A desindustrialização do Brasil

O Brasil tem regredido na indústria ao longo do tempo. Ele já teve nos anos 80 a segunda indústria naval, só superada pelo Japão. Já teve uma indústria eletrônica de consumo, com empresas como a Gradiente, analisou ainda o superintendente do Sebrae. Por que o Brasil não pode ter uma montadora nacional de carros, uma indústria de tela de plasma, uma indústria nacional de celulares?

Política medíocre de atração

O superintendente do Sebrae, Marcelo Lopes qualifica de medíocre a política de atração de investimentos. Os Estados oferecem terreno, algum incentivo de ICMS e saem a procurar investidores, confessando assim sua incompetência, ao invés de apoiar seus empreendedores locais. Por isso, Lopes insiste na elaboração de uma política industrial para o Brasil, nos moldes dos asiáticos.

www.affonsoritter.com.br



Categorias:Economia Nacional

Tags:, ,

4 respostas

  1. O que eles querem é, menos impostos para produtos nacionais, melhores formas para transportar os produtos, maior segurança para os investimentos, essas coisas.

    Curtir

  2. Esta é uma ótima matéria para debater, não haverá País sem crescimento, sem tecnologia, capacidade de seu povo, e principalmente, as cabeças de seus governantes com idéias ultrapassadas. Há muitos profissionais nativos de nossa terra, com um enorme conhecimento tecnológico, que são importados para outros Países, porque aqui não temos incentivo. Enquanto continuarmos com esse comportamento que o RGS é um Estado pecuarista, destruindo nossas matas nas encostas dos rios, continuaremos regredindo. Veja bem, não sou contra o churrasco, sou mais a favor de frutos do mar, da piscicultura em nosso estado, e muito mais do progresso. Espero que algum dia, apareça uma “cabeça” mais inteligente e que olhe para o nosso futuro…
    por py3cvs.

    Curtir

  3. Hermes:

    O que os empresários querem é que a produção seja menos onerada, que haja menos burocracia, que a infra-estrutura tenha condições de suportar a sua atividade. Eles também querem que os arranjos produtivos locais sejam incentivados – um feliz exemplo é o aeromóvel.

    O fato é que o Collor abriu os mercados e vimos a indústria brasileira sucumbir em sua incapacidade de concorrer com os produtos estrangeiros. Eu não advogo que devamos fechar novamente os mercados, mas realmente falta uma política industrial consistente se quisermos atingir desenvolvimento. Eu começaria por uma reforma tributária que devolva poder aos entes da federação, permitindo que estes decidam por si próprios os seus rumos econômicos.

    Curtir

  4. Não entendi direito, o superintendente do Sebrae diz que a política de “atração” de investimentos é medíocre porque “os Estados OFERECEM terreno, algum INCENTIVO de ICMS e saem a PROCURAR investidores, confessando assim sua incompetência, ao invés de apoiar seus empreendedores locais! Se isso é pouco, então os empresários, locais e do exterior, querem muito mais; provavelmente querem que o Estado pague as obras, as instalações, os equipamentos e a folha de pagamento dos empregados e dos executivos. Desse jeito, eu também quero ser empresário, pois nesse caso, eles se tornariam funcionários públicos de alta remuneração, e sem qualquer despesa e risco. Política de atração de investimentos virou assistência social …

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: