MPF quer o túnel reformado em menos de 18 meses

Para os procuradores, a demora na realização da obra é um absurdo

O Ministério Público Federal (MPF) encaminhou ontem uma representação ao Ministério Público Estadual (MPE) solicitando medidas para obrigar a prefeitura de Porto Alegre a reduzir o prazo da reforma no Túnel da Conceição, estimado em 18 meses. Os procuradores afirmam que apenas 20 operários trabalham na obra, em turno único, o que contrariaria o princípio constitucional da eficiência na Administração Pública.

A representação assinada pelos procuradores Domingos Sávio da Silveira e Marcus Vinicius Macedo sustenta que o município não está utilizando todos os meios possíveis. “Mesmo as alterações introduzidas pela EPTC não estão surtindo o efeito desejado”, diz o ofício, sobre as mudanças no tráfego na região do túnel.

Segundo o documento, o ideal seria aumentar o número de trabalhadores e ampliar a atuação para três turnos. A reforma, iniciada no dia 9 de outubro, é a primeira intervenção estrutural na edificação desde sua inauguração, em 1972.

Além disso, o ofício compara o tempo estimado de reforma com a construção do próprio túnel, que levou 24 meses no início dos anos de 1970, quando “os recursos financeiros eram sabidamente escassos e não existiam ainda os complexos equipamentos tecnológicos de construção dos dias de hoje”. Os procuradores afirmam ainda que “a demora na realização dessa importante obra trata-se, no caso, de um absurdo e completo descaso com a população porto-alegrense.”

Apenas de forma ilustrativa, o documento menciona a obra do Pentágono, nos Estados Unidos, na década de 1940, cujos 344 mil metros quadrados e 28 quilômetros de corredores foram finalizados em 16 meses.

Conforme o secretário de Obras e Viação da Capital, Cássio Trogildo, o fato de não se saber quais são os problemas internos da estrutura do túnel impede que seja dada uma data exata sobre a conclusão dos trabalhos.

“Não sabemos o que vamos encontrar quando abrirmos as janelas para analisar o interior das paredes. Estimamos em 18 meses justamente pela necessidade de realizarmos um diagnóstico completo”, diz. Segundo o secretário, a impossibilidade de se bloquear completamente o túnel e de se trabalhar após as 22h, devido à proibição definida pelo código de condutas da cidade, fazem com que a obra demore mais.

Trogildo garante que a intenção é concluir as obras antes do prazo previsto, mas não descarta o contrário. “A prefeitura quer fazer em menor tempo possível. Temos esperança de que esse prazo possa ser reduzido, mas não descartamos que ele possa, inclusive, aumentar”, afirma.

A reportagem tentou entrar em contato com o engenheiro Wolnei da Costa, da empresa EPT – Engenharia e Pesquisas Tecnológicas S.A., responsável pelas obras, mas foi informada que ele estava em uma reunião durante a tarde e o início da noite. Mais cedo, em entrevista à Rádio Gaúcha, Costa disse que aumentar o número de trabalhadores não resultará em maior celeridade no andamento dos trabalhos. “Não adianta botar 50, 80 profissionais. Depende do tipo de patologia que for encontrado no túnel”, afirmou. Além disso, os encargos trabalhistas seriam maiores, o que não estava previsto no edital da licitação vencida pela empresa.

O engenheiro ainda afirmou que as obras de fato começarão hoje, com o início da retirada do asfalto. Após essa etapa, os trabalhos serão realizados na parede e no teto do túnel. Na tarde de ontem, poucos trabalhadores estavam no local e quase nenhum serviço era realizado.

Jornal do Comércio
http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=43815&codp=104&codni=3



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito, Túnel da Conceição

Tags:

1 resposta

  1. Para reformar o túnel da Conceição em menor tempo, e isso é bem possível, ele teria de ser completamente fechado, mas alguém aceita consequências disso?

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: