Aeroporto ainda depende de várias decisões

Estudo de Viabilidade Urbana para ampliação da pista recebeu parecer favorável ontem, mas há outras etapas a serem percorridas

A Comissão de Análise Urbanística e Gerenciamento (Cauge) da prefeitura deu parecer favorável ao Estudo de Viabilidade Urbanística (EVU) do projeto que prevê a ampliação da pista do Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre. A área de pousos e decolagens terá aumento, de 2.280 metros para 3,2 mil metros, avançando em direção à área compreendida pelas vilas Dique e Nazareth. Mesmo com a aprovação, o estudo ainda precisa passar por algumas etapas.

O projeto será analisado pelo Conselho Municipal Urbanístico Ambiental (CMUA) antes de ir para a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A obra é estimada em cerca de R$ 100 milhões, entrando no programa de ampliação geral do aeroporto, com investimento de R$ 1 bilhão. De acordo com o secretário municipal do Planejamento, Márcio Bins Ely, a expectativa é que até a próxima terça-feira o estudo seja aprovado pelo CMUA. A partir de então, o projeto segue para homologação pelo prefeito José Fortunati para que seja encaminhado à Anac. “O trabalho tem sido agilizado para que as obras se iniciem rapidamente”, apontou Bins Ely.

O edital de licitação deve ser publicado até o final do próximo mês. Segundo Bins Ely, ainda estão em discussão novos planos de voo devido ao impacto do ruído das aeronaves junto às edificações. “Temos um limitador de altura para construção de novas obras e uma mudança nos pousos e decolagens pode trazer benefícios”, salientou o secretário.

Além da ampliação da pista do aeroporto, a prefeitura ainda precisa concluir o processo de remoção das famílias das referidas vilas.

Até o final de julho, o Departamento Municipal de Habitação (Demhab) garante que vai realocar 550 famílias da Vila Dique, situada na cabeceira da pista do Salgado Filho. A retirada dos moradores é considerada fundamental para o início das obras. Ainda há outras 1,3 mil famílias na Vila Nazareth. Nesse caso, a prefeitura busca uma área para construção de loteamentos.

De acordo com o superintendente do Aeroporto Internacional Salgado Filho, Jorge Herdina, entre as principais mudanças na pista está a capacidade que o aeroporto terá de proporcionar voos diretos para os Estados Unidos e a Europa. Segundo ele, a pista no tamanho que está hoje não permite que os aviões decolem com peso de combustível suficiente para grandes distâncias.

Previstos novos recursos tecnológicos

Novos recursos tecnológicos serão instalados no Salgado Filho, entre eles o Instrument Landing System categoria II (ILS II). Ele permite que o piloto consiga pousar e decolar mesmo sem boas condições de visibilidade. Também será construído o novo Terminal de Cargas Aéreas (Teca), com previsão de atender até 14 mil toneladas de cargas importadas e 24,2 mil toneladas voltadas à exportação. Outra obra será a torre de estacionamento adicional.

 Correio do Povo



Categorias:aeroportos brasileiros, Aviação

Tags:, ,

%d blogueiros gostam disto: