TIROS NO PARQUE: Confronto de gangues fere cinco na Redenção

Um dos adolescentes baleados foi ferido na cabeça e estava em estado gravíssimo até ontem

Milhares de pessoas que aproveitavam o domingo de sol na Redenção, na Capital, viveram momentos de pavor na tarde de ontem.

Depois de marcarem o encontro pela internet, cerca de 40 jovens de gangues rivais, da Vila Jardim e do Campo da Tuca, na Zona Leste, se enfrentaram a tiros e pelo menos cinco garotos acabaram baleadas.

Quatro adolescentes com idades entre 16 e 17 anos foram alvejados no pé, nas costas, na cintura e no ombro e estão fora de risco de vida. Um adolescente de 15 anos foi atingido na cabeça e, até ontem à noite, seu estado era gravíssimo.

– Foi o terceiro domingo seguido que essas gangues brigaram aqui. Das outras vezes, ficaram apenas nas agressões, mas agora voltaram armados – garantiu um vendedor de cachorro-quente, que não quis se identificar.

Depois da confusão, cerca de 50 jovens foram levados pela Brigada Militar à Delegacia da Criança e do Adolescente. Vestidos com bermudas e usando bonés (a maioria com a aba virada para a nuca), os adolescentes estavam revoltados. Um deles, de 16 anos, antes de entrar em um micro-ônibus da BM, afrontou um policial militar:

– Por que vocês não vão lá pegar o cara que deu os tiros? Ele vai morrer, pode acreditar, ele vai morrer – disse, colocando o dedo em riste antes de ser empurrado para dentro do veículo.

Eles foram ouvidos como testemunhas e depois liberados.

O tumulto começou por volta das 17h30min. Cantando palavras de ordem e batendo palmas, os grupos entraram na Redenção pela Avenida Osvaldo Aranha. Nas imediações do espelho d’água, eles começaram a se ofender. O relato de uma testemunha aponta que dois deles estavam armados e começaram a atirar.

– Deram pelo menos 10 tiros. Foi um horror, todo mundo saiu correndo. Acho que nunca mais trago minha filha aqui – disse um mulher de 34 anos, que se atirou no chão durante os tiros com a filha de 12 anos.

A Brigada Militar já havia conseguido identificar pelo menos um dos atiradores, um adolescente morador do Campo da Tuca. Os PMs tentavam localizar o jovem, mas até a madrugada de hoje ninguém havia sido preso.

– Eles vivem se jurando pela internet, e desta vez, infelizmente, cumpriram a promessa – disse o comandante do 9º BPM, tenente-coronel Alfredo Freitas.

Com os tiros, o pânico tomou conta do parque. Um policial federal aposentado que passava a tarde na Redenção socorreu o rapaz ferido na cabeça. Ele viu quando o atirador e dois comparsas saíram correndo em direção ao campus da UFRGS. Em meio ao tumulto, pelo menos três crianças se perderam dos pais e ficaram 40 minutos no parquinho até serem encontradas pelos pais.

ZH



Categorias:violência

Tags:, , , ,

2 respostas

  1. Boa tarde:

    Agradeço por poder expressar minhas ideias/reflexões aqui…
    POA está ficando cada vez pior! E não só a capital gaúcha – como outras de vários Estados; além de vários países também.
    Nos noticiários, a maioria das noticias são coisas assim: FLAGRANTES/PRISÕES/COISAS RELACIONADAS ÀS DROGAS… E parece que tais problemas NUNCA SE RESOLVEM!
    Semana passada houve uma tentativa de roubo no meu prédio; só em experiencias ruins do tipo é que APRENDEMOS/TOMAMOS LIÇÕES para tais não se repetirem mais.
    E o perigo está em VÁRIAS SITUAÇÕES – ao andar na rua/no mundo virtual/em pessoas onde confiamos e quando vemos são uns crápulas mesmo… Vontade de fugir/abandonar tudo e se refugiar em um ambiente onde NÃO HAJA NADA!
    Momento de (re)ver leis/códigos mesmo.

    Abraços,
    Rodrigo Rosa

    Curtir

  2. Eu estava voltando da casa de um amigo e na parada em frente ao Julinho tinha umas 8 viaturas e umas 15 pessoas deitadas no chão da parada sendo revistadas e após foram levadas pela polícia.

    ponto positivo para a ação imediata da polícia.
    ponto negativo para a falta de policiamento no começo do titoreio, que vitimou um menor de 15 anos que não tinha nada a ver com o a briga das gangues (também chamada de bondes)

    A polícia tem que dar um basta nestes delinquentes que vão para rua portando armas sem nenhum escrúpulo para açoitar vidas de pessoas decentes.

    Adoro a frase que diz:
    DIREITOS HUMANOS, PARA HUMANOS DIREITOS

    Abraço e parabéns pelo blog

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: