Altura de prédios poderá ter novo limite

Plano Diretor aprovado pela Câmara prevê limitações em quatro bairros

Os prédios que serão construídos em bairros como Menino Deus, Rio Branco, Moinhos de Vento e Petrópolis poderão ser mais baixos do que os atuais. Isso se for aprovada a redação final do projeto que altera o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano Ambiental, aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Municipal de Porto Alegre e entregue ontem ao prefeito José Fortunati.

Segundo a proposta, a altura limite das novas construções nessas áreas passaria dos atuais 54 metros de altura, cerca de 18 andares, para 42 metros, ou 14 andares (altura média de três metros cada).

Em algumas áreas do bairro Menino Deus, como a Avenida Getúlio Vargas, o limite poderá ficar em 33 metros de altura. A pressão de movimentos sociais, como associações de bairro, teria sido a principal causa para que essas modificações.

– Muitos moradores alegaram que os bairros residenciais estão sendo mutilados pelos grande prédios – explica o vereador Reginaldo Pujol, revisor do projeto.

Para o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Rio Grande do Sul (Sinduscon), Paulo Vanzetto Garcia, a proposta poderia ser um pouco mais democrática.

– Acredito que seria mais interessante se a ideia contemplasse os dois lados. Não existe no projeto algum bairro onde se tenha aumentado o limite de altura – diz.

Também faz parte do texto aprovado a criação de uma área verde, que ocuparia de 7% a 54% do terreno das futuras construções. A ideia é que as habitações contribuam para a absorção da água da chuva pelo solo. Outra questão debatida, segundo Pujol, foi a reestruturação da identificação, delimitação e detalhamento das áreas de interesse cultural.

O prefeito José Fortunati terá 14 dias para avaliar a proposta e sancioná-la.

– As alterações apresentadas pela Câmara são necessárias, especialmente em uma legislação tão complexa como esta. Não tenho dúvidas de que o resultado das avaliações do Legislativo consagrará um avanço ao futuro de Porto Alegre – disse o prefeito, após receber o texto.

Zero Hora

________________________

Uma pena: esta medida faz com que os imóveis fiquem mais caros nestes bairros de Porto Alegre. Isto eles não levam em consideração.

 __________________

Estas mudanças do Pano Diretor estão virando palhaçada já. Não sou contra o anunciado, mas há anos atrás o limite de construção nestes bairros era menor que hoje. Aí revisaram o Plano Diretor, adequando as novas necessidades da cidade em crescimento. Agora diminuem os limites novamente. Estamos numa gangorra ?

Ainda prefiro prédios altos do que devastar grande áreas da cidade em direção ao sul com condomínios horizontais fechados, isolados da cidade. Quem fala em sustentabilidade, deveria antes pensar nisso também. A natureza agradece. 

Com certeza sou totalmente favorável a um zoneamento, mas acho retrocesso estas medidas anunciadas pela Câmara agora.

Ao meu ver, esters bairros devem se desenvolver em altura também. Outros talvez não,  como falou o Eduardo num comentário. Claro que existem bairros que não devem nem podem ter prédios, muito menos altos.

Ainda acho o zoneamento de Curitiba um muito bom exemplo a ser seguido.

Veja a imagem abaixo: ve-se claramente a área de prédios altos e a área não permitida.

Pra não ficar muito radical, editei o título do post, retirando a palavra “retrocesso”.


Foto: Leonel Albuquerque



Categorias:Plano Diretor

Tags:,

20 respostas

  1. Olha, gostaria que todos ai do RS pensasse como o STEVAO.
    Resido em Balneário Camboriú e alem de ser uma das praias mais cobiçadas do Brasil, é uma referencia em construção civil.

    Infelizmente, na temporada é invadida por Gaúchos, alem de congestionarem o trânsito fala mal de nossas praias, hospedagens ainda menosprezam nossa cidade.

    No ano seguinte, ainda insistem em voltar para veranear.
    Realmente nao entendo o que se passa.
    E afirmo, não estamos humilhando ninguem como o STEVAO disse. “BC” é um das regiões com o m² mais caro e valorizados do Brasil. Portanto ruim nao deve ser.

    Não posso generalizar, nem todos os Gaúchos são assim.

    Curtir

  2. Balneario Camburiu e’ uma piada urbanistica, desculpa.

    Curtir

  3. Eu como pintor, acho que é triste olhar e ver essas coisas horrendas que chamam de arquitetura atual de porto alegre. Sem mais comentários. Abs. Soriano.

    Curtir

  4. Tenho orgulho em ser porto-alegrense e gaucho, mas me envergonho, profundamente, com os pensamento minusculo de nosso povo com relacao ao desenvolvimento da paisagem urbanistica de nossa(s) cidade(s). Qualquer capital do nordeste e mais interessante em termos de urbanismo que nossa surrada Porto Alegre. Na verdade, acho q se voces forem pra balneario camboriu ja vao ver a humilhacao que os catarina nos causam. Ou melhor, NH em breve tera um skyline melhor que POA. Isso e ridiculo. (desculpem a falta de acentuacao e cedilha ;P teclado ingles)

    Curtir

  5. Temos dois felipes aqui 🙂

    Eu concordo com o outro Felipe. Prédios grandes por si só não são o problema. Problema é termos prédios enormes espalhados na cidade inteira e sem investimento na vazão de veículos. Até por que temos uma cultura de que todo mundo quer morar num raio de 2 ou 3 bairros para ir de carro para o trabalho, então o problema do fluxo sempre existe.

    Acho que o Menino Deus é um bom exemplo, pois apesar de concordar que é um bairro passando por desenvolvimento econônimo forte nos últimos anos, é também um bairro com ruas antigas e estreitas que não vão comportar de maneira adequada esse aumento de densidade. O trânsito lá já está ruim hoje.

    Considerando que POA até hoje não consegue ter sequer uma avenida de trânsito rápido e a prefeitura parece não conseguir dar vazão à Goethe, Ipiranga ou a 3a perimetral, imagina o que sobra para a pobre da Getúlio Vargas.

    Curtir

  6. Vancouver, Sydney, Frankfurt e Sao Francisco nao possuem predios de 18 andares por toda a extensao da cidade, construidos desordenadamente…portanto nesse caso meu argumento entra em questao novamente. Portanto reafirmo, se o Plano Diretor da cidade mudar para permitir construcoes mais baixas, acho otimo. Agora predios de 18,20 ou 30 andares construidos por todos os bairros de forma desordenada sem compensacao de infraestrutura por parte da cidade simplesmente nao funciona.
    Sao Paulo esta tao perto, um dos maiores exemplos de fracasso urbanistico do Mundo.

    Curtir

  7. As vantagens da alta densidade não é papo de construtora Felipe. Te aconselho o famoso livro da Jane Jacobs “Vida e Morte das Grandes Cidades Americanas”.
    Existe um mito de que a densidade trás poluição, doenças e baixa qualidade de vida. Na real, há uma confusão entre super-habitado e alta densidade. Uma favela de baixa densidade pode ser super-habitada se tiver uma família vivendo num único cômodo. Uma quadra de 100 por 100 metros pode ter vários prédios onde vivem 5000 pessoas de forma tranquila, tudo questão de planejamento. Nossa cidade tem espaço mas não tem planejamento, aliás, qualquer plano para porto Alegre é contaminado por ideias contra grandes investimentos em nome da “qualidade de vida”. E o efeito colateral disso é essa estagnação que vemos, falta de oportunidades de emprego (se tu quer trabalhar na industria, fuja de poa) e baixa arrecadação do município (afinal, 40% do lucro da famigerada Goldstein vira imposto).
    Veja o urbanismo das melhores cidades para se viver Vancouver, Sydney, Frankfurt, São Francisco e etc, até Santiago no Chile serve de exemplo.

    Curtir

  8. Respeito, mas fico decepcionado ao ver que a maioria apoia a construcao dessas aberracoes estilo Goldztein, Terra Nova, Gafisa por toda Porto Alegre…a dita “densidade” que muitos acham LINDO. Eu acho que isso e’ papo de construtora dizer que construir espigoes altos e delgados e’ a solucao para a cidade. Sabemos que todas as cidades que sao exemplo de urbanismo nao seguem esse modelo .
    Em partes concordo com o Gilberto no que se diz que ate se aceite esse modelo em poucas regioes, como no caso exemplificado por Curitiba. Mas Porto Alegre nao vem seguindo esse modelo…se vem construindo por todos os lados a algum tempo sem nenhum tipo de compesacao em termos de mobilidade por exemplo….com um pessimo exeplo recente sendo o tal “bairro” Jardim Europa que simplesmente terminou com alguma mobilidade que ja pouco existia naquela regiao.

    Curtir

  9. Prefeito, os prédios de Poa deveriam estar à sua altura. Abs. Soriano.

    Curtir

  10. Ridiculo e ecologicamente prejudicial é devastar uma quadra inteira pra construir blocões de 5 andares.
    Predios altos e delgados é a solução pro paisagismo e urbanismo ecologico.

    So não percebe isso quem tem rabo preso

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: