Obra do emissário terrestre avança na orla do Guaíba

Emissário terá 7 quilômetros de tubulações assentadas

Emissário Terrestre - Foto: Luciana Turela

Uma das principais obras do Projeto Integrado Socioambiental (Pisa), o emissário terrestre já conta com 1,2 km de tubulações de esgoto assentadas. No total, estão previstos 7km. As frentes de trabalho do emissário podem ser visualizadas ao longo da orla do Lago Guaíba, desde o Anfiteatro Pôr-do-Sol até a avenida Diário de Notícias, em três locais distintos: entre o arroio Dilúvio, no Parque Gigante do Beira Rio e na própria avenida Diário de Notícias. Estão previstos para o próximo mês os serviços de travessias das passagens ao longo do Museu Iberê Camargo e pelos canais do Departamento de Esgotos Pluviais (DEP).

Sobre o emissário: essa obra será responsável pela condução dos esgotos provenientes da área central da Capital, concentrados na futura estação de bombeamento de esgoto na Ponta da Cadeia, região próxima ao Gasômetro, até a estação de bombeamento de esgoto do bairro Cristal. De lá, seguem via tubulação subaquática até a estação de tratamento de esgoto no bairro Serraria.

Situação de cada obra do Pisa

Na Restinga e na Ponta Grossa

– Redes coletoras dos Bairros Restinga e Ponta Grossa: 99,8% concluídas.

– Interceptor Restinga: até agora foram assentados 3,4 km. Existem três frentes trabalhando nessa obra localizadas nos bairros Restinga, Hípica e Aberta dos Morros. – Execução do Interceptor Restinga no Beco do Schneider.

– Emissário da Restinga – chegaram todas tubulações para essa obra. Em fase de conclusão dos levantamentos para obtenção de licenças junto ao Quartel da Serraria, o que permitirá o inicio do assentamento dos tubos.

– Elevatória EBE Restinga – Dada ordem de inicio ao contrato, aguarda liberação de área para inicio da obra.

– Elevatórias Chapéu do Sol e Ponta Grossa, com respectivos emissários: Dada ordem de inicio ao contrato, em fase de limpeza das áreas e marcação de obra.  

Na Cavalhada

Redes coletoras do Arroio Cavalhada:  obra vai beneficiar os bairros Camaquã, Cavalhada (em parte), Nonoai (em parte), Cristal (em parte), Vila Assunção (em parte), Santa Tereza (em parte): 77,8% concluídas.

Dentro do Lago

Emissário Subaquático – Em fase de fabricação e montagem dos contrapesos (poitas).

No Gasômetro

EBE Ponta da Cadeia e Chaminé de Equilíbrio: em fase de finalização da obra; estão acontecendo ajustes na parte elétrica.

No Cristal

– EBE Cristal e Chaminé de Equilíbrio: serviços em execução: Estacas da sala de bombas EBE Cristal e preparação para o início da escavação do poço citado de sucção da EBE C-2.

– Elevatória de Esgotos EBE C1 – Dada ordem de início para a obra, em fase de limpeza do terreno e marcação da obra.

Na Serraria

 ETE Serraria: Início do canteiro de obras e montagem da usina de concreto. Desmatamento e início das escavações.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Meio Ambiente, Programa Sócio Ambiental

Tags:, ,

4 respostas

  1. Se os pseudoecologistas não se importam com isso, eu me importo.

    Quero saber quando 100% do esgoto de Porto Alegre vai ser recolhido e tratado (e não 70% como se espera com o PISA), bem como de toda a região metropolitanda de POA, para que finalmente o Guaíba comece a ser despoluído?

    Curtir

  2. Engraçado que para comentar sobre algo de suma importância para o meio ambiente, como recollher e tratar esgoto de POA, ao invés de jogá-lo in natura no Guaíba, esse pseudoecologistas não aparecem.

    Curtir

  3. muito bom…
    =D

    Curtir

  4. Essa talvez seja a maior obra executada em Porto Alegre nas últimas décadas; mas, como todos sabem, enterrar cano não traz reconhecimento algum.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: