OPÇÃO NO GUAÍBA – 20 mil veículos usariam a nova ponte por dia

Caso seja construída, ligação reduziria pela metade o fluxo na atual travessiaNão é só a governadora Yeda Crusius que sonha construir uma nova ponte sobre o Guaíba. Enquanto a iniciativa oficial não avança, até porque o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) ressalva que é apenas uma ideia ainda não detalhada, projetos independentes ganham espaço, estimulados por prefeituras de cidades beneficiadas. A estimativa é de que 50% dos 40 mil veículos que congestionam a Travessia Getúlio Vargas, a única existente sobre o Guaíba, optarão pela nova ponte, se ela virar realidade.

– Mais da metade do trânsito que cruza o Guaíba é oriundo de outras regiões, como o polo metal-mecânico da Serra, o coureiro-calçadista do Vale do Sinos e o Litoral Norte. Muitos veículos vão ao porto de Rio Grande – analisa o engenheiro civil Carlos Alexandre de Ávila, da Empresa de Arquitetura, Engenharia e Consultoria.

A firma, de Porto Alegre, elabora há pelo menos três anos um estudo que coincide com a proposta do governo. A iniciativa conta com apoio e incentivo de cidades da Costa Doce – situadas no lado oeste da Lagoa dos Patos.

Para Ávila, a ponte entre o Lami e Barra do Ribeiro representa a ligação do porto de Rio Grande com a BR-101 (um dos corredores do Estado com o centro do país), quase sem ingressar por Porto Alegre. A travessia tem 6,6 quilômetros (bem maior do que a atual), mas o engenheiro diz que é bem mais fácil de construi-la. A maior parte da água é rasa, com poucos metros de profundidade, o que demanda fundações de menor porte.

Segundo ele, a nova travessia levaria desenvolvimento para municípios da Metade Sul bastante carentes. Ainda mais se for feita, como ambiciona o Estado, a ligação da ponte com as BRs 116 e 290 na criação de um rodoanel aos moldes paulista.

O Daer diz que nem sequer existe escritório para elaborar o projeto. A obra depende de liberação da segunda parcela de empréstimo de US$ 1,1 bilhão do Banco Mundial, mas a Secretaria de Infraestrutura assegura que, mesmo sem recurso internacional, teria condições de executá-la. O desejo é fazer o anúncio oficial nas próximas semanas e iniciar o rodoanel em 2011.

O projeto
O TRAJETO
– A nova ponte ligaria o bairro Lami (Porto Alegre) ao município de Barra do Ribeiro. A distância entre os dois pontos tem pelo menos 6,6 quilômetros
– A obra deve ser precedida da duplicação da ERS-118, estrada que liga Sapucaia do Sul a Viamão, e o asfaltamento da rodovia até Porto Alegre. Isso significa pavimentar e alargar a Rodovia Acrísio Martins Prates, a Estrada do Cantagalo e a Estrada Otaviano José Pinto
– Do outro lado da Lagoa dos Patos, é necessário fazer um acesso da ponte até a parte urbana de Barra do Ribeiro. Isso pode ser feito com prolongamento da ERS-709 ou da ERS-104. Um segundo projeto prevê também ligar a BR-116 à BR-290, o que pode ser feito com uma extensão da ERS-709, hoje inexistente
AS DIFICULDADES
– O alto custo do projeto, orçado em US$ 350 milhões (em torno de R$ 630 milhões)
– A nova ponte pode ter um comprimento de 6,6 quilômetros, sem falar em acessos. Essa extensão é quase nove vezes maior que a atual, a Travessia Getúlio Vargas, tem 777 metros de comprimento

Zero Hora



Categorias:Nova ponte Guaíba

Tags:, , , ,

3 respostas

  1. Será ótimo a construção dessa ponte. Vai levar um pouco mais de progresso a zona sul de POA com o alargamento das estradas.
    Há contrapontos como: oque vai ser da vida daquele povo que vive ás margens das estradas. Sim , porque o movimento de caminhões pode ser insuportável.

    Curtir

  2. Será ótimo a construção dessa ponte. Vai levar um pouco mais de progresso a zona sul de POA com o alargamento das estradas.
    Há contrapontos como: oque vai da vida daquele povo que vive ás margens das estradas. Sim , porque o movimento de caminhões pode ser insuportável.

    Curtir

  3. Existe algo um tanto estranho nesse texto.

    A distância mínima entre o Lami e a outra margem do Lago é de 13 km (e não fica em Barra do Ribeiro). Próximo à Barra do Ribeiro, na ponta do Salgado, a distância fica em 15 km, atropelando a reserva biológica do José Lutzemberger. A menor ligação seria de 8 km se conectasse a ponta do salgado à ponta da Ilha do Chico.

    Em segundo lugar, se fizerem essa estupenda ponte o que será da praia do Lami? Acho que a única sensibilidade de nossos políticos fica em sua carteira!

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: