Reunião da AMOBELA discute a rótula da Nilo Peçanha

Foi nesta noite de quinta-feira, às 19:30, no Auditório Azul, do Grêmio Náutico União, que houve a primeira reunião para discussão sobre o futuro da rótula da Nilo.

Reunião sobre a rótula da Nilo lota auditório do GNU. Foto: Gilberto Simon (Porto Imagem)

Foram discutidos diversos assuntos, envolvendo o trânsito do bairro, da cidade e da região metropolitana. Entre os assuntos que surgiram foi o de que a cidade precisa de um planejamento no sentido de criar soluções que não passem pelo trânsito de automóveis, e sim, que o fluxo de pessoas possa ser realizado através de bicicletas, por exemplo e da necessisade de um sistema eficaz de transport de massa, o metrô. Foram dados muitos exemplos, do Japão à Curitiba, passando por Paris e Londres. Uma curiosidade citada é que Salvador já conta com 10km de metrô implantados. E que Porto Alegre está ficando para trás. Um dos primeiros moradores do bairro Bela Vista, tendo ido morar no bairro na década de 70, disse que existe um movimento para alavancar a idéia de construção de uma elevada em níveis no local da rótula, de forma que não polua visualmente o ambiente e aproveite os desníveis já existentes das vias. A idéia obteve o aval dos técnicos presentes, como sendo viável e muito interessante.

Compareceream à reunião o Secretário Adjunto da SMAM , José Francisco Furtado, um representante da SPM, a Engenheira Civil da UFRGS Helena Beatriz Bettella Cybis, o Engenheiro também da UFRGS, João Fortini Albano, a arquiteta da UNIRITTER, Maria Izabel Milanez, a arquiteta da UFRGS Iara Regina Castelo, além do presidente da Associação do Bairro Três Figueiras, Waldir Bronzato, o Vice-Presidente do Conselho Deliberativo do Grêmio Náutico União, Rui França, e o Padre Guido Kuhn, Diretor-Geral do Colégio Anchieta. A reunião foi coordenada pelo arquiteto Osório Queiroz Jr., Presidente da AMOBELA, Associação dos Moradores do Bairro Bela Vista e Mont Serrat.

A reunião prosseguiu até às 22:30, com o auditório completamente lotado e contou ainda com a participação do Vereador Sebastião Mello, que foi convidado a integrar a mesa.

A EPTC não mandou representante mas enviou o projeto integral do que será feito na rótula: implantação de sinaleiras com alargamento de trechos da Carlos Trein Filho e da Av. Nilópolis. É unanimidade que esta solução através de sinaleiras é um retrocesso para a área.

A proposta da EPTC...

Ficou estabelecido também, na reunião que será pleiteado junto à Prefeitura a inclusão de um projeto de elevadas para a área junto aos projetos prioritários para a Copa de 2014. O projeto terá que ser elaborado e entregue aos técnicos da Prefeitura.

A reunião contou com uma apresentação visual a cargo do Porto Imagem, salientando todos os empreendimentos comerciais e empresariais, além de parques, clubes, escolas, que existem no eixo da Nilo Peçanha e da Terceira Perimetral, tornando a rótula da Nilo Peçanha um local de extrema importância para o fluxo dentro da cidade, o que justificaria a implantação de um equipamento de porte para realmente solucionar o problema, e não piorar como será a implantação de sinaleiras. A apresentação continha um mapa da região (veja abaixo) mostrando estes empreendimentos e pontos de atração.


Clique para ampliar

Gilberto Simon



Categorias:Bicicleta, ciclovias, COPA 2014, EPTC, Infraestrutura, Meios de Transporte / Trânsito, Metro Linha 2, Plano Diretor, portais da cidade

Tags:, , , , ,

2 respostas

  1. Infelizmente não pude comparecer à reunião. Sem dúvida, o problema é muito sentido pela comunidade do entorno, haja visto que a reunião encheu. O drama, ao meu ver, é que a solução de viaduto demoraria muitos anos pra sair – pois ou encaixa na copa ou fica pra muito depois – e poderia afetar negativamente a qualidade de vida do local. Se a comunidade tem interesse em se livrar desse problema no curto prazo, outras soluções devem ser estudadas.

    Eu já dei minha ideia aqui: http://i35.tinypic.com/ezlnxd.png

    Curtir

    • Felipe, a maneira que se pensou para a rótula, são de passagens de nível, integradas e respeitando o próprio nível do terreno do local, com paisagismo. Os arquitetos presentes, em especial a Maria Izabel Milanez, com vasta experiência na área, deram um certo aval ao futuro projeto e concluiram que ficará bem interessante a região, com um complexo destes. Se eles conseguirem que o projeto fique entre as prioridades para a Copa 2014, será muito bom. Do contrário, tu tem razão, demorará muito até sair do papel. Mas de qualquer forma, a EPTC já decidiu, sem ouvir a comunidade, que implantará as sinaleiras, retirando a rótula. Foram feitas 2 licitações para a obra toda, e que resultaram desertas (nenhuma empresa se interessou em fazer a mudança). Será feita uma terceira nas próximas semanas, retificando alguns pontos, talvez não totalmente esclarecidos. Não tem volta, as sinaleiras voltarão, o que eu acho um retrocesso. Não sei a tua opinião a respeito disso.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: