Reurbanização da orla do Guaíba

A Smov de Porto Alegre publicou nesta quarta (07) dois editais para a contratação de obras de reurbanização na orla do Guaíba.

Um deles prevê a recuperação de área localizada no entorno da Usina do Gasômetro; o outro dispõe sobre a construção de um trapiche no bairro Ipanema, em frente à rua Otelo Rosa.

As ações são resultado de parceria entre a Secretaria Municipal do Turismo (SMTUR) e a Smov.

“É mais um passo para a materialização de um antigo sonho da comunidade de Ipanema e dos proprietários de barcos que fazem passeios turísticos no Guaíba e Delta do Jacuí.

As obras darão mais condições para o atracamento dos barcos e mais conforto e segurança aos passageiros”, destacou o secretário Luiz Fernando Moraes.

Saiba mais
GASÔMETRO
– Orçado em quase R$ 336 mil o projeto Cais Usina do Gasômetro pretende recuperar a região no entorno da usina
– Na primeira etapa será construído um muro de pedra revestido de concreto e atracadouros em concreto pré-moldado. A ideia é que, após a obra, o local fique adequado a chegadas e partidas de barcos de turismo
TRAPICHE DE IPANEMA
– O trapiche de Ipanema deverá custar cerca de R$ 234 mil
– Terá 50 metros de comprimento e quatro metros de largura. Sua extremidade terá a forma de um T, com 12 metros de largura

Affonso Ritter + Zero Hora

_______________________

Ao mesmo tempo que pode ser uma boa notícia, esta ação não passa daqueles projetinhos pra dizer que fizeram, em época eleitoral, e que não resolvem nada, apenas minimizam as péssimas condições da nossa orla.



Categorias:ORLA, TURISMO

Tags:, , , , , ,

5 respostas

  1. Pessoal, lembrem que por enquanto a Smov só publicou os editais… Conhecendo os caboclos, vamos esperar ainda muuuiito tempo até que resolvam colocar umas estacas pro tal trapiche em Ipanema – que certamente depois de 1 mês terá sido roubado inteiro. Desculpem meu pessimismo, mas já vivi o suficiente para não acreditar mais em projetos que tenham sido gestados pelos iluminados administradores desta cidade, salvo raríssimas exceções. E ainda estes, graças à caterva do “não”, serão sepultados na vala rasa das idéias abortadas por esta elite fossilizada da esquerda latina – nem na Albânia dos tempos do sr. Hoxa havia tanta indigência mental. É, eu sei, tô meio azedo com tudo o que estou vendo. Tomara que passe. Abraços.

    Curtir

  2. Naquele financiamento do Prodetur que a prefeitura quer, estão previstos US$ 15 milhões pra qualificação da orla. Será que não sairá nada de bom?

    Curtir

  3. Concordo com os comentarios acima.
    R$500mil…!?!? Que micharia….VERGONHA!

    Curtir

  4. Concordo com você, Stéfano.
    O projeto da orla não pode ser tratado como uma colcha de retalhos, onde se aplicam um amontoado de inserções paliativas (trapiches, etc)…

    A orla deve ser planejada como um todo. Claro que não é possível pensar todo esse espaço apenas com um único modelo arquitetônico, pois se tornaría monótono e repetitivo.

    O que eu vejo como ideal é observar a orla como um grande mosaico, seguindo uma linha arquitetônica uniforme mas com detalhes e mobiliário urbano que caracterizassem cada bairro.

    Curtir

  5. Na verdade, o que deveria ser feito era um projeto único para orla – no trecho entre a Usina e o Pontal, pelo menos. Deveria ser aberto um concurso público para escolha do projeto, contemplando calçadão, ciclovia, pier, marina, um novo anfiteatro (pq é mto feio o atual), recantos de contemplação, etc… Um projeto que se integre com o Cais Mauá, Teatro da Ospa, Marinha, Harmonia, projeto do Pontal, Museu Ibere e projeto Gigante para Sempre… um projeto com unidade e qualidade!

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: