Novo estilo no comando da Capital

Com a renúncia de Fogaça, José Fortunati administrará a partir de amanhã a prefeitura por dois anos e nove meses

José Fortunati quer aparecer. Não no sentido pejorativo – porque o novo prefeito de Porto Alegre condena exibicionismos –, mas Fortunati de fato precisa aparecer. E vai se empenhar para isso. Com a renúncia de José Fogaça (PMDB), que concorrerá a governador na eleição de outubro, o vice-prefeito pedetista assume o Paço Municipal às 11h de amanhã, durante um ato na prefeitura.

Fortunati, aos 54 anos, vai chamar para si uma profusão de atenções que, nos próximos dois anos e nove meses, pode lhe consagrar ou aborrecer.

À população, terá de mostrar como coordenará uma das maiores maratonas de obras da história da Capital.


Clique aqui para ampliar o quadro acima.

Ao partido, que após 22 anos retorna à prefeitura, terá de mostrar como reverter a curva descendente que encolhe o PDT gaúcho. A si mesmo, finalmente, sua missão é certificar-se do quanto poderá, de fato, se firmar como um líder político – desprestigiado por sua antiga legenda, o PT, 10 anos atrás.

Fortunati sabe que a maior oportunidade de sua carreira chegou. Para a chance não escapar, pretende fiscalizar pessoalmente buraco a buraco na cidade – afirma sentir-se pouco seguro apenas com os relatos de assessores. Porto Alegre se abrirá em crateras a partir de junho, quando começa uma série de obras, a maioria envolvendo trânsito (veja quadro abaixo), para preparar a Capital para a Copa do Mundo de 2014.

– Será preciso ação e resultado, ação e resultado. Fogaça desenvolveu um ótimo cronograma estratégico, e a execução ficou nas nossas mãos – diz o também pedetista Márcio Bins Ely, secretário municipal do Planejamento, adiantando que a cidade se transformará “num verdadeiro canteiro de obras” até o fim do mandato.

Bins Ely foi um dos primeiros a receber a pressão de Fortunati, apreensivo sobre os tormentos que a população sofrerá com as escavações. O secretário pensava em concorrer a deputado estadual, mas o chefe pediu que ficasse.

Orçamento Participativo deve passar por melhorias

O novo prefeito pretende impor outra forma de gestão, embora garanta dar seguimento ao programa de governo atual.

– Nos parece que o estilo do Fogaça é mais low profile (discreto, com pouco apelo midiático) na divulgação dos resultados – afirma Bins Ely.

Diante da quantidade de obras previstas, a ideia na prefeitura é estreitar a proximidade com as comunidades. No meio de bairros e vilas, Fortunati também pretende aparecer. Ele acredita que o Orçamento Participativo – implantado em 1989, na gestão de Olívio Dutra (PT), precisa ser melhorado, e logo promoverá um debate com líderes comunitários para discutir a questão.

– É um perfil mais vinculado a esses movimentos populares. Não será um mandato-tampão – promete o secretário de Direitos Humanos, Nereu D’Avila.

Valter Nagelstein, novo secretário da Smic

Pelo menos nove pastas sofrerão mudanças:

  • Gestão – Sai Clóvis Magalhães e entra o gestor técnico da Secretaria da Copa Newton Baggio. A transição será feita ao longo do mês de abril.
  • Smic – Sai o vereador Idenir Cecchin (PMDB) e entra o também vereador Valter Nagelstein (PMDB).
  • Fazenda – Sai Cristiano Tatsch e entra o superintendente Administrativo da Assembleia, Urbano Schmitt. Tatsch fica no cargo até 16 de abril para que Urbano possa se inteirar da situação na Fazenda enquanto faz a transição na Assembleia.
  • Governança – Sai Clênia Maranhão e entra o ex-chefe da Casa Civil Cézar Busatto. Ele foi o primeiro titular da pasta.
  • Esportes – Sai o vereador João Bosco Vaz (PDT) e entra o professor de Educação Física Edgar Meurer.
  • Smov – Sai o vereador Maurício Dziedricki (PTB) e assume o secretário-adjunto Cássio Trogildo.
  • Comunicação – Sai o jornalista Anilson Costa e entra Flavio Dutra, como superintendente.
  • Saúde – O médico Luiz Carlos Seligman assumiu no lugar de Eliseu Santos, mas o PTB deve indicar outro nome.
  • EPTC – Sai Luiz Afonso Senna. Fortunati diz não ter pressa por que como Senna não é candidato pode ficar mais alguns dias.

ZH

___________________________

Eu, particularmente, comemoro a saída do Idenir Cecchim da Smic e a entrada de uma pessoa com pensamentos grandes e avançados, Valter Nagelstein, que por sinal, é colunista do site Porto Imagem.



Categorias:COPA 2014, Economia da cidade, Infraestrutura, Outros assuntos

Tags:, , , , , , , ,

3 respostas

  1. “Sai Luiz Afonso Senna. Fortunati diz não ter pressa por que como Senna não é candidato pode ficar mais alguns dias.” Infelizmente 😦

    Curtir

  2. Não quero me meter no conteúdo editorial do blog…rsrsrs… mas aproveitando a safra de (possíveis) boas notícias pra Porto Alegre, saiu hj no Jornal do Comércio: AUMENTA DISPUTA POR UM LUGAR NO CENTRO HISTÓRICO (http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=24074)… as empresas estão voltando ao centro, novos empreendimentos, hotéis, metrô, portais, Cais revitalizado, melhorias nas praças… será que, enfim, esse é o começo da tão sonhada revitalização do Centro Histórico??? Espero que sim…

    Curtir

  3. Que venham as mudanças! Mas no quadro fala em viadutos na Bento, Plinio e Farrapos. Está certo isso?

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: