Copa 2014: Capital pede recursos da União para novas obras

Com a obra do metrô em Porto Alegre excluída do projeto da Copa, a prefeitura da Capital busca recursos para outros empreendimentos. Diante de uma lista de obras, o governo federal estuda liberar mais dinheiro para o projeto de mobilidade urbana de Porto Alegre.

Ovice-prefeito e secretário extraordinário da Copa, José Fortunati, entregou ontem a representantes de 12 ministérios o pedido para que sete projetos sejam incluídos na lista dos empreendimentos necessários para os jogos de 2014. Com um custo estimado de R$ 125 milhões, o pacote prevê a duplicação e o prolongamentos de vias urbanas, a construção de uma ciclovia e de dois viadutos, bem como obras para desafogar o trânsito ao redor da rodoviária.

– Porto Alegre acabou sendo prejudicada no financiamento das obras para a Copa de 2014. Esse foi o grande argumento que usamos para que o governo federal reabrisse as negociações com a nossa cidade – diz Fortunati.

De acordo com o vice-prefeito, o governo se comprometeu a dar uma resposta até sexta-feira, mas já sinalizou que o projeto de ciclovias também pode ficar de fora do pacote de obras da Copa, já que nenhuma outra cidade irá receber este tipo de investimento. A prefeitura espera divulgar no segundo semestre a licitação das obras já aprovadas.

Novos projetos

  • Duplicação de 4,5 quilômetros da Rua Voluntários da Pátria
  • Prolongamento de 2 quilômetros da Avenida Severo Dulius
  • Inclusão da Avenida Bento Gonçalves nos Portais da Cidade
  • Ciclovia interligando o Centro aos bairros
  • Duplicação de 1,2 quilômetro da Avenida Edvaldo Pereira Paiva
  • Viaduto da Terceira Perimetral sobre a Avenida Cristóvão Colombo e a Rua Anita Garibaldi
  • Obras para desafogar as imediações da Rodoviária

ZH

 



Categorias:COPA 2014, Infraestrutura

Tags:, ,

5 respostas

  1. Muito importante essas obras, se todas forem executadas Porto Alegre virará um canteiro de obras ano que vem. Mas a cidade precisa de uma maquiada, um banho de asfalto e de limpeza.

    Curtir

  2. Bom, faz sentido. Infelizmente!

    Curtir

  3. Devido ao exagerado CENTRALISMO FISCAL do Poder Público brasileiro, em que a União fica com quase 70% do impostos, poucas cidades e estados tem condições de tocar sozinhos obras importantes.

    Isso acontece mesmo para uma simples CICLOVIA, pois exige alteração de todo um sistema de circulação que já está congestionado a muito tempo, já que nossas ruas foram feitas sem que houvesse previsão de espaçao para esse tipo transporte.

    Na verdade Estados e Municípios não conseguem nem cumprir suas funções básicas nas área de SAÚDE, EDUCÃÇÃO e SEGURANÇA PÚBLICA, quanto mais investir em transporte sem ajuda federal ou de organismos de crédito internacionais.

    Curtir

  4. Concordo com o Glauber no que diz respeito a desculpa esfarrapada do governo federal mas será que Porto Alegre, uma das maiores cidades do país, não tem dinheiro próprio para construir uma ciclovia?

    Curtir

  5. Caramba, Poa não pode ter ciclovia porque as outras cidades não receberam ciclovias? é isso mesmo?
    Será que o governo federal não tinha um argumento mais chulo que dizer que “Porto alegre só poderá ter obras que já existam em outras capitais”?

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: