Excessos no trânsito provocam reação da EPTC

Medidas foram anunciadas em coletiva nesta manhã

Foto: Jonathan Heckler/PMPA

A Empresa Pública de transporte e Circulação (EPTC) anunciou nesta quinta-feira, 21, um conjunto de medidas a serem adotadas para coibir excessos no trânsito e diminuir o número de acidentes. As medidas incluem mais 22 pontos de pardais em locais críticos da circulação, e utilização de mais um radar móvel para coibir o desrespeito à velocidade máxima permitida nas vias, com ações principalmente nas madrugadas dos finais de semana.
 
Também haverá incremento de 97 agentes de fiscalização nas ruas; reforço em sinalização para uma maior segurança de motoristas e pedestres; aumento de ações educativas nas escolas e comunidades, nas principais vias, cruzamentos e faixas de segurança não-semaforizadas, em continuidade à campanha do Novo Sinal de trânsito. A partir de dezembro serão intensificadas as autuações aos motoristas que desrespeitarem a travessia dos pedestres em faixas de segurança não-semaforizadas; ações educativas envolvendo motociclistas e pedestres. As medidas serão implantadas em etapas, até o final do ano, para tentar conter a elevação da acidentalidade do trânsito – nos primeiros nove meses do ano foram registrados 19.265 acidentes em Porto Alegre, um aumento de 14,61% na comparação com o ano passado (16.809).

Segundo dados da Coordenação de Informações e Estudos da EPTC, neste ano, até o final de setembro, houve 6.608 feridos em razão de acidentes de trânsito, uma elevação de 20,65% na comparação com o mesmo período do ano passado (5.477 em 2009); 1.150 atropelamentos, aumento de 22,86% (936 no ano passado). Com motociclistas o registro no período é de 3.959 acidentes em 2010, 17,76% a mais do que no ano passado.

Vanderlei Cappellari, diretor-presidente da EPTC, explica que as medidas representam um grande esforço do Poder Público para tentar frear o crescente desrespeito às leis do trânsito: “Houve um aumento da frota de 700 mil veículos na Capital e, embora tenhamos registrado redução de 8,06% no número de vítimas fatais, menos 14,29% em mortes envolvendo motociclistas, menos 11,54% em mortes por atropelamentos, dados positivos, é inadmissível o crescimento na acidentalidade. As ações de fiscalização e campanhas educativas se repetem e muitos ainda não se enquadram nos limites impostos pelas normas do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), colocando em risco a vida de todos. Temos que mudar esta realidade”.

Fiscalização

Além dos 97 novos agentes nas ruas, atualmente em processo de treinamento, que possibilitarão uma fiscalização mais efetiva, a partir de dezembro, serão implantados 22 novos pontos de pardais nas ruas da capital, que flagram também as motos, totalizando, com os já existentes, 46 equipamentos, em locais considerados de elevado risco. A intenção é coibir o desrespeito aos pedestres nas travessias das faixas de segurança não semaforizadas, o desrespeito à sinalização semafórica, entre outros abusos na circulação. Além disso, mais um radar móvel entrará na programação diária de fiscalização, com ações também a serem incrementadas na madrugada, em conjunto com a Brigada Militar, para conter o excesso de velocidade e o uso de álcool ao volante.

Locais dos radares

Os novos equipamentos, atendendo também solicitações via Orçamento Participativo (OP) e comunidade em geral, serão instalados nos seguintes locais, a partir de 25 de outubro, com funcionamento previsto para início de dezembro, todos identificados por placas e faixas, com 15 dias de antecedência:

Av. Ipiranga, em frente à Praça Marselhesa (bairro / Centro); Av. Eduardo Prado, em frente ao número 1.270 (C/B e B/C); Av. Edgar Pires de Castro, nas proximidades do número 9.331, em ambos os sentidos; Av. Juca Batista, em frente aos números 3.380 (B/C) e 2.910 (C/B); Av. Bento Gonçalves, em frente aos números 4.021 (C/B), 6953 (C/B) e 6.992 (B/C); Av. Manoel Elias, em frente ao número 768 (Sul/Norte); Av. Nilo Peçanha, em frente aos números 2.720 (B/C) e 2.685 (C/B); Av. Assis Brasil, em frente aos números 4.910 (B/C) e 4.935 (C/B); Av. Dante Ângelo Pilla, em frente ao nº 375 (S/N); Av. Castelo Branco Km 1 (Capital/Interior); Av. Castelo Branco Km 1,3 (Interior/Capital); Av. Protásio Alves, em frente ao número 10.566 (C/B) e 10.831 (B/C); Av. Senador Tarso Dutra, próximo ao número 1.105 (Norte/Sul); Av. Padre Cacique,em frente ao número 1.900 (C/B).    

Ações educativas

A EPTC projeta atingir, somando-se às 61 mil crianças até agora, outras 20 mil até o final do ano, através de atividades em escolas e comunidades, pela apresentação de peça de teatro e do projeto “contação de histórias”, com foco no trânsito seguro. Entre as escolas que receberão ações educativas, até o final do ano, estão a Coelho Neto, Colégio Mãe Admirável, Osvaldo Aranha, Especial Renascença, Afonso Guerreiro Lima, São Francisco e Nossa Senhora da Glória.

Também haverá incremento de ações abrangendo motociclistas, com distribuição de fôlderes com orientações para uma circulação mais segura; palestras em empresas; prosseguimento das ações da Campanha do Novo Sinal com distribuição de material educativo junto às faixas de segurança não semaforizadas; ações na Feira do Livro, nas imediações de bares e restaurantes; na Rodoviária, durante as festas de final de ano, envolvendo mais 50 mil pessoas. Terão continuidade, também até o fnial do ano, as palestras com operadores do transporte coletivo, abrangendo, até o final do ano, um total de 1.300 pessoas, entre motoristas, cobradores e fiscais.

    
Engenharia de tráfego

Nos nove primeiros meses de 2010 foram revitalizadas 1.214 faixas de segurança, colocados 3.328 gradis em pontos de risco, como as avenidas Cavalhada, Praia de Belas, Osvaldo Aranha, Protásio Alves, Assis Brasil e Juca Batista; instaladas 3.806 placas de sinalização; e revitalizados 57 mil m² em sinalização horizontal. A meta é implantar mais 1.800 gradis até o final do ano; mais 420 faixas de segurança não semaforizadas; mais 1.500 placas de sinalização e mais 3.500 m² de pintura horizontal, atingindo principalmente vias de intenso fluxo de veículos e regiões de numerosa circulação de pedestres, como as principais radiais.

Câmeras

Além das 36 câmeras já existentes na Central de Controle e Monitoramento da Mobilidade, está prevista, até o final do ano, a colocação de dois novos equipamentos para um melhor ordenamento da circulação: Cristóvão Colombo x Garibaldi e Cristóvão Colombo x Ramiro Barcelos.

Conjunto de medidas para redução de acidentalidade

-Mais 22 pontos de pardais em locais críticos da circulação
-Utilização de mais um radar móvel para coibir o desrespeito à velocidade máxima permitida nas vias, com ações principalmente nas madrugadas dos finais de semana
– Mais 97 agentes de fiscalização de trânsito nas ruas
– Reforço em sinalização para uma maior segurança de motoristas e pedestres
– Incremento de ações educativas nas escolas e comunidades, nas principais vias, cruzamentos e faixas de segurança não semaforizadas, em continuidade à campanha do Novo Sinal de trânsito
-Intensificação, a partir de dezembro, das autuações aos motoristas que desrespeitarem a travessia dos pedestres em faixas de segurança não semaforizadas
– Ações educativas envolvendo motociclistas e pedestres

Prefeitura de Porto Alegre
http://www2.portoalegre.rs.gov.br/portal_pmpa_novo/default.php?p_noticia=134276

Share



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:, ,

17 respostas

  1. Luciano: notícia velha, bem velha…. Isto é papo de quem gosta de andar fora das leis. O Klaus está corretíssimo.

    Curtir

  2. Pedestre não tem habilitação, a obrigação do cuidado no trânsito é sempre do motorista, e é claro que existe pedestre descuidado, inclusive crianças inocentes que saem correndo das mãos dos pais, por isso, em respeito ao nosso maior bem, a vida, quem quer ser motorista tem obrigação de dirigir com todo o cuidado e em baixíssima velocidade, e se não acha seguro andar de carro, por medo de assalto em esquinas, escolha outro transporte ou assuma o risco sem colocar a vida de mais ninguém em risco. Morre muito mais gente em acidente de trânsito que em assaltos.

    Curtir

  3. O “novo sinal” é ineficiente pois tem pedestre que não toma o devido cuidado e sai se jogando na rua de qualquer jeito depois de fazer o sinal, e alguns tentam fazer o sinal em faixas com semáforo (e na teoria só deve ser feito em faixas sem semáforo). Uma vez eu e o meu pai fomos em Alvorada e estávamos passando num lugar com pouca iluminação e uns 3 guris passaram correndo e estendendo a mão na frente do carro, quase provocando um acidente (antes de estender a mão já estavam correndo, num lugar com pouca iluminação, onde um motorista normal teria receio de parar sem saber as intenções dos pedestres). A propósito: várias faixas ficam perto demais de esquinas, e às vezes o motorista entra na via sem ter uma visibilidade boa e já tem um doido se metendo na frente do carro.

    Curtir

  4. Uma pessoa inteligente e sensível não esta nem aí para Azuizinhos de tocaia pois ela irá conduzir seu veículo de maneira consciente, dentro das leis que foram escritas não para encher o saco mas sim para proteger a vida.

    Receber uma multa por excesso de velocidade dentro da cidade é o mesmo que receber um atestado de insensibilidade e falta de consideração com a vida dos outros.

    Curtir

  5. Luciano,

    Suponhamos que seja ilegal,qual a solução não multar? Passar para a brigada? Ou simplesmente adaptar a lei para a realidade, legalizando a EPTC?
    Passar a responsabilidade novamente para a brigada é piada, a brigada e polícia civil juntas não conseguem dar conta dos outros crimes, imagina somar os de trânsito.

    A questão é sempre a mesma, quem não descumpre a lei não toma multa, claro que quem toma a multa não gosta, mas só tomou por que desrespeitou a lei. E convenhamos, para cada multa recebida, com certeza ela já cometeu dezenas de infrações que não foram punidas.

    O bom comportamento no trânsito só tem 3 soluções:

    1) um povo consciente e muito educado, estamos muito longe disso;

    2) Tecnologias que impeçam o motorista de cometa a infração, isso seria ótimo, custa dinheiro;

    3) Certeza de punição, ou seja, multas,mas muitas multas.

    Quanto as áreas azuis, qualquer cidade descente do mundo tem diminuído consideravelmente as áreas públicas de estacionamento,e as poucas que tem são bem caras.

    Curtir

  6. Depois que pensei um pouco mais nesta questão dos PARDAIS, das TOCAIAS realizadas por supostos policiais do trânsito, com seus radares móveis, aplicando MULTAS ILEGAIS, resolvi chutar o pau da barraca!
    A EPTC é ilegal. Pratica autuações sem ter poder para tal. E a Empresa da Área Azul também. E pode ter certeza que dentro de um gabinete tem alguém com cueca cheia.
    Basta ler:
    http://www.jusbrasil.com.br/noticias/2235398/defensoria-publica-gaucha-questiona-na-justica-competencia-da-eptc-para-multar

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: