Prédio de 100m é aprovado em Porto Alegre

Direto do Twitter para o Blog:

Prédio de cem metros está confirmado próximo à rodoviária. Acesso sob a Castelo Branco deve ser aberto.

Postado no Twitter por André Machado, da Zero Hora (http://twitter.com/andrelmachado)

Prometo mais informações em breve aqui, mas creio que este prédio é um dos previstos no projeto de revitalização do cais do Porto. Quanto ao acesso sob a Castelo Branco, deve ser um dos acessos que existirão para o porto. Detalhes em breve.



Categorias:Projeto de Revitalização do Cais Mauá

Tags:, , , ,

16 respostas

  1. Maravilha, pela imagem da amigo Wittler se percebe que vai ficar lindo, espero que realmente aconteça.

    Curtir

  2. Veja uma imagem tentando mostrar como fica a proporção .
    Imagine que a rodoviária tem uns 12 m2tros de altura e os prédios na Alberto Bins uns 40 metros com o desnível que existe.

    Curtir

  3. Prezado Henrique:

    Acho louvável a tua preocupação e tenho certeza que tu gostas da cidade tanto quanto nós. Mas isto que tu falas de um paredão no porto não procede. Serão construídos (caso o projeto seja concluído como os estudos ja realizados) 2 prédios de 100 m um proximo ao Gasômetro e outro próximo a Rodoviária. Isto não configura um paredão nem aqui e nem na China (e lá eles tem a Muralha …eheheh). Entre eles haverão outros 2 prédios bem mais baixos. Isto tudo em um percurso de mais de 2 km. Paredão ? ONDE ? Pode desenhar pra eu entender ? OUTRA COISA: Não interessa pra cidade se ali é barato ou caro, se é a iniciativa privada ou não, se é PPP ou não. Se é para o bem do desencolvimento da cidade, em termos turísticos e econômicos, que saia o projeto. Estamos fartos de feirinhas em armazéns mofados, e de estruturas pouco impactantes em Porto Alegre. Quer feirinha, vai no Brique. Mas de certa forma entendo plenamente a tua colocação. COM CERTEZA não deve ser feita especulação imobiliária no porto, de jeito nenhum. Mas que eu saiba isto NÃO ESTÁ ACONTECENDO. Este é um projeto conjunto do Governo do Estado e da Prefeitura de Porto Alegre. Cabe-nos, nós da população, cobrarmos de todas as esferas para o projeto sair conforme o bom senso. E eu não digo conforme a lei, pois as leis, como falou o colega aí em cima, não são imutáveis e devem ser mudadas quando a população de uma cidade toda vier a levar vantagem na sua modificação. Não pra poucos, mas pra toda a cidade. O Porto se desenvolvendo toda a cidade ganhará, inclusive o nobre ecologista pra qual eu me dirijo agora. Henrique, tu tens um nobre trabalho, elogiável, assim como todas as entidades ligadas ao Fórum de Entidades. A cidade não vive sem o trabalho de vocês. Porto Alegre é famosa por este movimento ecológico há muitas décadas. Isto também nos orgulha, muito. Mas NÃO VENHAM ENTRAVAR O DESENVOLVIMENTO DA CIDADE com idéias ultrapassadas, esquerdistas, político-partidárias, que nós já estamos fartos disso.
    Gilberto Simon – http://www.portoimagem.com (o maior site sobre a cidade). http://www.portoimagem.wordpress.com

    Curtir

  4. Guilherme, concordo contigo plenamente. Os pavilhões devem passar por reformas, substituindo as paredes externas por vidro.
    Os pavilhões são Patrimônio Histórico e têm Leis que determinam o que se pode fazer, mas em principio no interior podem ser bem modernizados.

    Sou contra a construção de edificios de alto porte, acima de 2 pavimentos pois fariam um paredão pior do que o muro existente.

    A ANTAQ é quem tem a última palavra. Consultando a mesma não encontrei nenhum processo daqui do Estado protocolado lá.

    Eu vejo nisto tudo um grande blefe para que ninguem reclame as grandes obras que empresários querem fazer na Bela Vista, Petropolis, etc.

    Penso que a tática é atiçar o povo em uma direção enquanto em outras áreas os Políticos do Governo fazem o que bem entendem.

    Curtir

  5. Mas a ocupação do cais não precisa ter enormes edifícios, mas também não precisam ser aqueles horrorosos galpões. Pode se fazer arquitetura de boa qualidade adequada para uma boa ocupação da área, do Gasômetro até os edifícios que virão próximo a futura EX-rodoviária( assim espero). Em caráter de preservação, pode se manter apenas a entrada principal dos galpões, e está de bom tamanho. Manter todo o complexo é de um péssimo saudosismo que só vem a prejudicar nossa orla e a plena revitalização daquele espaço.

    Curtir

  6. Áreas para construção de prédios têm muitas, mas o empreendedor quer são áreas de baixo custo. Esta é realmente a questão da orla.
    Porque não compram os prédios velhos que estão junto a Mauá e em outras ruas do centro e ali, sim, constroem seus prédios deslumbrantes.
    Porque tem que construir em cima do cais, formando um paredão de 100 m de altura que ocupara desde a rodoviária, em direção ao centro, mais de 150 metros de cais. Imagine que paredão vai encontrar quem sair de Porto Alegre pelo túnel pegando a Castelo Branco.
    Mas para alguns, isto não importa. Pergunto o que lhe importa?

    Curtir

  7. É verdade: umas “feirinhas” de pequenos produtores ou artesãos para alavancar o turismo porto-alegrense.

    Curtir

  8. O que o PT quer é o que o cais vai ter agora: uma feira de produtos orgânicos.

    Curtir

  9. O que importa é que o Cais da Mauá está desativado há muito tempo e Porto Alegre está perdendo dinheiro com esses ranços ideológicos e disputas partidárias ao não utilizar devidamente essa área tão nobre.

    Leis não são imutáveis e devem ser adequadas as necessidades e os interesses da população. Elas não podem servir de entrave ao desenvolvimento da cidade.

    Para mim não importa se esse investimento será feito com dinheiro público ou privado. Mas, é melhor que seja investimento privado, deixando os recursos públicos para sejam aplicados apenas no aperfeiçoamento de serviços públicos.

    De qualquer maneira o estado do RS tem concessão por 50 anos dessa área e alguns desses investimentos poderão ser autorizados pelo Poder público local. O governo federal, se quiser “melar’ todo o empreendimento, terá de denunciar o convênio e assumir todo o Porto.

    Curtir

  10. Prezado Claudio

    Leis são para serem cumpridas e a ANTAQ só obedece.
    Os depósitos do Cais que são tombados serão utilizados bem com a área.
    O que entrava esta utilização não são os ambientalistas, não são os que contestam e também não é a ANTAQ, quem entrava a utilização destas áreas pelo público são os Políticos que têm em mente utilizar a área mas cedendo á iniciativa privada. E não é só por isto mas sim que querem que um grande investidor receba a área e faça grandes prédios para poderem tirar uma casquinha nos lucros.

    Se a área fosse entregue a uma organização ou entidade municipal esta poderia negociar com pequenos empresários que remanejassem a área e nela desenvolvessem o turismo.

    Curtir

  11. E, é claro, essa ANTAQ – orgão do governo federal, não vai liberar a utilização da área do Porto e a conversão do Cais da Mauá num centro de desenvolvimento turístico e de entreterimento da cidade de Porto Alegre, pelo menos enquanto o PT comandar o governo federal.

    Pois todos sabem que os militantes e políticos desse partido são contra o desenvolvimento da cidade, o que eles comumente chamam de “especulação imobiliária”, “busca desenfreada do lucro”, “exploração dos oprimidos pelos poderosos” e outros chavões do século passado, mas que sobrevivem nessa terra de retrógrados.

    Curtir

  12. A informação acima não é verdadeira.
    A ANTAQ não liberou o Cais da Mauá para especulação imobiliária, pois existe impedimento legal de construir no cais.
    Por outro lado a ANTAQ só poderia licitar a área para ocupação que não descaracterize o cais, cobrando um aluguel, mas não poderia, quem alugasse, alugar ou construir para obter renda, imóveis totalmente alheios ao porto.
    A quem interessa tal inverdade?

    Curtir

  13. Espero que saia esse prédio… e espero que NÃO seja um desses novos prédios do cais do Porto… não pq não quero prédios assim no cais do porto (adoraria se saissem aqueles prédios retorcidos do ultimo projeto do Cais apresentado), mas sim pq gostaria de OUTRO prédio além desses do cais do porto.

    No caso, tem aquele terreno na Mauá onde já demoliram um antigo prédio mofado e vão construir um hotel, mas tb tem um terreno gigante ao lado da rodoviária, que foi recentemente limpo… e certamente poderia receber um prédio de 100… ou mesmo 150 metros 🙂

    Curtir

  14. Só acredito quando começarem as obras.
    No RS e em Porto Alegre, mesmo coisas confirmadas é possivel ser revisto, cancelado, proibido, expulso.

    Curtir

  15. Incrível! A cidade está mudando mesmo.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: