NOVA ROTA EM DEBATE – Reabertura da Ramiro pode se tornar permanente

EPTC considera positiva a mudança e instalará semáforo para facilitar a travessia de pedestres

Elogiada por motoristas e criticada por pedestres e comerciantes, a reabertura da Rua Ramiro Barcelos no cruzamento com a Avenida Protásio Alves, na Capital, deve ser mantida pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). A medida, considerada positiva pelo órgão, seguirá sendo avaliada para possíveis adaptações. Gradis de proteção e um semáforo serão instalados para facilitar a travessia de pedestres.

Ocruzamento estava fechado há 15 anos e foi reaberto no dia 17, devido a uma obra do Departamento de Esgotos Pluviais (DEP) que bloqueou trecho da Avenida Venâncio Aires. As primeiras avaliações em relação ao trânsito apontaram para a permanência da medida mesmo após o fim da obra, previsto para o próximo sábado.

– Com a conclusão da obra na Venâncio Aires, o fluxo se dividirá melhor por ali. Nossa decisão é manter a Ramiro permanentemente aberta, a não ser que se comprove algo muito ruim no futuro. É fundamental até para as obras do Túnel da Conceição, como uma válvula de escape – afirma o secretário de Mobilidade Urbana e diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari.

Apesar da melhora no fluxo, moradores e comerciantes da região reclamam de problemas na travessia e da proibição do estacionamento no lado esquerdo da via. O presidente da Associação dos Amigos do Bairro Bom Fim, Carlos Alexandre Randazzo, alerta para os riscos de atropelamento no local:

– A sinaleira de pedestres da esquina da Ramiro com a Protásio foi retirada. Quando os agentes da EPTC não estão no local, fica muito perigoso. Já enviamos à prefeitura uma reivindicação para que seja instalado um semáforo. Também pedimos uma reunião com a EPTC.

Comerciantes cobram local para estacionamento

Um abaixo-assinado organizado por comerciantes pede a volta do estacionamento nos dois lados da rua. Cerca de 200 assinaturas já teriam sido recolhidas.

– A abertura não nos trouxe nenhum prejuízo. O problema é a proibição do estacionamento. Os clientes estão se queixando. Carga e descarga também estão horríveis – afirma Paulo Roberto Sanches, proprietário de uma tabacaria.

O secretário Vanderlei Cappellari concorda que houve prejuízo para os pedestres com a mudança. A intenção é instalar uma sinaleira de pedestres na Ramiro Barcelos, cerca de 15 metros após a Protásio Alves, até sábado. Quanto ao estacionamento, não há uma definição:

– Retiramos os cavaletes, mas mantemos a proibição. Estamos em contato com os comerciantes, e o que for possível atender, faremos. Mas temos de ver a questão como um todo, o trânsito precisa andar

Zero Hora



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:,

%d blogueiros gostam disto: