Aeroporto é primeiro teste para Copa 2014 na Capital

Direção do aeroporto promete lançar licitação até outubro

Herdina calcula que o fluxo de passageiros crescerá, pelo menos, 30%. Foto: Gabriela Di Bella/JC

O principal desafio da preparação de Porto Alegre para a Copa do Mundo de 2014 será a ampliação da capacidade de operação do Aeroporto Internacional Salgado Filho. O mesmo pesadelo que ronda as outras 11 subsedes, o do esgotamento registrado agora dos terminais, é prioridade número um da prefeitura e direção do aeroporto. O superintendente do Aeroporto Internacional Salgado Filho, Jorge Herdina, assegura que os esforços estão dirigidos para fazer a licitação do prolongamento da pista em 2010.

Na trilha rumo ao Mundial, os primeiros passos foram dados com começo da duplicação da avenida Beira-Rio e obras da BR-448, que aliviará o trânsito na Região Metropolitana. O pacote inclui ainda mais dez obras de mobilidade, orçadas em quase R$ 1 bilhão, com inclusão do projeto Portais da Cidade. A meta é deixar tudo pronto até 2012.

As ações no aeroporto devem ultrapassar R$ 700 milhões e envolvem aumento da pista de 2,2 mil metros para 3,2 mil, segundo terminal de passageiros, um de cargas e nova pista para aeronaves, e edifício-garagem com quase 4 mil vagas (o atual tem 2 mil). Está prevista ainda a manutenção da pista em uso até outubro. Hoje o Salgado Filho opera acima da capacidade, projetada para 5 milhões de passageiros anuais – já recebe 5,6 milhões de pessoas. Para 2014, Herdina calcula que o fluxo crescerá, pelo menos, 30%. Com nova pista e área de cargas, poderá ser instalado equipamento que reduz impacto da neblina, dor de cabeça principalmente no inverno, período do Mundial, e credenciará a Capital a receber aeronaves de maior porte e voos diretos da Europa, por exemplo.

“O aeroporto é a principal obra da Copa”, diz, incansável, o prefeito José Fortunati. Para desencavar o edital de contratação da ampliação da pista, segundo o superintendente, é preciso concluir parte da remoção de famílias das vilas Dique e Nazaré. A medida atingiria no segundo semestre de 2010 mais de 200 residências que se situam no alinhamento da nova extensão.

“Estamos focados. Diante de qualquer obstáculo, vamos tomar medidas, inclusive junto a escalões superiores, para não comprometer o cronograma”, revela o superintendente, que estipula até 2012 como prazo de conclusão, com investimento de R$ 188 milhões. Já a obra do terminal de cargas deve ser contratada em 30 dias. O novo terminal de passageiros, que elevará em 50% a capacidade, ainda depende de projeto e verbas.

Recente reunião entre Herdina e prefeitura confirmou prazos. Segundo Fortunati, o encontro reduziu o nível de preocupação, mas não zerou. O diretor-presidente do Departamento Municipal de Habitação (Demhab), Humberto Goulart, confirma que a remoção dos moradores segue cronograma. Até final de agosto, mais 450 famílias da vila Dique serão transferidas para outro terreno.

O prefeito da Capital mira 2012 como prazo para concluir obras ligadas à mobilidade, cuja lista é avaliada em R$ 537 milhões somente em financiamentos a serem contraídos com a Caixa Econômica Federal. O calendário rumo a 2014 já está correndo. No dia 19, o prefeito de Porto Alegre foi convocado para reunião em Brasília, para divulgação de uma Medida Provisória que contemplaria recursos para agilizar as obras dos terminais.

Pacote de ações começa em ritmo lento em função da burocracia

A contagem é milimétrica. Porto Alegre terá de imprimir ritmo completamente diferente das últimas décadas quando se trata de tirar do papel e das intenções obras que garantirão melhor mobilidade e recepção no Mundial. As ações estão definidas. O pacote de dez obras que terão financiamento do FGTS, assegurado pelo governo federal, conta com apoio sem custo para o município de grupo técnico da Federação das Indústrias do Estado (Fiergs).

Ele elabora os projetos executivos, necessários antes das licitações. A prefeitura quer assinar o contrato com a Caixa Econômica Federal (Caixa) ainda neste mês.

Já estão em andamento a BR-448 (Rodovia do Parque), com previsão de conclusão em 2012, e duplicação da avenida Beira-Rio, deflagrada na última semana. Outra duplicação, da rua Voluntários da Pátria, entre rua Dona Teodora e avenida Padre Leopoldo Brentano (bairro Humaitá), será concluída em setembro pela Concepa. Considerado estratégico no cenário do Centro e como opção de lazer e serviços, o Complexo do Cais do Porto teve aberto prazo de apresentação de propostas de empresas.

A Trensurb conseguiu aprovar, em recente reunião do conselho de administração, a instalação do Aeromóvel. O projeto, com investimento total de R$ 29,8 milhões, sendo R$ 9 milhões já disponíveis para este ano, fará ligação entre o Aeroporto Salgado Filho e a estação do trem metropolitano. Segundo a assessoria da empresa, o ministro das Cidades, Márcio Fortes, que é membro do conselho, teria assegurado que haverá recursos no orçamento da pasta em 2011 para a ligação.

O Aeromóvel segue solução desenvolvida pela empresa gaúcha Coester. Serão dois veículos, com capacidade de 150 e 300 passageiros. A meta, conforme o gerente de mobilidade urbana da Trensurb, Sidemar Francisco da Silva, é assinar ainda em julho o contrato com a Coester e lançar licitação para obras civis e compra dos veículos. Se tudo der certo, ainda em 2011, o aeromóvel estará em ação.

As principais obras de infraestrutura previstas para a Copa na Capital

Aeroporto Salgado Filho

Reforma e ampliação da pista: melhorias na extensão atual ficam prontas em outubro. Ampliação elevará extensão dos atuais 2,28 mil metros para 3,2 mil metros (valor de R$ 188 milhões). Terminal de cargas: elevará capacidade de 40 mil toneladas para 100 mil toneladas (valor de R$ 98,3 milhões). Novo pátio receberá quatro aeronaves de grande porte. Terminal de passageiros: no atual, será instalado Módulo Operacional Provisório (MOP), que dobrará balcões de check-in (32 para 64) e ampliará em 40% processamento de embarque. O novo terminal, que aumentará em 50% o fluxo, no valor de R$ 350 milhões, depende de projeto e verbas. Edifício-garagem: será feito por empresa concessionária, com 3,5 mil a 4 mil vagas, elevando para 6 mil lugares nos estacionamentos.

Obras viárias e de transporte

Em andamento – Duas primeiras fases da duplicação da avenida Beira-Rio (Edvaldo Pereira Paiva): 1,38 mil metros, e que será concluída em julho de 2011. O trecho completo totaliza 5,3 mil metros e R$ 24 milhões. Construção da BR-448 (Rodovia do Parque: entre Sapucaia do Sul e a Capital. Conclusão prevista para agosto de 2012. Investimento: R$ 720 milhões. Prazo poderá ser afetado por atrasos de remoção de 600 famílias e desapropriação de 147 propriedades. Duplicação da rua Voluntários da Pátria: 1,6 mil metros, entre a rótula da rua Dona Teodora e avenida Padre Leopoldo Brentano (bairro Humaitá). Execução da Concepa (valor de R$ 30 milhões). Conclusão: setembro de 2010.

Para fazer – Corredor da avenida Tronco (inclui remoção de 1,2 mil famílias), corredor das avenidas Padre Cacique e Beira-Rio – duas últimas fases da duplicação, corredor da Terceira Perimetral, elevada entre avenidas Julio de Castilhos e Castelo Branco, corredor da rua Voluntários da Pátria e terminal de ônibus São Pedro, monitoramento de corredores, BRT Protásio Alves e da Assis Brasil (Portais da Cidade), melhorias nas avenidas Bento Gonçalves e Antônio de Carvalho e prolongamento da avenida Severo Dullius. Investimento total de R$ 537,7 milhões, com recursos do FGTS e prefeitura. Além deste pacote ainda será implantado: projeto Portais da Cidade (R$ 440 milhões), com licitações a serem feitas em 2011, e ciclovias (plano total era de 40 quilômetros). Aeromóvel: ligará a estação da Trensurb ao Aeroporto Salgado Filho (944 metros, com tempo de dois minutos de deslocamento). Dois veículos, com capacidade de 150 e 300 passageiros (valor R$ 29,8 milhões).

Jornal do Comércio, Patrícia Comunello



Categorias:Aeromóvel, aeroportos brasileiros, COPA 2014

Tags:,

1 resposta

  1. A falta de priorização nos investimentos, é algo estarrecedor. O que o Trensurb precisa fazer, é aumentar o número de composições, e de vagões, além de reformar os atuais, que estão caindo aos pedaços. Investir num brinquedinho para ligar o aeroporto ao trem, vai ser dinheiro jogado fora.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: