O PSDB tem razão: no RS o PAC não entregou uma só grande obra

Nesta quinta-feira à tarde, o presidente Lula reuniu o ministério e ofendeu o senador Sérgio Guerra, o chefe do principal Partido da oposição, o PSDB (leia análise mais adiante). Lula ficou irritado pela “incompreensão” do senador em relação ao PAC.

No RS, segundo levantamento do jornal Zero Hora, que visitou as 20 principais obras lançadas com pompa e circunstância pela ministra Dilma Roussef, o número de obras entregues corresponde a zero.

Mais: 1/3 de todas as obras anunciadas para o RS nem sequer saíram do papel.

Eis os dados levantados pelo jornal, considerado o principal aliado do governo do PT no RS:

– Só no papel: 33,3%
– Obras travadas: 25%
– Em andamento, mas com atrasos: 41,7%%
– Obras entregues: Zero

De acordo com a ONG Contas Abertas, das 12.520 obras programadas pelo PAC há três anos para todo o território brasileiro, apenas 1.229 foram concluídas.

Isto representa 9,8% do total.

O repórter Marcelo Gonzatto, examinou obra por obra em duas páginas do jornal e concluiu que nenhuma delas foi entregue.

A Mãe do PAC, a ministra Dilma Roussef, candidata em campanha aberta, não foi ouvida pelo jornal ou não quis falar. Quando ela vier ao RS (“Dilma é gaúcha, tchê”, avisou Zero Hora nesta quinta), dia 5 de fevereiro, poderá explicar por que o PAC não sai do lugar no seu próprio Estado.

Apesar desse fracasso evidente, o governo Lula quer lançar em fevereiro o PAC 2.

CLIQUE AQUI para examinar a tabela das obras examinadas uma a uma pelo jornal de Porto Alegre.
CLIQUE AQUI para conferir a reportagem de Contas Abertas.

Políbio Braga

___________________________

Radical ou não, o Políbio está coberto de razão. Sinto muito quem não gosta dele. O RS é discriminado sempre ! Isso não é novidade !



Categorias:Outros assuntos

Tags:, ,

1 resposta

  1. As análises dos jornais, e do Políbio também, “esquecem” que as obras do PAC não são de execussão imediata. Todas são grandes obras de infra-estrutra, que por óbvio não serão entregues em poucos anos.
    Tome-se como exemplo a extensão do trensurb aqui no estado, que ainda que esteja com o cronograma em dia será completada daqui a alguns anos, já que não se pode esperar que a construção de quilometros de trilhos e diversas estações sejam entregues em questão de meses. Da mesma forma estradas, pontes, portos e aeroportos, etc.
    Não se trata de ser o Pac, o Lula, o PT, o RS ou qualquer outro fator, tais tipos de construções não se materializam de uma hora pra outra, dependem de longos períodos de construção, independente do governo que as propõe, das empreiteiras que realizam ou da região em que são feitas.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: