Laçador é pichado pela segunda vez

Prefeitura começa hoje a limpar monumento, que é protegido por uma pintura antipichação

O Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) anuncia para a manhã de hoje a lavagem da Estátua do Laçador, que foi alvo de uma pichação no fim de semana.

As inscrições na base do monumento foram notadas às 5h40min do domingo, durante a patrulha diária da Guarda Municipal. É a segunda vez que a estátua-símbolo da Capital é pichada. A outra ocasião foi há cerca de dois anos.

A vantagem é que, desta vez, a remoção dos garranchos e dos traços terá custo mínimo. Como depois da última agressão o monumento recebeu pintura antipichação, bastará a lavagem para recuperá-lo. Cerca de 25% mais cara do que uma tinta comum, a tinta antipichação produz uma película que isola e protege a pintura original.

– O lado bom é que vamos resolver essa situação tranquilamente. Às vezes, basta lavar com água e sabão. Se a pichação é muito forte, solvente resolve – afirma o diretor-geral do DMLU, Mário Moncks.

Polícia ainda não tem pistas dos autores

A tinta antipichação é usada há dois anos em Porto Alegre, com sucesso. A prefeitura fez uma licitação de R$ 815 mil para adquirir o material especial, com o objetivo de aplicá-lo nas pontes do Arroio Dilúvio e nos viadutos da Capital – o décimosegundo será protegido nos próximos dias pela equipe do DMLU.

Com o uso da tintura especial, o custo e a demora para recuperar bens pichados despencam. Antes era preciso repintar as estruturas, o que significava gastos com material e maior prazo de execução. Agora é possível contra-atacar os vândalos de um dia para o outro.

Na semana passada, por exemplo, o Viaduto Imperatriz Leopoldina foi vítima dos pichadores. No dia seguinte, estava recuperado.

– Faz dois anos que conseguimos manter os viadutos limpos. Estamos mostrando que podemos brigar de frente com eles – comemora o diretor do DMLU.

Conforme a Guarda Municipal, ainda não há informação sobre os autores do ataque ao Laçador. A Polícia Civil foi chamada e enviou peritos para coleta de material no monumento.

ZH



Categorias:Outros assuntos

Tags:, , ,

2 respostas

  1. PIXAR É CRIME EM UM PAÍS ONDE ROUBAR É ARTE!
    mas cada um faz seu corre.. mas pixar monumento não eras! 🙂

    Curtir

  2. a tinta realmente funciona e traz um grande alívio para viadutos e pontes, mas a prefeitura anda pisando na bola nesse quesito (também). O viaduto José Eduardo Utzig foi recentemente pintado com essa tinta, porém, somente onde os vândalos teoricamente poderiam pichar. Acontece que a tinta tem aquela cor (de gosto duvidoso) mais escura do que o cimento, o que deixou ridiculamente pintado o tal viaduto. Agora quem passa por ele diariamente nota que ele está pintado pela metade, deixando o resto na cor original. Um trabalho de preguiçoso feito nas ‘chochas’ como diria meu avô.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: