NOVO COMANDO: Para Fortunati, obras da Copa são prioridade

Novo prefeito de Porto Alegre diz que fará este ano uma gestão “feijão com arroz de muita qualidade”E o prefixo, enfim, caiu. José Fortunati (PDT) deixou ontem de ser o vice – cargo que ocupava pela segunda vez –, quando a Câmara de Vereadores o reconheceu como novo prefeito da capital gaúcha. – Por uma graça divina, além da vontade do meu partido e do prefeito Fogaça, sinto que meu sonho se realizou – resumiu Fortunati.

Com o desafio de tocar uma série de obras para a Copa de 2014, o pedetista assumiu o Paço anunciando mudanças na equipe. E depois assistiu ao primeiro protesto como prefeito, além de inaugurar uma fase de esperança no PDT gaúcho. Berço do trabalhismo brasileiro, Porto Alegre – embora sequer tenha escolhido esse caminho – volta a receber o partido 22 anos depois de Alceu Collares governar a cidade.

A pressão sobre o novo prefeito já começou durante o discurso, quando manifestantes do Movimento Nacional de Luta pela Moradia desenrolou uma faixa branca: “Fortunati, faça as moradias que Fogaça prometeu e não fez”. O pedetista não comentou sobre o protesto, mas garantiu que – a partir de um cronograma de obras construído por José Fogaça – fará de Porto Alegre uma capital do futuro.

A prioridade da gestão Fortunati, garante ele, serão as obras para a Copa – só para este ano, está previsto o início de sete intervenções, entre duplicação de avenidas, construção de corredores e a conclusão da Avenida Tronco, que ligará os estádios Olímpico e Beira-Rio.

O novo prefeito afirma que, com o ajuste fiscal conquistado no município, será possível melhorar a qualidade de todos os serviços:

– Minha tarefa fundamental, neste ano de 2010, é fazer um feijão com arroz de muita qualidade. A falta de recursos pode ter contribuído para que a qualidade dos serviços tenha estabilizado, e nós queremos aumentá-la.

A ascensão de Fortunati à mais importante prefeitura do Estado insufla o PDT, um partido de tradição, mas carente de novas lideranças desde a morte de Leonel Brizola.

– Dependendo do resultado dessa gestão, isso pode representar o renascimento do PDT, uma sigla que vem definhando no Estado – analisa Benedito Tadeu César, professor de Ciências Políticas da UFRGS.

O especialista lembra que, depois da administração de Alceu Collares (1986–1988), os votos do PDT em Porto Alegre começaram a migrar para o PT – partido que atinge um eleitorado semelhante, mais popular e afeito a bandeiras de esquerda.

Mas atualmente, com a derrota do PT em duas eleições à prefeitura – após 16 anos ininterruptos no comando –, o PDT encontra-se em bom momento para retomar espaço. Resta saber se Fortunati conseguirá se cacifar para, eventualmente, disputar a eleição de 2012.

Além de substituto de Fogaça, Fortunati foi vice na gestão de Raul Pont (1997-2000), quando ainda integrava o PT. Esperava concorrer a prefeito em seguida, mas Tarso Genro tomou sua frente. Ontem, realizou seu sonho.

 Zero Hora



Categorias:COPA 2014

Tags:, , , ,

2 respostas

  1. Senna! Fora! Belo sobrenome para um péssimo gestor.

    Curtir

  2. É quase um consenso que quem mais precisa sair é o Luiz Afonso Senna.

    Fortunati: se tu tá tendo dificuldades, me chama que eu comando a EPTC melhor que esse cara.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: