Comentário sobre o Plano Diretor, de um leitor

O PDDUA nunca foi plano algum!!! Definir altura qualquer criança que faz castelo de areia consegue. Plano sem desenho, plano sem projeto, plano sem plano, é só um monte de números que determinam um futuro estado de estagnação. E poxa, sobre prédios altos, que choradeira! Altura de prédio não significa nada! Não adianta querer imitar EUA, Europa ou Ásia! Não se constrói hotéis gigantes em POA porque não há NADA pra se ver em POA! O Guaíba é bonito? É. Mas há milhões de lugares bonitos no mundo. O que mais acontece em POA? Não há um lugar próprio para grandes shows na cidade!! Tudo o que acontece aqui já aconteceu em SP e RJ, então porque alguém viria até aqui? Sinceramente, POA é um saco. E metrópole sem metrô é foda. Antes que reclamem, sou arquiteto e SEI que a maior parte da população é totalmente alienada em relação a isso, visto o sucesso que a casacor FAZ (e que qualquer outra exposição de arquitetura NÃO faz). Sobre a praça do Barra, isso é culpa da administração incompetente, que não cobra contrapartida nenhuma pros impactos sobre a cidade. É o “adote um canteirinho” em larga escala hshs só isso. Enquanto POA votar NÃO!, enquanto corredor de ônibus fechado pra meia dúzia de pessoas passearem no fim de semana ser chamado de ‘qualidade de vida’ as coisas não vão mudar. Enquanto existirem pessoas que paguem mais de R$ 500 mil pra viver em POA, nada mudará! Palavra de Vitruvius.

Mais um comentário, do mesmo leitor:

O prédio da antiga Rocco pede socorro e quase se suicida todos os dias na esquina Riachuelo x Dr. Flores. Como nenhum ‘grande empresário gaúcho’ ainda não teve a ideía de reavivar o edifício (aliás destruído internamento por uma dessas casa&cia da vida). Porra Zaffari/Bourbon, pára de construir troço horrendo e investe na recuperação do centro!

Pra quem não se lembra da Confeitaria Rocco, aí vai uma foto:

E a praça “para contemplação” em frente ao Barra:

Comentários realizados pelo leitor Vitruvius, em 26/07/2010.



Categorias:Arquitetura | Urbanismo, Opinião, Plano Diretor, Prédios, TURISMO

Tags:, , , , ,

8 respostas

  1. Puxa fico realmente lisonjeado em ter meus comentários transformados em postagem.
    Acho que é mesmo hora de parar com o ‘porto alegre é demais’ e pressionar mais os representantes a legislar e atuar sobre o que realmente importa (homenagens, nome de rua podem ficar pra bem depois, não é srs. vereadores?)

    Hoje a ponte do Guaíba não baixou. Nem a ponte quer ficar mais ali. Pena só ter copa de 2014 uma vez a cada História humana.

    Curtir

  2. Caro Anderson Vaz: procurei lá no meu texto e não encontrei nehuma referência a veículo da RBS (ou citação explícita da Zero Hora), simplesmente porque a ética não me permite isto. Estranho voce dizer que “é bairrismo esperar que o jornal local daqui seja melhor que os nacionais ou até mundiais” (sic). Pois eu penso exatamente o oposto, e não por bairrismo, mas simplesmente por uma questão de qualidade da informação e respeito ao leitor. Quem me dera tivéssemos jornais locais à altura de um New York Times ou Le Monde ou Frankfurter Allgemeine… Por favor, não encare isto como esnobismo, até porque não assino nenhum deles, mas trata-se de algo muito simples, meu amigo: uma cidade em que moradores fazem de tudo para impedir a construção da sala de concertos da OSPA – para ficar num exemplo somente – não pode ser considerada como partícipe de uma imaginária “sociedade pluro-fraterno-global” (invenção minha, pode usar, mas cita a fonte…). Em outras palavras: é o pensamento curto, a visão provinciana, a exaltação da grossura, o auto-embevecimento com o próprio umbigo que me assustam, o preto ou branco, o fanatismo gremista-colorado, o pt-anti-pt que me tiram as esperanças de um futuro um pouco mais decente, mais civilizado, menos radical, bem mais tolerante. Acho que Porto Alegre merece isto.

    Curtir

  3. Discordo da parte que fala em predios altos.
    Ninguem aqui tem a ilusão de ter predios de 50 andares, mas sim predios comuns a outras capitas, com pelo menos 25 andares.
    Goiania é um exemplo disso, e com certeza tambem não tem “atrativo” algum.

    Curtir

  4. Olha Jorge, já morei em outros estados e essas notícias locais são comuns a todos. E não é bairrismo, em cada região são valorizadas as noticias locais pois as nacionais já existem. A RBS é um braço da Globo pra falar das notícias locais, produzir programas locais e representar a vênus prateada quando essa precisar de algo aqui no estado. Acho um exagero seu nessa parte.
    Entra nos diários de qualquer estado que vc vai ver coisas do tipo. Em Vitória, última cidade que morei fora de Poa, era normal também abrir o jornal e ler coisas do tipo “Capixaba foi o melhor colocado no Enem, Capixaba está entre os mortos no dilúvio de Angra dos Reis”…”e assim por diante. Isso não é bairrismo, chama-se GLOCALIZAÇÃO.
    Pra mim nesse caso é bairrismo esperar que o Jornal local daqui seja melhor que os jornais nacionais ou até mundiais. Eu identifico isso muito em colegas de trabalho, que criticam a ZH justamente por essa glocalização esperando abrir ela diariamente com notícias que mais interessa qualquer pessoa do mundo e não ler matérias sob a ótica de gaúchos, que outra pessoa do mundo não se interessaria.
    Quanto a se defumar ao lado de churrasqueiras e fiar tomando cana no Harmonia o dia inteiro faz parte da identidade do gaúcho. Só na cabeça de alguns isso quer dizer que “somos melhores por causa disso”. Só somos assim. Ponto. Assi como o Novaiorquino fica tomando banho de sol no Central Park, os Parisienses ficam criando praias de areias artificias na beira do Sena, e assim por diante.
    Acho muito exagerado essas críticas aos gaúchos por esses argumentos que citastes.
    Quanto a glorificação da sova tomada, olhando por esse aspecto, apanhamos mesmo, mas não é isso que é valorizado e sim historicamente o fato de não aceitarmos algumas coisas passivamente. Eu apanho todo dia, mas não canso de lutar, gritar, espernear que isso ou aquilo está errado. É um traço farrapo do qual me orgulho mas não me sinto SUPERIOR a ninguém por causa disso. As pessoas precisam aprender a ver que aceitar particularidades e características próprias não quer dizer que a pessoa é bairrista ou xenófoba. Todos os estados preservam suas caractaristicas e se orgulham disso. Isso não é bairrismo. As pessoas estão chamando qualquer atitude de bairrista e esse é um erro tremendo.

    Curtir

  5. Porto Alegre é demais! ( IRONIA ON )

    Curtir

  6. Muito pertinentes os comentários do colega Vitruvius, não dá mesmo pra aguentar esta arrogância nossa (na qual me incluo, pois nasci aqui e depois de muito, voltei a morar nesta província-metida-a-metrópole), este cacoete de achar que somos os melhores em tudo, o “gauchismo” enfim. Exemplo? Não há dia em que nossos pasquins não noticiem em manchete “gaúcho atropelado no Rio”, “gaúchos são barrados no aeroporto em Miami”, gaúcho isto, gaúcho aquilo. Um bairrismo atroz, uma xenofobia idiota que não admite qualquer idéia que não tenha sido gestada pela genialidade gaudéria, e que acaba se traduzindo em ações medíocres de nossos brilhantes administradores ao longo dos anos. Agora, pra se defumar ao lado de churrasqueiras e ficar tomando cana no Harmonia durante um mes inteiro, ah nisto somos insuperáveis! É a glorificação da sova tomada na tal saga farroupilha, é inacreditável! E os famosos projetos? Cais do Porto? Praia de Ipanema? Pontal do Estaleiro? Ciclovias? Estará tudo pronto até a copa, a mais nova panacéia local? Então tá bom, fico tranquilo…

    Curtir

  7. Mas acontecerá, Norton e Vitrivius, esta praça será adotada no inicio de 2014, quando a Copa está aí e algum “bom feitor empresário” adotará. Pena que por motivos não tão louváveis…

    Quanto a antiga Confeitaria Rocco, ela foi revitalizada recentemente, porém ninguém se dispôs a utilizar aquele local. Eu, sinceramente, vejo novamente um café elegante ali. Pena que o local é bem violento á noite.

    Mas sou um sonhador…

    Abraço!

    Curtir

  8. Realmente essa praça de contemplação é um vexame. Espera outra coisa quando anunciaram. Fui ingênuo acreditar que iriam fazer algo melhor.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: