Rio Grande sem mão-de-obra

Contratar perto de sete mil trabalhadores qualificados passou a ser o maior desafio atual da Engevix, empresa que ganhou a concorrência para construção dos oito navios plataforma (cascos) da Petrobras, em Rio Grande, que serão instalados nos campos petrolíferos do pré-sal.

A dificuldade foi exposta nesta quarta (30) pelo vice-presidente Daniel Peres, durante reunião-almoço na Sociedade de Engenharia (Sergs).

O problema se acentuará com a possibilidade de ampliação da encomenda para até 28 destes cascos, que terão a função de receber o petróleo extraído do fundo do mar e armazenar o produto antes de ser transferido aos cargueiros que levarão o combustível à terra. Quase toda mão-de-obra terá que ser formada, pela grande escassez, inclusive com aprendizado em inglês porque boa parte dos técnicos que orientarão o trabalho virá do exterior.

Affonso Ritter



Categorias:Economia Estadual

Tags:, , , , ,

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: