Beira-Rio inicia obras em agosto e quer receber semifinal em 2014

Estádio será reformado com recursos próprios do Inter, que nem precisará deixar de jogar em casa

Dos três estádios particulares indicados como sedes da Copa do Mundo 2014, o Beira-Rio é o que está melhor encaminhado para se adequar às exigências da Fifa. O Internacional já viabilizou economicamente as obras e pretende iniciá-las em agosto, segundo revelou o vice-presidente de patrimônio do clube, Emídio Ferreira. “As fundações para remodelar o estádio começam na primeira quinzena de agosto”, disse.

Ao invés de implorar por dinheiro público, o Inter usou seu próprio patrimônio e a parceria com a iniciativa privada para levantar os recursos necessários para a reforma do Beira-Rio. O clube já negocia a venda do Eucaliptos – antigo estádio do clube e hoje localizado em área valorizada de Porto Alegre – e colocará à venda 100 suítes no novo estádio. Serão camarotes com serviço de bar e restaurante, além de sala de reuniões e showroom.

Camarotes modernos e confortáveis serão uma das fontes de renda

Cada um será vendido para corporações e empresários ao preço de um R$ 1 milhão. “Esse pagamento será antecipado, e teremos cerca de R$ 130 milhões para viabilizar a reforma, já que as negociações estão sendo finalizadas para vendermos o Eucaliptos por cerca de R$ 30 milhões”, diz Emídio Ferreira, comemorando o fato de o clube não precisar recorrer ao poder público. “A modelagem é toda voltada para o mercado e a iniciativa privada”.

O Internacional não precisará sair do Beira-Rio enquanto a adequação do estádio estiver em andamento. As reformas se darão por módulos. Quando um determinado setor estiver em obras, ele será isolado. “A única coisa que vai ocorrer é que no período das reformas o estádio vai encolher. Em vez dos 56 mil lugares, em determinado momento ele vai comportar 44 mil ou menos, mas não será interrompido. Nossos jogos continuam no Beira-Rio”, garante o dirigente.

O planejamento do clube prevê que o novo Beira-Rio seja entregue até dezembro de 2012. Quando reformado, o estádio vai poder receber 62 mil pessoas. “É importante que se diga que parte destas obras não é apenas exigência da Fifa, mas para oferecer maior conforto aos nosso 106 mil sócios”, comenta o vice de patrimônio. Entre as novidades, o Beira-Rio receberá uma cobertura semelhante à do estádio de Porto Elizabeth, na África do Sul.

Sem concorrência

O fato de o Grêmio empreender seu novo estádio não tira o sono do Internacional. Por já ter viabilizado o projeto do Beira-Rio junto à Fifa, o clube até apoia a obra do rival. “O Grêmio está fazendo um estádio para ele, mas o estádio escolhido pela Fifa para a Copa do Mundo é o Beira-Rio. Foi a Fifa quem escolheu o Inter e é aqui que os jogos da Copa vão acontecer. O Grêmio terá seu novo estádio, mas não tem nada a ver com a Copa do Mundo”, diz Emídio Ferreira.

Além de atrair a iniciativa privada para a reforma do estádio, o Internacional desenvolveu também o projeto Gigante para Sempre. Dentro da área ociosa no entorno do estádio, o clube vai abrir espaço para a construção de um hotel, uma torre comercial, um centro de convenções e um edifício garagem. “São recursos que ainda estamos prospectando. Quanto à reforma do Beira-Rio, os recursos estão viabilizados”, finaliza o dirigente.

Copa gaúcha

No Rio Grande do Sul, a secretaria especial para a Copa 2014 trabalha junto à CBF e à Fifa para que Porto Alegre receba jogos até a semifinal da Copa. O Estado avalia que poderá atingir seu objetivo por causa de seu potencial hoteleiro, pela forte imigração europeia e pelas obras que estão previstas para a capital gaúcha, além do estádio.

Segundo o secretário Eduardo Antonini, outro fator deve pesar a favor do Estado é a capacitação de profissionais para a Copa 2014. “Somos o único Estado que já começou esse trabalho. Tem 25 municípios envolvidos e pretendemos, com isso, atrair a hospedagem de seleções também”, disse Antonini, que ainda revela que o governo gaúcho promoverá também isenções fiscais para projetos ligados à Copa.

O governo também está investindo R$ 500 milhões na revitalização do Cais Mauá – a região portuária à beira do Rio Guaíba. O espaço abrange 181 mil metros quadrados e deve gerar 10 mil empregos, entre diretos e indiretos. “Quando pronto, será uma área com componentes sócio-culturais e de lazer. Tudo isso está sendo sinalizado à CBF e à Fifa para que Porto Alegre seja uma das principais sedes da Copa”, disse Eduardo Antonini.

Fonte: http://www.cap4ever.com.br/beira-rio-inicia-obras-em-agosto-e-quer-receber-semifinal-em-2014/



Categorias:COPA 2014, Grêmio e Inter

Tags:, ,

1 resposta

  1. vai ficar fera o beira-rio depois pronto

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: