Lançado por Lula na África do Sul, filme que divulga o Brasil deixa o Rio Grande do Sul de fora!

Na última segunda-feira (12), mais de 400 milhões de pessoas, no mundo todo,viram na televisão o quê o Brasil tem. Veiculado em mais de 100 países, o filme que divulga o país do próximo Mundial foi lançado oficialmente três dias antes, em Johannesburgo, pelo presidente Lula e pelo ministro brasileiro do turismo, Luiz Barretto. Produzido pelo cineasta Fernando Meirelles (o mesmo de “Cidade de Deus”, que concorreu ao Oscar de 2004), o comercial dá início à campanha O Brasil te chama, celebre a vida aqui, da Embratur. Na versão estendida, única disponível para brasileiros, a gente vê 15 cidades brasileiras. Detalhe: apesar de estar entre os estados que receberão os jogos de 2014, o Rio Grande do Sul não aparece em momento algum.

Segundo o diretor de marketing da Embratur, a ausência de cenas gaúchas no filme tem duas explicações. A primeira, matemática. “Existe uma impossibilidade de mostrar os 27 estados brasileiros, mesmo as 12 cidades-sede”, diz Walter Vasconcelos, levando em conta o tempo das duas versões do comercial – uma para a Internet, de 1 minuto e 43 segundos; outra veiculada somente em canais de tevê do exterior, com 30 segundos. Em compensação, a capital do Rio Grande do Sul aparece no livro, no hotsite e no DVD da campanha, de quatro minutos: “ e um minuto é só sobre Porto Alegre”.

O segundo motivo foi a priorização dos cinco destinos que, segundo o Plano Aquarela 2020, anterior à campanha e desenvolvido junto com os governos estaduais, são os mais visitados do país: Rio de Janeiro, Bahia, Foz do Iguaçu, Pantanal Mato-Grossense e Amazônia – nesta ordem. Não é a toa queeles surgem mais de uma vez no roteiro.

Embratur pode negociar

Procurado pelo blog, José Heitor de Souza Gularte, secretário do turismo do Rio Grande do Sul, adiantou que conversou há um mês com Jeanine Pires, presidente da Embratur. “Ligamos e dissemos que estamos preocupados com o formato do Aquarela 2020”, disse, referindo-se ao plano de marketing que pretende aumentra em 300% a entrada de divisas oriundas do turismo internacional no Brasil. “Fomos recebidos com a mesma argumentação que te passaram, mas a Janine não se negou a negociar”, completa.

O próximo passo na defesa dos interesses gaúchos dentro da divulgação internacional do Brasil deve acontecer entre os próximos dias 27 e 28 de julho, quando o ministro do turismo visitará Porto Alegre, Bento Gonçalves e Gramado. Segundo Gularte, o estado não pode concorrer com praias, mas ajuda a exemplificar a tão aclamada diversidade brasileira: “queremos mostrar o Rio Grande do Sul como um Brasil diferente”.

Fonte: De Olho em 2014



Categorias:COPA 2014, TURISMO

Tags:, , , ,

8 respostas

  1. Talvez o RS não seja exôtico, como a maior parte do Brasil, mas não sei porque só querem vender um Brasil-exôtico lá fora?

    Curtir

  2. Não acho que ficamos fora do “‘video” por idéias separatistas e/ou pelo estereótipo criado no resto do país dos gaúchos. Minha colocação quanto a separatismo, foi inteiramente irônica, pela minha indignação de não estarmos no “video”, mas como bem salientou nosso brother germano, isto existe, espero que não na casa de nossos parceiros do blog. Abraços.

    Curtir

  3. Perfeita colocacao do Georgeano!!

    Curtir

  4. Concordo plenamente com o Georgeano…

    Num estado onde o povo orgulhoso se acha mais portenho do que brasileiro, só pode dar nisso.

    Enquanto os gaúchos não conhecerem o Brasil e não sentirem brasileiros, continuarão recebendo este tipo de tratamento.

    Eu ouço muitos conterrâneos falaram mal do Rio, do Nordeste, dos outros estados, sem sequer conhecerem estes lugares.

    O Brasil está indo pra frente, crescendo e se reinventando. E nós?

    Curtir

  5. Porto Alegre – e os portoalegrenses, os moradores de bairros, todos – querem mudar, querem se transformar? para crescer e ousar e virar uma CIDADE TURÍSTICA?

    Aberta ao mundo e ao país? Quer espaço na mídia ? Quer criar mais atrações para a cidade? Atrações na orla, nos morros, nas avenidas, nos prédios… pra não ficar sempre no trio Laçador/Brique/Gasômetro ?

    Curtir

  6. Quem não chora não mama. Porto Alegre e o Estado adoram ficar chorando que não são vitrine como outros são, mas o povo daqui também não ajuda.
    Cadê o espírito aberto ao mundo que as cidades turísticas têm? Aqui a cultura é de nos fecharmos, isolarmos, nos acharmos os melhores, achar bonito falar em se separar do país, dizer que não é brasileiro. Acham que quem é de fora não vê isso?
    Cadê o movimento daqui mesmo para sermos um lugar turístico?
    O que os empresários daqui fazem pra dotar a capital de atrações de verdade? Não, as atrações continuam sendo o Laçador, Brique e o Gasômetro.
    Cadê os hoteis que despertem o desejo de vir ficar neles?
    Onde tem um lugar pra alguém de fora poder conhecer o pôr do sol?
    O que a cidade tem inventado? O que a cidade tem criado pra ser exibido, orgulhosa, ao mundo?
    O que a população e entidades fazem pra mudar o perfil da cidade? Nada, só se mobilizam pra tentar proibir tudo.

    Curtir

  7. depois nos chamam de separatistas

    Curtir

  8. É incrível como a gente conseguiu fazer um vídeo em menos de 2 minutos mostrando diversos pontos de Porto Alegre e eles não conseguem em tudo isso mostrar apenas 12 cidades cedes!

    Enfim, RS não é nada…até precisarem

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: