Novo Plano Diretor se omite sobre a orla

Novo PD sofre críticas sobre extrema timidês na tentativa de revitalização do 4º dristrito, sobre pequena altura de prédios e esquecimento da orla porto-alegrense

Prefeitura não informou definição sobre orla

O prefeito considerou um avanço a aprovação do novo Plano Diretor. Fortunati lembrou um dia em que, após uma audiência pública como secretário do Planejamento Municipal, observou, em um restaurante, os garçons discutindo a altura dos prédios. Para ele, o assunto deixou de ser tratado apenas por técnicos para ser amplamente debatido.

– O Plano Diretor é a espinha dorsal do crescimento da cidade. É a segunda lei mais importante da cidade, depois da Lei Orgânica (espécie de constituição municipal).

Um ponto que ficou sem resposta foi a orla do Guaíba, faixa em que a legislação atual prevê preservação sem estipular distância mínima de construções. Apesar dos questionamentos de Zero Hora, a prefeitura não revelou a decisão para a área. Uma emenda apresentada na Câmara especificava uma faixa mínima de 60 metros de preservação da orla desde a Usina do Gasômetro até o limite com Viamão.

Orla portoalegrense. Foto: Ricardo Haberland

23 de julho de 2010

___________________________________________

Críticas para pequena altura dos prédios 

Sem polemizar sobre as definições do Plano Diretor, o presidente do Sindicato das Indústrias da Construção Civil no Estado (Sinduscon/RS), Paulo Garcia, informou que a entidade seguirá acompanhando de perto pontos polêmicos que voltarão à Câmara de Vereadores.

Sobre as novas alturas, Garcia opina que algumas regiões da Capital, como as que precisam de revitalização e investimentos, poderiam ter limites maiores para os prédios. Para ele, entretanto, o Plano Diretor ficou adequado.

Zero Hora

___________________________________________

1) Houve a  permissão de 52 metros para o 4º distrito. Isso pode trazer alguma mudança e estímulo de fato para a região? O mesmo estímulo que há para o Centro, que tem permissão de construir arranha-céus?  O mesmo estímulo para fazer prédios novos na Protásio Alves, Ipiranga, Assis Brasil, Bento Gonçalves, etc.?  Essas avenidas passam por vários bairros com o limite máximo de altura. Essas avenidas todas são exemplos de feiúra em avenidas brasileiras, com predículos velhos e horrorosos, e nunca ensaiaram mudança nenhuma nos mais de 12 anos que já vem tendo permissão do PDDUA atual. E muitas passam por bairros nobres ou com expressivo crescimento – que não interessou nem um pouco às avenidas, que permissão, tinham.

2) Onde o novo PDDUA tem um capítulo especialmente para hotéis? Todas as metrópoles turísticas brasileiras o tem. Onde o PDDUA estimula construção de hotéis em alguns pontos interessantes da cidade, próximos à orla (salvaguardados, claro, cuidados com impacto ambiental)? Onde ele trata de algo que pode estimular o perfil da cidade para ser atrativa e turística, e alavancar sua renda?

Ok, sei que o que falo no parágrafo acima é muita ousadia para nossa cultura.  Vamos esquecer o mundo externo, então. Vamos falar de Porto Alegre apenas como nosso mundinho, nosso universo e nossa querência, e pronto. E vamos retornar ao assunto do parágrafo 1 : em que o novo PDDUA ousa? Em que ele é um marco inovador? Onde ele trata da orla? Em que o novo PDDUA  incentiva de verdade?  Em que ele  realmente estimula  a cidade?

RicardoH



Categorias:ORLA, Plano Diretor, Prédios, Revitalização 4º Distrito, Revitalização do centro, TURISMO

Tags:, , , , , , ,

7 respostas

  1. tem que juntar uma galera que quebrar o muro a marreta, como os alemães fizeram com o muro de Berlim, não adianta esperar que autoridade alguma faça isso

    Curtir

  2. O PDDUA nunca foi plano algum!!! Definir altura qualquer criança que faz castelo de areia consegue. Plano sem desenho, plano sem projeto, plano sem plano, é só um monte de números que determinam um futuro estado de estagnação. E poxa, sobre prédios altos, que choradeira! Altura de prédio não significa nada! Não adianta querer imitar EUA, Europa ou Ásia! Não se constrói hotéis gigantes em POA porque não há NADA pra se ver em POA! O Guaíba é bonito? É. Mas há milhões de lugares bonitos no mundo. O que mais acontece em POA? Não há um lugar próprio para grandes shows na cidade!! Tudo o que acontece aqui já aconteceu em SP e RJ, então porque alguém viria até aqui? Sinceramente, POA é um saco. E metrópole sem metrô é foda. Antes que reclamem, sou arquiteto e SEI que a maior parte da população é totalmente alienada em relação a isso, visto o sucesso que a casacor FAZ (e que qualquer outra exposição de arquitetura NÃO faz). Sobre a praça do Barra, isso é culpa da administração incompetente, que não cobra contrapartida nenhuma pros impactos sobre a cidade. É o “adote um canteirinho” em larga escala hshs só isso. Enquanto POA votar NÃO!, enquanto corredor de ônibus fechado pra meia dúzia de pessoas passearem no fim de semana ser chamado de ‘qualidade de vida’ as coisas não vão mudar. Enquanto existirem pessoas que paguem mais de R$ 500 mil pra viver em POA, nada mudará! Palavra de Vitruvius.

    Curtir

  3. E ainda quando alguma empresa vai fazer uma “praça” na sua frente, faz só uma calçada com um murinho baixo, para contemplação. A orla do Guaíba continua sem acesso, com matagal e perigo de assaltos. Falo da praça de contemplação em frente ao BarraShoppingSul, uma das iniciativas mais infelizes que já vi. Alguém já foi lá ?

    Curtir

  4. Boa, Julião !

    Curtir

  5. Orla!
    Que orla?
    Só vejo muro e arbustos…

    Curtir

  6. Realmente, este é um ótimo post ! Acredito que o “provincianismo” da cidade impede que ela discuta alguns assuntos, como a definição de altura diferenciada para hotéis. No mundo inteiro hotéis são prédios altos e imponentes. Aqui temos o Sheraton, um belo exemplo de um prédio que foi tratado como “projeto especial” e ultrapassou o limite de altura para o bairro Moinhos de Vento. Esperamos que nos próximos anos, esta questão, de empreendimentos turísticos, tenha um capítulo especial no Plano Diretor. A cidade de Porto Alegre não é mais uma cidade de interior. Temos mais de 1,5 milhão de habitantes (estimativa para 2010). E assim ela deve ser vista. Uma metrópole necessita de uma legislação de acordo com seu tamanho e importância. O Plano Diretor de Ivoti não serve para Porto Alegre e vice & versa. Os vereadores simplesmemte ESQUECERAM destes itens no Plano Diretor ou NÃO QUISERAM discutir e inclui-los?

    Curtir

  7. Tenho medo sobre o que é que podem estar decidindo sobre a orla.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: