradas e pseudoideologizadas ou tendo em vista projetos eleitorais de partidos políticos.

    E os políticos e partidos políticos brasileiros não tem visão nenhuma de futuro e o próposito de construir as bases de um projeto de futuro para o país. Para eles o que importa é o presente ou, no máximo, as próximas eleições daqui a 4 anos. Daí é melhor (mais barato e que leva menos tempo) construir ou asfaltar uma nova estrada do que investir em transportes coletivos mais eficientes e menos poluentes.

    Curtir

  6. Até imagino os corredores de ônibus virando gramados, com os bondes passando silenciosamente sobre trilhos… Que diferença! Muito mais área verde, menos concreto, menos asfalto, mais permeabilidade, menos poluição!
    Por que os ecoxiitas não fazem manifestações contra os ônibus e seus corredores e a favor dos bondes?

    Curtir

  7. Complementando o Gil, uma enumeração básica das vantagens dos bondes sobre os ônibus:

    1) não causam poluição atmosférica local
    2) têm motores mais silenciosos
    3) têm motores mais confiáveis, que vibram menos, propiciando conforto
    4) têm vida útil de até 30 anos
    5) são mais estreitos, requerindo menos espaço na via
    6) são guiados por trilhos, permitindo curvas precisas com menor raio
    7) a viagem é sem solavancos
    8) conseguem atrair pessoas que não andariam de ônibus
    9) os motoristas respeitam mais o trilho do bonde do que o corredor de ônibus
    10) têm uma operação flexível quanto a carga, sendo possível emendar veículos
    11) os trilhos requerem menos manutenção
    12) os trilhos podem ser construídos sobre grama ou terra, permitindo infiltração de água no solo (impossível com concreto nos corredores)

    Enfim, a diferença no custo de construção se paga a médio prazo.

    Curtir

  8. Bah, será que é tão caro assim comprar alguns bondes modernos para fazer o centro, a Borges até o Beira-Rio (já que o metrô não vem mais) ou até o shopping e pontal, e mais tarde aos poucos estendendo até os Portais?
    Como Porto Alegre pôde ter dezenas de bondes na primeira metade do século passado mas agora não pode mais?
    Um bonde moderno tem muitas vantagens em relação a um ônibus articulado previsto para os portais: menos poluição visual, sonora e nenhuma emissão de gases; mais conforto: não tem solavancos, facilita a leitura a bordo, enfim, seria muito mais procurado por pessoas que normalmente usam carros. Com a tecnologia de comunicação com os semáforos, seria mais rápido também. Levaria mais passageiros por veículo (imagino).
    É mais bonito, e traria muito mais qualidade de vida para a cidade, por todo o dito e mais coisas que nem me ocorrem.
    A prefeitura deveria pelo menos estar discutindo essa possibilidade publicamente.
    Porque estas coisas que são obviamente benéficas parecem ser muito boas para Porto Alegre exatamente por serem benéficas?

    Curtir

  9. verdade…. vou mais além… linha turística q nada. linha normal pelo centro. o turismo de dá em usufruir do sistema de bonde.

    Curtir

  10. Mas então o bonde é só pra turista? Turismo é importante, mas fazer uma alteração desse porte no coração da cidade só pra turista ver é dose.

    Esse projeto só é interessante se a linha construída também for usada para o transporte “normal”, do dia-a-dia, dando mais uma opção de deslocamento dentro do centro. Se formos pensar bem, não é necessário mais do que uma viagem “turística” por hora no traçado. No tempo restante, poderíamos muito bem ter um bonde mais moderno circulando.

    Essa minha proposta ainda tem um ponto de bônus: renovaria o interesse pelos bondes modernos, tirando-lhes o estigma de “coisa velha caindo as pedaços” que o povo associa hoje. Talvez assim poderíamos pensar em bondes indo por avenidas como a Cristóvão e a Independência.

    Aliás, do centro até a esquina da Cristóvão com a Benjamim são 3,3 km. Pense nisso.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: