ORLA EM ESPERA – Um projeto para a área do Timbuka

Proposta para o local onde estava o bar, na Zona Sul, fica apenas no papel por falta de recursos

O projeto existe, mas não se sabe quando vai virar realidade. Após dois anos da demolição do Bar Timbuka, na Vila Assunção, zona sul de Porto Alegre, a Secretaria do Planejamento Municipal (SPM) aponta falta de recursos e outras prioridades como entraves na reformulação daquela paisagem.

A Copa de 2014 estaria exigindo mais atenção a outros pontos da orla. Mas, se servir de alento aos mais ansiosos, pelo menos no papel, o local do antigo e badalado point da Capital já tem uma cara.

As propostas iniciais da prefeitura para a área do Timbuka, demolido após autorização da Justiça em 10 de abril de 2008, previam a construção de um novo bar, mas a população rejeitou a ideia:

– Foi feito um primeiro projeto, bem mais complexo do que esse, que previa a substituição do bar. Era um trapiche com um bar na ponta. Mas a comunidade não quer bar – diz o arquiteto Marcelo Allet, coordenador do Grupo de Trabalho (GT) Orla, da SPM, e um dos criadores do projeto.

Obra custa R$ 800 mil, mas prioridade é a Copa

Segundo a proposta do GT Orla, se hoje houvesse a verba necessária, seriam feitas uma calçada com tratamento paisagístico e uma pérgula, com arquibancadas nas laterais. Mas, dentro da proposta, já foram consideradas outras ideias (veja no quadro abaixo), acessórios que poderão ou não ser feitos em um futuro mais distante.

– O orçamento acabou sendo de R$ 800 mil (para calçada, pérgula e arquibancadas) e havia R$ 300 mil, algo assim. Discutia-se de onde se tiraria essa complementação quando surgiu a perspectiva da Copa. Aí, as atenções se voltaram para isso – conta Allet.

Agora, os olhos do GT Orla se concentram nas propostas de qualificação no trecho da orla entre o Gasômetro e o Parque Marinha do Brasil, na altura do Estádio Beira-Rio. A nova área do antigo Timbuka, por enquanto, só pode ser contemplada no papel.

A ideia
COM R$ 800 MIL, PRETENDE-SE FAZER:
– Calçada com tratamento paisagístico
– Pérgula com arquibancadas laterais
– Acessórios que poderão ser acrescentados: Plataforma de pesca, trapiche e rampa para embarcações
AUTORES
– Arquitetos Marcelo Allet e Ada Schwartz (SPM) e Ana Maria Germani (Smam) e os colaboradores Fernanda Schaan, Lilian Freitas de Souza e Rafael Carvalho, que fizeram a parte paisagística

Zero Hora

__________________________

A comunidade local não quer bar, então a cidade inteira perde, o turismo perde. Isso é normal em Porto Alegre, única cidade do mundo onde não se investe na orla, e ouve-se demasiadamente a comunidade, de forma a cidade continua parada, sem estrutura na orla, sem bares, sem nada. E as autoridades municipais ouvem esta comunidade e depois falam que não há verba. Será mesmo ?



Categorias:ORLA, Zona Sul

Tags:, , , , , , , ,

12 respostas

  1. para o gilberto: gilberto, nem pensa nisso… queres trazer a prostituição para cá? Queres terminar com um bairro lindo? Queres abrir caminho para os prédios e os arranha céus? Queres cair na história da infâmia urbana?

    Curtir

  2. Daniel, sou ciclista também: mas não acho que as cidades e o mundo deve se adaptar aos meus hábitos desportivos. Cada coisa nova que prefeituras inventam, pode ter certeza que não será para os ciclistas e, quando for, tem outro interesse por trás. A cidade é um grande negócio e a atitude mais aconselhável para os que temem a barbárie é a atenção, o estado de alerta. Desculpem aos que não conseguem pensar em contexto, mas peço: informem-se, lembrem que as cidades muitas vezes são estragadas pelos que falam de progresso e que são tão espertos que vão usar as simpatias de vocês para “lajear” o rio, calçar ruas de pedra… para quê? Para os automóveis passarem, os automóveis, o verdadeiros reis do momento e responsáveis pela barbárie. Exemplo? Dêem uma olhada em Sâo Paulo.

    Curtir

  3. O bar em questão era um bar em que se vendiam drogas e onde pessoas se embriagavam. São todos favoráveis a esta barbárie? Gostariam de um bar assim ao lado da casa de vocês. Por favor, coloquem-se no lugar dos moradores.

    Curtir

  4. Para o Gerson: Gerson, não é isto, você não entende e aqui vai algo que ninguem entende aqui e em outros lugares. Creio que os moradores de bairros têm o direito, sim, de decidir o que se vai construir perto de suas casas. A pessoas investem em locais, gastam dinheiro com isso. No passado muitos moradores locais fizeram isso – e têm o direito e até mesmo a obrigação de zelar pelo local em que moram. A vila assunção diversas vezes se insurgiu contra instalação de locais de festas (som alto) e com razão. Por que temos de aceitar a barbárie, não temos direito, como todos os outros moradores desta cidade, a um pouco de paz?

    Curtir

  5. Há pessoas que compraram casas no local há décadas e que merecem alguma paz e respeito – é um direito de cada comunidade. Trata-se de uma área residencial

    Curtir

  6. Acho que um restaurante seria mais adequado para a região… iria selecionar mais o público freqüentador… até por que rico também precisa de lazer!

    Não vejo nada contra o projeto apesar de morar na região…

    Só acho que a prefeitura deveria ter um projeto de reformulação e integração de toda a orla do guaiba isso sim seria um diferencial da nossa cidade para a copa de 2014…
    enfim, se o guaiba é o principal ponto turístico da cidade pq não fazer uma verdadeira orla nele?

    Curtir

  7. Essa mesma “comunidade “que nao que bares e lazer no seu bairro deveria ser proibida de frequentar bares, calcadoes no nosso litoral e no mundo afora.

    Curtir

  8. Está faltando um ciclovia nesse projeto. A prefeitura não ter 800mil pra esse projeto é demais.

    Curtir

  9. Me lembro que nossos pedais tinha um “pit-stop” neste local,
    seria legal se houvesse novamente alguma coisa (bar, calçadão) para que pudessemos aproveitar melhor aquela região.

    Curtir

  10. É comum ouvir várias manifestações dos moradores do local dizendo que não gostariam nem mesmo que fizessem um calçadão, pois “isso iria trazer muito movimento pro bairro”.

    Curtir

  11. lamentavel.
    Um bar pra dar vida, pra ter o que fazer la, ir a noite… e por que não, se for um bar grande, ou uma boate, deixar a manutenção do lugar pros donos?

    Curtir

Trackbacks

  1. Prefeitura revitaliza área junto à orla no bairro Assunção « Blog Porto Imagem

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: