Rua João Alfredo é entregue revitalizada

Trabalho foi efetivado em parceria com a comunidade

Foto: Cristine Rochol / PMPA

O prefeito José Fortunati participa nesta quinta-feira, 12, a partir das 16h, do evento da entrega oficial do projeto Tudo de Cor para você em Porto Alegre, no Museu Joaquim Felizardo (Rua João Alfredo, 582). A iniciativa da empresa Tintas Coral tem o objetivo de “transformar comunidades”. São Paulo, Salvador e Rio de Janeiro foram algumas das cidades por onde o projeto já passou. Às 12h de hoje, a Coral promove encontro dos colaboradores do projeto, do qual Fortunati também participa. No evento da tarde, haverá mutirão de 50 funcionários e integrantes da comunidade para finalizar a pintura dos imóveis.

O projeto, inspirado nas cores do pôr-do-sol no Guaíba, transformou a paisagem da Rua João Alfredo, bairro Cidade Baixa. Foram pintadas 75 edificações (a partir da Rua da República, passando pelo Museu até a Rua Joaquim Nabuco). No total, cinco mil metros quadrados de fachadas foram revitalizados, a com utilização de 2,5 mil litros de tinta. A ação na capital gaúcha está sendo realizada desde junho e teve a participação de 25 pintores, incluindo moradores da cidade.

Para Fortunati, o projeto da Coral caracteriza uma ação de governança solidária local, que integra esforços da iniciativa privada, administração pública e participação da comunidade. “A rua João Alfredo congrega história, simbologia e a juventude da cidade. Quanto mais casas, edifícios e prédios forem renovados estaremos elevando a autoestima dos porto-alegrenses. A partir desse projeto vamos estimular a população a pintar outros locais.”

Veja mais fotos, clicando aqui.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Revitalização do centro

Tags:,

21 respostas

  1. Uma bela foto 360º antes e depois, pode-se ver as cores pouco foram alteradas, mas hoje com muito mais vida e mais convidativo para que seja frequentado.
    http://www.tudodecorparavoce.com.br/estados/rs/poa/360/

    Curtir

  2. Seria lindo também na Lima e Silva se não fosse os comerciantes derrubarem os prédios antigos como fez a alguns meses o Cavanhas de dois pisos para ampliar seus negócios. Os ignorantes aind não entenderam que cultura tanbém traz dinheiro, turistas.. é triste. E o caso do cavanhas ninguem fez nada, simplismente foi derrubaoo prédio e colocado um paredão acimentado no lugar.

    Curtir

  3. @fmobus

    Não sou contra pintar edificações antigas, mas enquanto historiadora especialista em patrimônio edificado, não posso concordar que isso ocorra de forma leviana como foi feito na João Alfredo. Pintar não é o problema, mas sim de que forma isso é feito. O certo seria fazer uma retrospecção para saber a cor original da edificação. Pense comigo, não seria muito mais interessante se aquelas construções pudessem voltar a ter a sua cor original? A comunidade do entorno e todos os demais que lá frequentam poderia ter uma real idéia de como era aquela parte da cidade no início do século passado. Em termos de memória e preservação seria uma ação muito mais válida do que simplesmente sair pintando com cores aleatórias.
    E mais uma coisa, preservação significa manter, desenvolver ações que garantam a sobrevida do que chegou até nós de modo que as proximas gerações possam usufruir daquele bem tbm. Pintar é uma intervenção externa, que como tal, deve ser pensada e planejada muito bem, e é claro, sempre reversível.

    Curtir

  4. Fmobus

    Utilizando a mesma forma de resposta

    “Minha opinião diverge completamente da sua nesse ponto. A rua ficou com outra cara. Pode melhorar ainda, mas foi uma excelente mudança.”

    Acho que você não familharizado com o termo, caro Fmobus, revitalização e pintura não é a mesma coisa. Não foi a rua que ficou com outra cara, foi algumas edificações que tiveram a sua cor alterada.

    “Ahn? Você achou que a empresa estava tocando esse projeto no amor? É óbvio que o principal dividendo disso pra eles era divulgação da marca.” Não, eu que sou uma pessoa esclarecida, nunca achei que fosse por amor. Mas a empresa vende a ideia de auxilio solidario, e isso cola muito facil entre a população que nao se preocupa com os motivos, só com a ação em si.

    “Até porque a única outra opção seria o poder público financiar esses embelezamentos – coisa que, convenhamos, certamente não é prioridade para nossa combalida e pobre prefeitura.” Não sao predios públicos para ficar a cargo da prefeitura, a responsabilidade de preservação e manutenção é do proprietario.

    “Eu discordo que haja uma descaracterização das fachadas dos prédios. A região ganhou muita vida com a pintura e a iluminação. O uso de cores marcantes RESSALTA as características das fachadas renovadas. É por isso que a iniciativa teve aceitação pública.”

    Eu pergunto, quem é você pra achar alguma coisa? Se tu discorda que houve descaracterização da fachada, só mostra que não é uma pessoa ligada ao patrimônio arquitetônico. e sua preservação. Caso, você não tenha percebido, as edificações pintadas são as mais antigas, do inicio do século passado, por isso mecereciam uma atenção especial.

    Ressalta as características ou anula o seu valor de antiguidade??? Você sabe o que é isso? Pesquise antes de deixar outro post.

    “VIVA A ESTAGNAÇÃO!” E mais uma vez, é comprovado a sua falta de conhecimento sobre o assunto de patrimônio e preservação. Preservar não é congelar, é respeitar o que chegou ate nós.

    E viva a Alienação! Ela é muito mais reconfortante do que o conhecimento, não é mesmo Fmobus?

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: